Portal do Espirito

A sua referencia em Doutrina Espirita na Internet
Bem-vindo: Ter, 23/Out/2018 02:33
Ler mensagens sem resposta | Pesquisar por tópicos ativos


Todos os horários são GMT - 3 horas




Criar novo tópico Responder  [ 314 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 16, 17, 18, 19, 20, 21  Próximo
Autor Mensagem
MensagemEnviado: Sex, 07/Nov/2014 09:23 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 17/10/2014, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... o-1.933567

Publicado no dia 18/10/2014.
Toda vez que leio artigos do Leonardo Boff, fico pensando o seguinte: “Como uma pessoa tão sábia pôde ser enganado pelos líderes marxistas, que dominaram a cúpula do Partido dos Trabalhadores”. Esses líderes enganaram a muita gente, mas só foram desmascarados, quando o PT conquistou o Poder Central no Brasil. Os marxistas defendem que tudo é do Estado, mas eles não contam que o Estado passa a pertencer ao Partido e o Partido é controlado ditatorialmente pelos líderes do mesmo, então o Estado passa a ser de um pequeno grupo. Veja o que aconteceu no Brasil, após o PT ter conquistado o Poder Central, a máscara da famosa ética deles caiu imediatamente por terra, pois foram fazer acordos políticos com os desafetos de antes, como o Antônio Carlos Magalhães, José Sarney e outros. Até o Fernando Collor na atualidade é um grande amigo do Governo Petista. A solução para todos os problemas da humanidade está sim numa simples síntese de vida ou fórmula matemática, que escrevi na encíclica Alegria do Evangelho do Papa Francisco. Eis a fórmula que fui expondo-a enquanto lia a encíclica, como segue: Todos: Isso é sim muito importante, pois ninguém é excluído. Como os teólogos, que defenderam e ainda defendem a Teologia da Libertação, só pensaram e pensam nos “pobres” (O. P. P)! Estes teólogos fomentaram e fomentam a divisão de classes e estão longe da Teologia da Verdade (João 8,32 e 16,13). (16/1/14). (“Fiel ao modelo do Mestre, é vital que hoje a Igreja saia para anunciar o Evangelho a todos, em todos os lugares... A alegria do Evangelho é para todo o povo, não se pode excluir ninguém”. Pág. 20 – Item 23). Todos: ver página 20. A solução para todos os problemas da humanidade se resume nesta síntese: “Todos os seres humanos têm que aprender a somar e dividir com perfeição: Somar os esforços e capacidades e dividir os frutos, os resultados, os lucros. (Ver pág. 111). (16/01/2014). (“O dinheiro deve servir, e não governar! O Papa ama a todos, ricos e podres, mas tem a obrigação, em nome de Cristo, de lembrar que os ricos devem ajudar os pobres, respeitá-los e promovê-los”. Pág. 41 – Item 58). A solução para todos os dramas da humanidade se resume nessa síntese: “Todos os seres humanos devem aprender a somar e dividir com perfeição” - Somar os esforços, capacidades e recursos e dividir os resultados, os lucros ou frutos produzidos em comum. (21/01/2014). Ver págs. 20; 41; 120. (“Além disso, nem o Papa nem a Igreja possui o monopólio da interpretação da realidade social ou da apresentação de soluções para os problemas contemporâneos. “Posso repetir aqui o que indicava, com grande lucidez, Paulo VI: Perante situações, assim tão diversificadas, torna-se-nos difícil tanto o pronunciar uma palavra única, como o propor uma solução que tenha um valor universal””. Pág. 110/111 – Item 184). Ver a solução na pág. 111: Para participar da divisão dos frutos e o dos resultados primeiro tem que participar da soma, que foi a união e a força que deram os resultados. Não é justo participar só dos resultados ou da divisão sem ter participado da soma ou dos esforços! Entenda bem a solução perfeita para todos os problemas da humanidade. (24/01/2014). (“A desigualdade é a raiz dos males sociais”. Pág. 120 – Item 202).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Dom, 14/Dez/2014 10:08 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis o que postei no jornal O Tempo sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 07/11/2014, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... l-1.943785

Publicado no dia 11/11/2014.
O Leonardo Boff escreveu: “Devemos procurar entender e buscar formas civilizadas de cordialidade nas quais predomine a vontade de cooperação em vista do bem comum, se respeite o legítimo espaço de uma oposição inteligente e se acolham as diferentes opções políticas. O Brasil precisa se unir para que todos juntos enfrentemos os graves problemas internos e externos, num projeto por todos assumido, para que se transforme o país na “terra da boa esperança””. Ele fala da necessidade da união, concordo plenamente dessa necessidade, pois os pobres necessitam dos ricos e os ricos necessitam dos pobres: uns não podem viver e nem conviver sem os outros. Agora o próprio Leonardo Boff com uma visão distorcida da Teologia da Libertação ensinou que a mesma deve sim dar prioridade aos pobres: a famosa OPP (opção preferencial pelos pobres) defendida pelos teólogos defensores da TL. A opção preferencial pelos pobres é sim um dos princípios da Doutrina Social da Igreja e nunca da Teologia, pois Teologia estuda a Divindade e Deus quer o bem de todos. Por tudo isso é necessário ensinar a todos a Verdade (Jo 8,32 e 16,13) e não ficar falando em mistério da fé.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sáb, 24/Jan/2015 10:33 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
O primeiro passo para a conquista da Libertação é sim aceitar e depois entender que a Bíblia não é a palavra de Deus.

Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 30/12/2013, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... s-1.766955

Publicado no dia 31/12/2013.
Existem médiuns representantes da Luz e também aqueles que trabalham contra a Luz. A mediunidade não é um patrimônio do Bem, mas também age contra o Bem.

Publicado no dia 31/12/2013.
Por meio da mediunidade a Espiritualidade ajuda no processo evolutivo na humanidade. Todo médium que representa ou recebe Espíritos de Luz quase sempre são perseguidos por espíritos, que trabalham contra a Luz, pois tais espíritos possuem dívidas a serem pagas e não eles julgam que atrasando o trabalho em torno do Bem e do Amor eles adiam o pagamento de suas dívidas.

Publicado no dia 31/12/2013.
Eu só consegui entender melhor a Bíblia depois que comecei a viver fenômenos mediúnicos e ter conhecimento da Doutrina Espírita na prática e na teoria. No início fui considerado como um “doente mental” por um dos meus professores do seminário, do qual fui aluno 6 anos e também fui levado à Clinica Pinel por decisão de outro sacerdote. Digo que as atitudes destes padres foram muito boas para mim, pois aprendi rapidamente que a Verdade não estava com eles. Recebi várias explicações reveladoras sobre a Bíblia da própria Espiritualidade e uma delas foi essa: ‘O espírito, que tentou ao Mestre Jesus, foi o mesmo, que Moisés considerou como Deus’.

Publicado no dia 31/12/2013.
Divulgo aqui o início da minha segunda carta escrita para o teólogo João b. Libânio: Belo Horizonte, 01 de Janeiro de 1993. Caro amigo e companheiro em Cristo Jesus, nosso Mestre. Padre João Batista Libânio, a busca da Verdade libertadora e sua divulgação é uma responsabilidade de todos nós: os filhos(as) de Deus. Quem encontra a Verdade torna-se livre, compreensível, humilde e está repleto de amor, paz, bondade e sabedoria: é um mestre pronto a ajudar a todos e a ensinar a todos aqueles que querem aprender consciente e livremente. Fiquei muito contente mesmo em receber sua resposta, mesmo que não tenha exposto suas opiniões sobre minhas colocações, mas a sua atenção muito me confortou. Quero deixar claro que dentro da minha tese: “Deus Não Perdoa Nunca”, a qual defendi em minha carta anterior, não existe “pecado” (= ofensa contra Deus) e por isso não existe também a possibilidade de “ruptura de nossa relação com Deus”. Também quero dizer que quando o “doador se ofende com a rejeição de um presente”, isso só é possível quando o doador não é perfeito e estamos ainda com plena visão humana e bem imperfeita. Padre Libânio, você me entendeu quando expus que aprendemos falsos conceitos e pseudas idéias sobre Deus (“o lado frágil e errado da afirmação”), mas quando você defendeu “um lado verdadeiro”, ainda continuou dentro de conceitos humanos bem imperfeitos, tentando aplicá-los a “Deus-Pai-Mãe”. Para mim não existe o pecado contra Deus, como me foi ensinado e o “perfeito doador” nunca se ofende com qualquer rejeição de presentes. Realmente sabemos mais o que Deus não é do que o que Ele é. Existe sim muita ofensa e muita ruptura entre nós: os filhos(as) de Deus. Vou agora expor outra tese minha, que é uma bomba, que é: “O TENTADOR DE JESUS É O MESMO ESPÍRITO, QUE MOISÉS CONSIDEROU COMO DEUS: IAHWEH”. Essa grande diferença: Deus e Satanás (Lúcifer), foi por causa da própria perfeição de Jesus comparada com a imperfeição do profeta Moisés. Moisés foi um assassino (Ex 2,12) antes de receber a revelação de sua missão...

CELSO DANIEL DA SILVA (Publicado no dia 01/01/2014).
Rosário, não fazia ideia de que esse espírito tentador de Jesus fosse o mesmo Iawheh do AT. Sempre achei que esse deus lá de trás fosse uma entidade atrasada, ordenando matanças e tendo atitudes de crueldade próprias do mais reles ser humano. Incrível que ainda várias correntes religiosas defendam esse tirano.

Rosário Américo de Resende. (Publicado no dia 01/01/2014).
Celso Daniel. Quem me fez essa revelação foi o próprio Espírito, que tentou Jesus. Na carta para o teólogo João Batista Libânio fiquei só fazendo comentários e análises sobre trechos da Bíblia, agora na carta que escrevi para o meu irmão padre eu contei como foi a revelação ou fenômeno mediúnico, que vivi no ano de 1984.

Publicado no dia 01/01/2014.
No dia 01/01/2014 eu enviei 4 textos, a minha resposta ao comentário do Celso Daniel da Silva foi publicada, então gostaria de saber qual dos outros três não foram aceitos ou foram os três?

Publicado no dia 01/01/2014.
O artigo do José Reis Chaves descreve sobre Bíblia e mediunidade e foram sobre estes assuntos que fiz as minhas divulgações, as quais têm correlação com o artigo citado.

Publicado no dia 05/01/2014.
Ninguém ficará em condições de entender da mediunidade e discernir (1Jo 4,1 a 3) as comunicações que são recebidas da Espiritualidade senão vivenciar a própria mediunidade. Existem comunicações falsas, que são recebidas por falsos profetas (1Rs 18,22). No passado como no presente existem muitas revelações da Espiritualidade que são falsas, mas para discernir com quem está a Verdade (João 16,13) é preciso conhecer bem a árvore como um todo, pois a árvore que já produziu frutos podres não pode produzir bons frutos.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sáb, 25/Abr/2015 16:50 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
A grande diferença entre a minha forma de entender a Teologia da Libertação e a do Leonardo Boff está sim na liberdade de expressão, pois a TL dele deve defender e proteger os pobres, pricipalmente por meio da Opção Preferencial pelos Pobres, mas isso é função da Doutrina Social da Igreja e não da Teologia; a minha forma de entender a TL é que ela deve trabalhar para a união entre pobres e ricos e nos libertando de todos os ensinamentos dogmáticos inexplicáveis. Deus sempre quis, quer e quererá o BEM de todos.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 27/03/2015, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... -1.1015521

Publicado no dia 28/03/2015.
José Mujica é sim um exemplo a ser seguido; quando ele foi eleito presidente continuou com o velho Fusca dele. O Lula quando foi eleito presidente encomendou o “Aero-Lula” e com dinheiro público. O José Mujica agiu com ética e honradez, o Lula só se apresentava como ético, mas sempre enganou o os companheiros e povo, até quando era presidente do Sindicato dos Metalúrgicos em São Bernardo do Campo, quando fazia acordos com empresas para por fim em greves, após receber dinheiro (propinas) para o Sindicato dele, mas disso parece que você não soube nada, Leonardo Boff! A Dilma, quando houve a compra da Refinaria de Pasadena, era a presidente do Conselho de Administração da Petrobrás e aprovou tudo; o que ela fazia lá? O José Mujica continuou com o mesmo patrimônio, após deixar a presidência do Uruguai e qual é a fortuna que Lula e o filho dele, o Lulinha, possuem hoje? Qual é a origem dessa fortuna? Não foi originada por meio de trabalhos honestos, pois o tempo foi muito curto! Boff, abra os olhos e não faz comparações entre o José Mujica e os membros da cúpula do PT, que você tanto defendeu, defende e apoia... A única coisa boa que iremos tirar dos Governos petistas é eles não têm limites para nada: mentiram e continuam mentindo e quando assumiram o Poder Central pensaram que todo o patrimônio publico era deles e vejam os esquemas de corrupção que eles montaram; enquanto estava sendo julgado os membros do Mensalão, eles simplesmente estavam executando o Petrolhão! E ainda virão coisas piores... A roubalheira petista foi sim muito bom para todo o sistema político e da administração pública do Brasil, pois agora tudo veio à tona! E não tem mais como tampar o sol com a peneira.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 31/Jul/2015 17:12 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Veja o resumo do meu trabalho sobre os livros do papa Bento XVI:
“A Infância de Jesus” (1); “Jesus de Nazaré - Primeira Parte” (2) e “Jesus de Nazaré - Segunda parte” (3) no subtítulo Cruz:
Cruz (Sofrimento).
(“Só quando se deu algo de extraordinário, quando a figura e as palavras de Jesus radicalmente ultrapassaram a média de todas as esperanças e expectativas, é que se esclarece a sua crucificação e também a sua ação”. Pág. 17 (2)). Os primeiros seguidores de Jesus, que o aceitaram como o Messias, não tinham como explicar a morte na cruz para aqueles que entravam para o grupo deles, então passaram a justificar o sangue derramado como um sacrifício perfeito para a redenção da humanidade, que estava condenada sob o pecado da desobediência de Adão e Eva.
(“Paciente como um cordeiro para o sacrifício, encaminhou-se para a morte o salvador que está a morrer na cruz em representação de toda a humanidade”. Pág. 36 (2)). Que enganação que foi sendo realizada por muitos e por séculos, desde os primeiros anos após a morte de Jesus!
(“Depois começou a percorrer toda a Galileia ensinado nas sinagogas, proclamando o Evangelho do Reino de Deus e curando entre o povo todas as doenças e enfermidades” (Mt 4,23, cf. 935)”. Pág. 57 (2)). Jesus devolvia a vida feliz a quem sofria qualquer tido de dor, então Jesus punha um fim nos sofrimentos! Por que os seguidores de Jesus passaram a defender o sofrimento de Jesus como o único meio da redenção para toda a humanidade?
(“mas ação, força eficaz que entra no mundo para curar e para transformar”. Pág. 58 (2)). Cura e transformação são contrárias a sofrimento e cruz!
A vivência do AMOR perfeito destrói todo tipo de sofrimento, incluindo a cruz.
A glorificação do crucificado (da cruz) foi a saída para explicar o “inexplicável” para os primeiros convertidos pelos seguidores de Jesus. Essa glorificação da cruz e do sofrimento encobriu o caminho para o encontro e a descoberta da Verdade. Só mesmo o Espírito de Deus poderia revelar a verdade e destruir todo o bloqueio criado pelos teólogos antigos em função da incompreensão deles para com Deus, o bem e o AMOR. (Pág. 91 (26)).
Deus é bom e pleno de bondade. Como pôde e pode pessoas, que falem e ensinem que Deus só perdoou a humanidade, após ver o sangue de Jesus derramado na cruz!
(“Este é também, antes de mais nada, o destino de Jesus de Nazaré: Ele termina na cruz. Mas precisamente a partir da cruz vem a grande fecundidade”. Pág. 170 (2)). Cruz? Como os teólogos, que são sim ignorantes sobre Deus, tentam continuar defendendo a cruz como meio de salvação! Jesus terminou na cruz porque divergiu dos líderes religiosos. O mesmo aconteceu com milhares de pessoas, que divergiram de Roma e foram terminar os dias nas fogueiras da inquisição da ICAR.
(“Na cruz, as parábolas são decifradas”... “Assim, camufladamente, as parábolas falam do mistério da cruz”... “tornam-se estações para a cruz”. Pág. 171 (2)). A cruz sempre lembra o “sofrimento” e isso não é do plano de Deus! O plano de Deus é para que todos conquistem a plenitude da perfeição. A cruz e sofrimento foram frutos do joio ou dos inimigos de Deus.
(“Elas estão ligadas também aqui ao destino da cruz de Jesus”. Pág. 248 (2)). Cruz. Todo aquele que defende a cruz como um acontecimento essencial ou primordial para o cumprimento da missão de Jesus é porque ainda desconhece a verdade, que liberta (Jo 8,32) e por isso nada sabe sobre a verdade plena (Jo 16,13).
(“Depois do grande tempo da pregação na Galileia, esta é uma baliza fundamental: a partida para a cruz”. Pág. 249 (2)). Cruz e Cruz: Jesus foi crucificado do mesmo jeito que centenas de milhares de pessoas terminaram os seus dias nas fogueiras da inquisição da ICAR: todos desagradaram aos líderes religiosos, que tinha o poder de matar, mesmo havendo o mandamento: “Não Matarás” (Ex 20,13 e Dt 5,17).
(“na comunhão com o crucificado que só domina a partir da cruz”) (Pág. 287 (2)). A cruz complicou tanto a cabeça dos primeiros seguidores de Jesus, que até consideraram que Deus, o bom e perfeito, só perdoou a humanidade porque o sangue de Jesus foi derramado na cruz.
(“Na cruz será dada a conhecer a sua filiação”. “A cruz é a verdadeiro “elevação”. Ela é a elevação do “amor até o fim” (Jo 13,1)”. Pág. 294(2)). A cruz e a cruz! Que fascinação pela cruz teve e tem o papa Bento XVI.
(“A cruz é, e continua sendo, o sinal do “Filho do homem”: no fim de contas, na luta contra a mentira e a violência, a verdade e o amor não têm outra arma senão o testemunho do sofrimento”. Pág. 55 (3)). O “tempo” da cruz terminou, pois a cruz é sim um terrível aspecto da violência, agora estamos no “tempo” da Vida em abundância (Jo 10,10).
(“Partindo da Última Ceia e da Ressurreição, poderemos afirmar precisamente que a cruz é a radicalização extrema do amor incondicionado de Deus”. Pág. 118 (3)). Cruz é sofrimento. Amor não é sofrimento. Cruz e amor não se combinam!
(“Realizara-se a reconciliação”. Pág. 208 (3)).Aceitar, ensinar e defender o sacrifício de Jesus na cruz foi sim um dos maiores absurdos da Teologia Católica e ou Cristã.
(“O templo permanecia um lugar venerável de oração e de anúncio; porém, os seus sacrifícios já não eram válidos para os cristãos”. Pág. 208 (3)). Essa foi sim uma decisão correta, mas defender o fim dos sacrifícios de sangue por meio do sangue de Jesus derramado na cruz foi um ensino não correto!
(“Na literatura neotestamentária, há diversas tentativas de interpretar a cruz de Cristo como o novo culto, a verdadeira expiação e a verdadeira purificação do mundo”. Pág. 209 (3)). Absurdo! A cruz só foi uma forma de explicar o inexplicável.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 31/Jul/2015 19:15 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Veja o resumo do meu trabalho sobre os livros do papa Bento XVI: “A Infância de Jesus” (1); “Jesus de Nazaré - Primeira Parte” (2) e “Jesus de Nazaré - Segunda parte” (3) no subtítulo Perdão:
Perdão.
O perdão: “Perdoai as nossas ofensas assim como nós perdoamos aquém nos tem ofendido”. Pág. 143 (2)). Esse versículo de Mateus 6,12 já deve ter complicado a cabeça de muitos pensadores cristãos e como está incluído na oração que Jesus ensinou, então fica realmente parecendo que Deus perdoa todas as nossas dívidas se também perdoamos nossos devedores. Veja que existe uma condição que exige a necessidade de perdoar também as ofensas recebidas! Em Mateus 5,25 e 26 está escrito que toda dívida tem que ser paga. Na parábola do devedor implacável (Mt 18,23 a 35) a condição do perdão fica mais intensa ainda, pois mesmo já tendo sido perdoado de uma imensa dívida (Mt 18,27) e como o devedor, já perdoado, não perdoou uma pequena dívida (Mt 18,28 a 30), então o senhor voltou, cancelou o perdão e cobrou toda a dívida com muito rigor (Mt 18,34).
(“Deus é um Deus que perdoa, porque ama as suas criaturas; mas o perdão só pode penetrar, ser realmente eficaz, em quem for em si mesmo capaz de perdoar”. Pág. 144 (2)). Quando entendi que Deus não perdoa porque nunca foi ofendido, pois é plenamente perfeito (Mt 5,48) e só pode perdoar aquele que recebeu ofensa, pois ainda não é perfeito, então entrei em contradição com tudo o que tinha aprendido sobre Deus e como ainda ensina o Sumo Pontífice.
(“Com este pedido, o Senhor nos diz: a culpa pode ser vencida por meio do perdão, não por meio da vingança”. Pág. 144 (2)). O Perdão só beneficia a quem perdoa, pois fica livre do problema e como não deve nada, então poderá continuar a sua caminhada evolutiva em busca de sua perfeição. O devedor tem sim que pagar toda a dívida (Mt 5,26 e 18,23), pois a Lei exige a obediência, é fria e não pode perdoar, pois caso haja o perdão isso seria uma imensa injustiça para todos aqueles que não devem nada a Lei.
(“Se quisermos compreender bem o pedido e o quisermos fazer nosso, devemos dar um passo para frente e perguntar: o que é propriamente perdoar? O que então acontece? A culpa é uma realidade, uma potência objetiva, que provocou destruição e que deve ser vencida”. Pág. 145(2)). Deus não julga e nem condena a ninguém, pois essa é uma responsabilidade do Filho do Homem (Jo 5,22 e 27), como também é de todos Espíritos criados. Quem defende a justiça divina ainda mostra muita ignorância sobre como Deus age e como agem os Espíritos criados. Os julgamentos tornam-se bem mais perfeitos, quando os mesmos são feitos por aqueles, que receberam o poder de julgar e condenar os seus semelhantes: os juízes e estes seguem as leis existentes. Pode-se até comentar o seguinte: ‘Quanto mais perfeitas forem as leis de uma sociedade, mais perfeitos e justos são os legisladores. Digo perfeitas quando as leis protegem às minorias, pois as próprias maiorias se protegem sem a necessidade de leis. E quando existem leis perfeitas, mas que só são usadas para protegeram aos líderes e os amigos dos líderes, aos ricos ou aos membros da maioria, então temos legisladores evoluídos, mas juízes não muito evoluídos, pois estes passam a julgar em benefício de interesses particulares e não em função das próprias leis’. Assim quando se analisa as leis de uma sociedade e também as suas aplicações consegue-se avaliar o nível evolutivo da tal sociedade. E em qualquer sociedade ou agrupamento de pessoas (religiões, cores, raças, pátrias, planetas e etc) podem-se encontrar espíritos evoluídos ou não, seja lá qual for o objetivo da formação destes agrupamentos (sexo, raça, cor, religião, povo e ou pátria). Trigo e joio estão misturados em todos os lugares (Mt 13,24 a 30 e 36 a 43). Entenda-se bem o que está escrito: “Porque o Pai a ninguém julga, mas confiou ao Filho todo o julgamento... e lhe deu o poder de exercer o julgamento porque é Filho do Homem” (João 5,22 e 27). Os espíritos criados são os responsáveis por todos os julgamentos.
(“Ela nos chama a atenção para o fruto que nós, como ramos da videira, com Cristo e a partir de Cristo podemos e devemos produzir: o fruto que o Senhor espera de nós é o amor, que com Ele acolhe o mistério da cruz, se torna participação na sua autodoação e, assim, a verdadeira justiça que Deus espera de nós e que prepara o mundo para o Reino de Deus”. Pág. 227 (2)). O AMOR é realmente o ponto ou aspecto central da missão de Jesus. O AMOR vivido e ensinado por Jesus tinha como base a bondade e a perfeição divina. O AMOR verdadeiro inclui o PERDÃO definitivo por parte do SER ofendido. O problema do ofensor ou do criminoso é para com a LEI. Lei é cega e tem que ser obedecida.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Ter, 13/Out/2015 19:09 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 29/05/2015, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... -1.1046783

Rosário Américo de Resende. Publicado no dia 31/05/2015. 4:42 PM May 31, 2015
Esse artigo do Boff só vem provar para mim como ele tem sim um imenso conhecimento, mas que parece que NADA sabe do que aconteceu na cúpula do próprio PT. Ele não vê nenhum ato de mentira e de roubalheira dos políticos petistas. É difícil encontrar um político honesto... Ele também falhou em relação à Teologia, pois a teologia do Boff foi sempre colorida, era vermelha e agora é verde... E não sei se ainda vai amadurecer. Vou publicar a introdução do meu trabalho sobre Teologia: A Teologia nunca poderia ter recebido “sobrenomes”, pois isso só dificultou e dificulta a todo aquele que deseja encontrar e compreender de verdade a Verdade, que liberta (João 8,32). Agora ninguém pode negar que a Teologia, na história da humanidade, já recebeu muitos sobrenomes uns libertadores e outros bitoladores ou castradores da liberdade até de pensar. Após pesquisa efetuada em diversos livros (Ver Anexo-1) foi possível encontrar 133 sobrenomes para a Teologia. Que labirinto não foi criado em torno da Teologia pelos teólogos, que na realidade não estudam a Teologia, mas a história da mesma! A Teologia é o estudo sobre Deus e como Deus é Único (Uno. Dt 6,4), então a Teologia nunca poderia ter recebido sobrenomes. Cada teólogo está ligado ou subordinado a algum grupo religioso e cada grupo religioso pode ser independente ou pertencer a alguma Religião constituída, como a Igreja Católica Apostólica Romana (ICAR). Dificilmente será encontrado um teólogo realmente livre e que se colocou à disposição para receber revelações da Espiritualidade e até do próprio Espírito de Deus. Explicando melhor, digo que os “sobrenomes dados à Teologia” deveriam ser entendidos como “o pensamento teológico deste ou daquele teólogo”, como também “deste ou daquele agrupamento de pessoas” e até também “desta ou daquela Religião”. Até hoje o melhor sobrenome que encontrei para a Teologia foi o da Libertação e agora vou lançar mais um sobrenome: “Teologia da Verdade” (João 8,32 e 16,13), que para muitos teólogos defensores da “Teologia da Libertação” (TL) será uma absurda heresia, pois os defensores da Teologia da Libertação não poderiam ter colocado como base da TL a opção preferencial pelos pobres (OPP). A OPP deve ser sim um dos principais objetivos da Doutrina Social da ICAR, mas sempre com o objetivo de buscar uma harmoniosa e perfeita vivência e convivência entre pobres e ricos. A Teologia da Verdade (TV) irá trabalhar em prol da grande harmonia entre todos os seres humanos, para que seja implantado no seio da humanidade o Reino de Deus, como Jesus nos ensinou a pedir na oração do Pai Nosso (Mt 6, 10). Já trabalho em torno da Verdade desde janeiro de 1980 e em função desta minha busca e trabalho, para o qual não conquistei ainda nenhum companheiro, pois a Verdade faz medo em quem ainda não a conquistou em plenitude (Jo 16,13), consegui fazer uma ponte entre Teologia e Matemática, que é uma Ciência Exata, fazendo assim uma união perfeita entre Religião e Ciência.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sáb, 12/Dez/2015 19:31 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena para todos.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Qua, 06/Jan/2016 22:39 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do José Reis Chaves do dia 09/06/2014,que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/j ... a-1.860997

Publicado no dia 10/06/2014.
O que todos receberam de graça de Deus foi a Vida e os meios para que cada um buscasse a sua perfeição. O próprio São Paulo escreveu: “Quando estávamos entre vós, já vos demos esta ordem: quem não quer trabalhar também não há de comer” (2Ts 3,10). A doutrina da salvação pela graça e pela fé foi sim um resultado da ignorância de quem a defendeu. Cada um colhe aquilo que semeou!

Publicado no dia 10/06/2014.
O que fica muito claro nos versículos a seguir do Evangelho Segundo São João é que todos necessitam entender a Teologia e para entendê-la bem é necessário conquistar a liberdade por meio da Teologia da Libertação. Com a liberdade chega-se a Verdade por meio da Teologia da Verdade (TV), que estão nesses ensinamentos bíblicos do Evangelho Segundo São João: “Veio para o que era seu e os seus não o receberam” (Jo 1,11). “És mestre de Israel e ignoras essas coisas? Em verdade, em verdade, te digo: falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos” (Jo 3,10 e 11). “Ele, porém, lhes disse: “Tenho para comer um alimento que não conheceis”. “Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e consumar a sua obra”” (Jo 4,32 e 34). “Meu Pai trabalha até agora e eu também trabalho” (Jo 5,17). “O espírito é que vivifica, a carne para nada serve. As palavras que vos disse são espírito e vida" (Jo 6,63). “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12). “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8,32). “Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo” (Jo 9,5). “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10b). “Se, portanto, eu, o Mestre e o Senhor, vos lavei os pés, também deveis lavar-vos os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, também vós o façais”. “Dou-vos um mandamento novo: que vos ameis uns aos outros. Como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros” (Jo 13,14, 15 e 34). “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Vós sois meus amigos, se praticais o que vos mando”. “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que seu senhor faz; mas eu vos chamo de amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu vos dei a conhecer. Isto vos mando: amai-vos uns aos outros" (Jo 15, 12, 14, 15 e 17). “Tenho ainda muito que vos dizer, mas não podeis agora suportar. Quando vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à verdade plena...” (Jo 16,12 e 13a). A TL, que nos dá plena liberdade para pensar e falar, bate de frente com a Teologia Dogmática e até a destrói, pois esta impõe princípios autoritários e indiscutíveis, que foram discutidos entre sábios teólogos, que defendiam pontos de vistas diferentes sobre assuntos da Doutrina Cristã ou até mesmo sobre divergências teológicas. A criação dos dogmas foi uma saída encontrada para colocar um ponto final em discussões intermináveis e até vãs por meio da decisão dum “Chefe”, que até podia saber muito menos do que os outros. Os dogmas foram necessários para por um fim nas divergências inconciliáveis entre os teólogos, porque os mesmos ainda não conheciam a Verdade via Teologia da Verdade e Teologia da Libertação.

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Dom, 07/Fev/2016 10:53 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 07/11/2015, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... -1.1159570

Rosário Américo de Resende. Publicado no dia 09/11/2015.
Realmente “a religião pode fazer o bem melhor, mas também pode fazer o mal pior”; como afirma o Leonardo Boff.
O autor está sim condenando o fundamentalismo da fé cega que está sendo representado pelo Estado Islâmico, mas o que está por trás de tudo isso? É sim o nível evolutivo de cada um, pois cada ser humano está sim num certo nível da sua caminhada evolutiva.
A saída está sim na compreensão da Verdade sobre a Vida individual e coletiva dos seres humanos e sobre a própria Bíblia. Vemos na atualidade o elogio a Deus, que protegeu os escravos israelitas no Egito, conforme está no livro do Gustavo Gutierrez: Teologia da Libertação – perspectivas”, pág. 209 e na encíclica: “A Alegria do Evangelho”, do Papa Francisco, item 187; mas ambos se esqueceram de explicar que foi o mesmo Espírito que orientou para massacrar a todos os habitantes da Palestina, como está em Êxodo 3,8 e Deuteronômio 7,1 e 2, obra que foi executado por Josué (Js 1 a 12), quando 31 reis e seus povos foram passados ao fio da espada pelas tropas comandada por Josué.
O próprio catolicismo, que era uma religião humilde e perseguida, três séculos depois, quando se tornou a poderosa ICAR foi transformada em orgulhosa e perseguidora. A saída está sim na compreensão da Verdade, que liberta (Jo 8,32) e plena (Jo 16,13).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sáb, 09/Abr/2016 21:49 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis o que postei no jornal sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 01/04/2016, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... -1.1271363

Rosário Américo de Resende. Publicado no dia 01/04/2016. 10:44 AM Apr 01, 2016
Ler os artigos do Leonardo Boff, que possuía um imenso conhecimento, é, para mim, algo que causa muita decepção...
O Boff, enquanto era um religioso franciscano, ele viveu no perfeito e ótimo sistema comunista, pois dentro de um convento franciscano tudo é comum entre os confrades, mas ele pensa que encontra este mesmo sistema dentro de uma sociedade repleta de pessoas corruptas e que só querem o bem deles e dos amigos dos líderes.
O Boff faz uma confusão para quem ainda desconhece a Teologia, pois a Teologia é sim o estudo sobre Deus, mas isso os teólogos ficam mais em torno do mistério e da fé. Os teólogos estudam profundamente é sim a história da Teologia e não a própria Teologia.
A Teologia da Libertação tem que ser para todos e não só para os pobres...
O Boff confunde a Teologia com a Doutrina Social da Igreja, pois esta tem sim que fazer opção preferencial pelos pobres e não a Teologia e o pior ainda mistura tudo com a ideologia do marxismo ateu.
A Teologia da Libertação deve sim libertar todos os seres humanos de todos os ensinamentos dogmáticos da Igreja e muitos deles foram impostos a ferro e fogo no passado... E por meio dessa libertação torna-se possível conhecer e compreender a Verdade por meio da Teologia da Verdade.
Paz plena... Rosário.

Rosário Américo de Resende. Publicado no dia 01/04/2016. 5:21 PM Apr 01, 2016
Paz plena para todos...
Decidi publicar aqui a segunda carta que escrevi para o Leonardo Boff, que também ficou sem resposta e assim cada um pode entender melhor o assunto:
A 2ª carta Leonardo Boff. (05/05/1997), está nesses endereços:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=87039#p87039
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=87041#p87041
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=87042#p87042

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Seg, 27/Jun/2016 23:05 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.

Eis o que postei no jornal sobre o artigo do Leonardo Boff do dia 06/05/2016, que está nesse endereço:
http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/l ... -1.1293189

Rosário Américo de Resende. Publicado no dia 08/05/2016.
A Igreja da libertação e ou a Teologia da Libertação foi muito mal compreendida pelos teólogos da América do Sul e Central.
Esses teólogos não conseguiram separar a Teologia da Doutrina Social da Igreja e nem da ideologia marxista ateia.
A TL deve sim trazer a libertação para todos e juntamente com a T. da Verdade deve trabalhar para a união das classes e não da divisão das mesmas.
O Boff ainda não conseguiu entender o projeto de terroristas do passado para assumir o poder no Brasil.
Paz plena. Rosário. Responder - 1 - 1 - 9 horas atrás

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sex, 22/Jul/2016 23:37 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Meus comentários escritos sobre o livro “Teologia da Libertação - Perspectivas”, de Gustavo Gutiérrez. Adquirido em 17/03/2014.
0 – Escrito nas páginas 2 e 3.

Hoje, dia 08/08/2014, das 9,00 à 9,20 tive uma confissão individual com o padre Anderson.
Contei para ele que confessei individual pela última vez na Semana Santa de 1988, pois naquela confissão o padre Candinho não quis me ouvir.
Contei para ele que sou reencarnacionista desde janeiro de 1980.
Contei sobre o acontecimento místico ou mediúnico vivido por mim em agosto de 1982 durante uma missão na Igreja de Santa Teresa: contei o principal. Também contei sobre o Espirito de São Francisco de Assis, que foi uma reencarnação de São João Evangelista.
Conversamos mais um pouco. Falei do Espírito Santo de uma forma genérica; isto é: sem explicar. Durante a confissão só pode participar “Espíritos” da hierarquia da Igreja, mas até eles têm medo de participar, pois a confissão é algo secreto para todos eles.
Depois aceitei um chá sem açúcar e conversei com duas catequistas. Ali, já sem o segredo da confissão, foi permitida a presença de toda a espiritualidade. O assunto foi intenso e muito bom mesmo...
Falei sobre Deus: a tese “Deus não perdoa”, e expliquei.
Falei sobre o Céu, uma pergunta: “Você quer ir para o Céu?” E a reposta foi sim de uma das catequistas... E falei: “Eu não”. Expliquei e tudo foi compreendido.
A conversa também girou em torno do Leonardo Boff: um teólogo, mestre e religioso franciscano falido. (08/08/2014, às 10,35 horas).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sáb, 23/Jul/2016 11:43 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Meus comentários escritos sobre o livro “Teologia da Libertação - Perspectivas”, de Gustavo Gutiérrez.

1 – Escrito nas páginas 3; 5; 7; 11 a 23.

V = Verdade. TV = Teologia da verdade. TL = Teologia da Libertação. DE = Doutrina Espírita. E = Espiritologia. T = Teologia. DR = Doutrina Rosareana. DSI = Doutrina Social da Igreja.
Pág. 5: idem pág. 3.
Neste livro pode-se ver com muita clareza e lucidez que o autor, que fala muito em libertação, ainda não se libertou da doutrina dogmática da Igreja. Ele tenta falar de uma falsa liberdade, pois está semeando discórdia entre classes e pondo mais lenha numa fogueira, pois está gerando mais confusão de conceitos e ideias... Onde já se viu falar em Teologia da Revolução e Política? A opção preferencial pelos pobres é sim um dos principais objetivos da Doutrina Social da Igreja e não é um assunto de Teologia.
A Teologia deve sempre nos falar da perfeição e bondade infinitas de Deus e nos ensinar a viver e conviver bem com todos: estes objetivos só serão alcançados por meio da harmonia e auxílio mútuo entre as diversas classes da sociedade humana. Jesus nos ensinou a amar a todos e até aos inimigos (Mt 5,44), como também nos orientou a agir como serpentes e pombas (Mt 10,16), pois ele enviou os discípulos para trabalhar entre lobos e essas feras humanas ainda são encontradas nas encruzilhadas da vida! (01/05/2014).
Ver a 3ª carta para o bispo dom Célio: Deus não está em toda parte, mas Deus pode ir a todos os lugares e Deus é o único Espírito que tem essa capacidade sem necessitar da permissão de ninguém. Deus também pode conceder o poder de ir a qualquer lugar a outros espíritos e esse segredo fica entre Deus e o espírito que recebeu o poder... (17/03/2014). (“Deus está em toda parte, em toda parte...”. Pág. 7).
“Integração coletiva” (Pág. 11): é preciso sim fazer ou trabalhar em prol da harmonia de classes e de todos. (18/03/2014).
A libertação integral (João 8,32) só acontecerá pela verdade plena (João 16,13). (“Nova época histórica marcada por uma profunda aspiração à libertação integral”. Pág. 11).
Fé: a fé cega o crente e não permite que o crente encontre a Verdade. (18/03/2014).
A Teologia dos teólogos pode ser tudo, menos Teologia! (“e encontrar de imediato e sempre as fórmulas mais claras e equilibradas para refletir teologicamente sobre eles”. Pág. 12).
Deus não faz acepção de pessoas, mas muitos líderes religiosos e civis a fazem. Os teólogos da TL fazem a opção preferencial pelos pobres: isso não é Teologia, mas Doutrina Social da Igreja. (18/03/2014). (“Nos últimos anos, no contexto da Igreja católica, teve lugar um importante debate sobre a teologia da libertação. Se no âmbito pessoal – e por causas passageiras – houve momentos dolorosos, o importante é que se tratou de uma rica experiência espiritual; além disso, foi um momento de profunda renovação de nossa fidelidade à Igreja em que cremos e esperamos comunitariamente no Senhor, bem como de reiteração de nossa solidariedade para com os pobres, privilegiados do Reino”. Pág. 13).
Pág. 15. A Teologia dos teólogos não é Teologia, mas um estudo da história da Teologia e das religiões, como também um estudo da Sociologia, Filosofia, História, Psicologia e da Doutrina Social da Igreja. Ver págs. 16; 17; 19; 22; 23; 25. (19/03/2014). (“Esse marco estimulante e imediato nos permite retomar e aprofundar o que há tempos consideramos os três pontos fundamentais dessa linha teológica: o ponto de vista do pobre, o que-fazer teológico e o anúncio do Reino de vida”. Pág. 15).
A Palavra de Deus não está escrita em lugar nenhum, então a Bíblia (livros do grego) não é a Palavra de Deus (19/03/2014). (“na qual se faz uma reflexão crítica à luz da Palavra de Deus”. Pág. 16).
A mulher ainda não pode participar da hierarquia da Igreja, mas apenas deve ou pode servir à hierarquia da Igreja. Isso tem que mudar! (19/03/2014). (“Puebla fala também de “uma insuficiente valorização da mulher” na própria Igreja (839)”. Pág. 16).
Não confundir a “pobreza” com o “pobre” e nem a “riqueza” com o “rico” de bens materiais, pois existem “pobres” com uma imensa riqueza e ricos vivendo numa extrema pobreza sob a visão do homem integral ou liberto pela verdade (João 8,32 e 16,13). (19/03/2014). (“Em última instância a pobreza significa morte”... “a pobreza não consiste só em carências”. Pág. 17).
Discordo, pois para mim isso é sim “ser rico” e não “pobre”: o rico de espírito, que é a verdadeira razão da vida (João 10,10). O autor está confundindo tudo, pois ser pobre é ter falta dos bens essências para a vida. (“Ser pobre hoje significa igualmente, cada vez mais, empenhar-se na luta pela justiça e pela paz, defender a própria vida e liberdade”. Pág. 17).
Isso também está na Bíblia: ver Josué, Juízes e I e II Samuel. Se hoje está errado, então na antiguidade também estava e por isso a Bíblia não pode ser a palavra de Deus. (19/03/2014). (“A questão social...: a destruição de pessoas e culturas. Essa análise também nos ajudará a definir um compromisso da Igreja com as raças secularmente desprezadas e maltratadas”. Pág. 18).
Teologia: ver pág. 15. Isso não é Teologia. (“constitui um desafio também para a reflexão teológica”. Pág. 19).
Teologia: ver pág. 15. "A voz desses setores desprezados": isto não é Teologia! (“Trata-se, sem dúvida, de um dos valores mais ricos dessa linha teológica para os próximos anos”. Pág. 19).
O autor necessita da TL; TV; DE; DR; E e T (Ver págs. 5 e 15).
Ciência e Religião têm que darem as mãos e se unirem para implantar o Reino de Deus entre nós! (19/03/2014). (“Além disso, os cientistas sociais latino-americanos estão cada vez mais atentos a fatores que tempos atrás não estiveram na mira e que expressam uma clara evolução na economia mundial”. Pág. 20/21).
Ninguém nunca comentou que a Europa explorou e dominou o Planeta Terra por quase 3 milênios por meio de apropriações indébitas e roubos, enquanto os “europeus” ficavam guerreando entre eles em busca do “PODER” dos líderes tirânicos! (“Questões como as da impagável dívida externa...”. Pág. 21).
Para explicar isso é necessário dominar a Verdade plena (João 16,13) e para isso eu estou aqui! (19/03/2014). (“Tudo isso exige aperfeiçoar nossos meios de conhecimentos e apelar a outros novos; considerar a dimensão socioeconômica é muito importante, mas é necessário ir mais longe...”. Pág. 21).
Isso nunca foi Teologia: ver pág. 15. (“Desenvolver essa perspectiva é continuar a orientação da teologia da libertação...” Pág. 22).
Ótimo, pois Jesus não é Deus! (20/03/2014). (“Optar pelo Deus de Jesus”. Pág. 22).
Isso nunca foi Teologia: ver pág. 15. O autor necessita de Espiritologia, pois as revelações continuam sendo feitas, mas os teólogos não as aceitam e assim a Verdade continua oculta e incompreendida por eles. (“o trabalho teológico propriamente dito começa quando tentamos ler essa realidade à luz da Palavra. Ele implica ir às fontes da revelação”. Pág. 22).
A OPP é sim Doutrina Social da Igreja e não Teologia! Ver pág. 15. (“Esse é o contexto de um tema central nessa teologia, hoje amplamente aceito na Igreja universal: a opção preferencial pelo pobre”. Pág. 23).
Esses teólogos tentam fazer de seus pensamentos como se fossem os pensamentos de Deus e complicaram tudo. (20/03/2014). (“Isto é patente em Puebla, que recolhe a fórmula da opção preferencial pelo pobre (cf. o capítulo com esse título), expressão que já se usava nas reflexões teológicas desses anos na América Latina. Puebla deu-lhe, então, um aval e um alcance muito grandes”. Pag. 23).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
MensagemEnviado: Sáb, 23/Jul/2016 17:49 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6537
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Meus comentários escritos sobre o livro “Teologia da Libertação - Perspectivas”, de Gustavo Gutiérrez.

2 – Escrito nas páginas 24 a 35.

OPP: Muitos ricos de coisas materiais são “pobres” no Reino de Deus ou das coisas espirituais, transformando estes “pobres” das coisas espirituais em ricos das mesmas, então eles conseguirão realmente ajudar aos pobres da Igreja: coisa que os teólogos não conseguem fazer por causa da falsa visão teológica deles, quando elogiam a cruz, o sofrimento e a pobreza de Jesus. (ver pág. 15). (20/03/2014). (“Nos últimos anos, importantes documentos do Magistério eclesiástico de âmbito universal fizeram-se eco da perspectiva da Igreja latino-americana, empregando diretamente a expressão “opção preferencial pelo pobre””. Pág. 24).
OK, pois isso é Doutrina Social da Igreja! (“Além disso, com exatidão, o Sínodo extraordinário de 1985 dizia em sua conclusão: “Após o Concílio Vaticano II, a Igreja tronou-se mais consciente de sua missão para o serviço dos pobres, oprimidos e marginalizados...””. Pág. 24).
Cuidado, padre! Veja João 10,10: vida em abundância. (“A opção pelo pobre significa, em última instância, uma opção pelo Deus do Reino que Jesus nos anuncia”. Pág. 24).
Pág. 25: A fé cega o crente e não deixa que o mesmo possa conhecer e compreender a Verdade (João 8,32 e 16,13). (20/03/2014).
Realmente toda a criação teve início sob um amor irrestrito e quase incompreensível de Deus para com todos e com tudo! (20/03/2014). (“Desta memória fala-nos a Bíblia, como o fizeram ver, entre outros, os trabalhos de J. Dupont. Ela é o fundamento da memória da Igreja que é o espaço da fé, da entrega ao Deus que nos ama primeiro”. Pág. 25).
Is 55,8: A Bíblia é sim um meio para que possamos compreender cada vez mais a Deus. Deus revelou-se sempre a um só profeta de cada vez e Deus revelou-se a mim no Presente, mas os teólogos temem conhecer e entender essa verdade e por isso silenciam: omitindo (omissão para eles é pecado). (“Esta afirmação entra em choque com nosso frequente e estreito modo de entender a justiça, mas precisamente essa preferência recorda-nos que os caminhos de Deus não são os nossos caminhos (cf. Is 55,8)”. Pág. 25).
A hierarquia da Igreja ficou sem entender e compreender os ensinamentos de Jesus desde quando se tornou a ICAR até ao início do século XX. (20/03/2014). (“o texto que citamos do Sínodo de 1985 é claro a respeito”. Pág. 26).
Os europeus criaram sim um sistema de ensinamentos gerais, inclusive na Teologia, que os colocaram superiores aos outros seres humanos. Os europeus ficaram guerreando entre eles por 3 mil anos e durante os 2 últimos milênios dominaram e exploraram todos os outros continentes. Os ensinamentos deles em torno da Teologia foi sim uma imposição dogmática e a Teologia da Libertação foi sim um meio de liberta-se dos ensinamentos dogmáticos e assim poder encaminhar ao encontro e compreensão da Verdade. (20/02/2014). (“Evitar-se-á, assim, ceder a uma tendência (presente em alguns ambientes acadêmicos) que vê na teologia da libertação algo como a ala radical e política da teologia progressista europeia. Trata-se, evidentemente, de uma caricatura que não resiste a um bom conhecimento do assunto, na qual, porém, acreditam aqueles que pensam que apenas na Europa se faz teologia e que tudo mais é apenas imitação e aplicação dela”. Pág. 27).
A Bíblia não é a Palavra de Deus! (20/03/2014). (“Em nosso modo de entender o que-fazer teológico, umas das primeiras aproximações foi a afirmação de que se tratava de “uma reflexão crítica sobre a práxis à luz da Palavra de Deus””... “Para o crente, a maior exigência consiste em pôr em prática a vontade de Deus, e isso a Bíblia nos apresenta de numerosas e diferentes maneiras”. Pág. 28).
A verdadeira libertação só vem por meio da Verdade (João 8,32 e 16,13). (20/03/2014). (“Na teologia da libertação, assumimos esse dado tradicional da revelação cristã... Muitos cristãos desses setores estiveram presentes nesse processo; suas vivências nutriram uma reflexão teológica libertadora”. Pág. 28).
Discordo: a plenitude tem que acontecer aqui. Eu me senti livre com plenitude quando comecei a entender e compreender a Verdade em janeiro de 1980, mas não fui compreendido por quem me conhecia muito bem. Estou vivendo a libertação aqui no tempo presente: vivência. (20/03/2014). (“Essa prática libertadora busca transformar a história na perspectiva do Reino, acolhendo-o a partir de agora, e sabendo que sua plenitude só se dará além do tempo”. Pág. 29).
Discordo, pois o verdadeiro amor tem que ser irrestrito e para com todos. (20/03/20140). (“Sem amizade com os pobres, sem compartilhar a vida com eles, não existe uma prática libertadora, pois só pode haver amor entre iguais”. Pág. 29).
Fé: ver pág. 25. (“Sem dimensão contemplativa não há vida de fé”. Pág. 30).
Jesus ensinou: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10). A vida em abundância não pode ser na pobreza. A verdadeira libertação só acontecerá pela Verdade. (21/03/2014). (“Pobreza voluntária, tão central nos ideais religiosos da Ásia, e a simplicidade do estilo de vida que implica são poderosos antídotos ao consumismo capitalista e à adoração a Mamon”. Pág. 30).
Hoje eu já tenho certeza que esse versículo de Lucas 22,44 foi invenção de quem o escreveu. Na minha experiência de vida eu, mediunicamente, falei do versículo de Lucas 23,46 no dia 11/01/1980 a noite de uma forma consciente, fato que me causou grande emoção, chegando a pensar que tinha desencarnado, e, o versículo de João 19,30, também mediunicamente, no dia 12/01/1980, quando estava sendo levado de ambulância à Clínica Pinel, mas de uma forma inconsciente, isto me foi contado pelo meu irmão frei Basílio no inicio do ano de 1998. Ele me falou que eu tinha dito muitas frases em latim e que eu falava como se eu fosse Jesus... E era o Espírito de Jesus sim, que falava por meio de minha mediunidade. Já o rei Basílio me falou assim, quando me contou este fato: “Isso aconteceu porque você nunca aceitou de não ter sido padre”. (21/03/2014). (“Tomado de agonia”, disse Lucas, “ele rezava mais instantemente, e seu suor tornou-se como coágulos de sangue que caíam por terra” (Lc 22,44). Pág. 31).
A verdadeira libertação só acontecerá via Verdade (João 8,32). Hoje posso falar assim: “Eu, que sou uma reencarnação do Espírito do São João Evangelista, estou aqui para conduzir à Verdade plena (João 16,13) a quem quiser compreendê-la e divulgar a semente da verdade plena para todos”. (21/03/2014). (“Encontramo-nos diante de um processo que nos situa onde não é possível separar solidariedade com os pobre e oração. Isso significa ser discípulo de Cristo, ao mesmo tempo Deus e homem. Estamos diante de uma autêntica espiritualidade, isto é, de uma maneira de ser cristão. A conjunção dessas duas dimensões oração e compromisso, constitui estritamente o que chamamos prática. Dela procede a teologia da libertação”. Pág. 32).
Fé: ver pág. 25. (“O discurso sobre a fé é, de fato, um saber com sabor”. Pág. 32).
É nossa religiosidade: Eu só utilizo da palavra Espiritualidade para fazer referência ao conjunto de todos os espíritos desencarnados! (21/03/2014). (“Isto levo-nos a sustentar que, em última instância, o método (o caminho) do discurso sobre Deus é nossa espiritualidade”. Pág. 32).
Esse foi, para mim, o maior ERRO da Teologia Cristã e ou Católica! (21/03/2014). (“Trata-se de aprofundar-se na fé em um Deus que se fez um de nós em dado momento da história passada para converter-se em nosso permanente futuro”. Pág. 32/33).
Cuidado com “uma ação política imediata”, pois não se pode passar o carro na frente dos bois! (21/03/2104). (“como daqueles que esquecem aspectos centrais da existência cristã premidos pelas exigências de uma ação política imediata”. Pág. 33).
Teologia é sim o estudo sobre Deus e o que realmente muda é a visão ou compreensão do ser humano sobre Deus. Deus vai se revelando a um profeta escolhido em cada época e, dificilmente, esse profeta foi ou é aceito pelos líderes religiosos contemporâneos a ele: Jesus foi pregado na cruz por causa da discordância dos líderes religiosos para com ele.
A Palavra de Deus não está escrita em lugar nenhum. (31/03/2014). (“O ato segundo, o da reflexão estritamente falando, procura ler essa prática complexo à luz da Palavra de Deus”. Pág. 34).
Esse estudo nunca foi Teologia, mas Sociologia (30/03/2014). (“Trata-se de uma fé inseparável das condições concretas em que vive a grande maioria e, de certo modo, todos os habitantes da América Latina”. Pág. 35).
O que os teólogos realmente necessitam é a LIBERTAÇÃO dos ensinamentos dogmáticos da ICAR para que possam compreender a Verdade, que liberta (João 8,32) e plena (João 16,13). Por meio da Verdade a Igreja ficará em condições de mostrar, o caminho para colher os frutos da árvore da vida (Gn 3,24) para todos, como também mostra que Deus veio unir todos os povos e não separá-los (Gn 11,1 a 9). (30/03/2014). (“Isso equivale a perguntar: como encontrar uma linguagem sobre Deus em meio à dor e à opressão em que vivem os pobres da América Latina?”. Pág. 35).

_________________
Paz plena... Rosário. ("Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará" - João 8,32).


Voltar ao topo
 Perfil  
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 314 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 16, 17, 18, 19, 20, 21  Próximo

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 6 visitantes


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB® Forum Software © phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB