Portal do Espirito

A sua referencia em Doutrina Espirita na Internet
Bem-vindo: Qui, 28/Mai/2020 21:45
Ler mensagens sem resposta | Pesquisar por tópicos ativos


Todos os horários são GMT - 3 horas




Criar novo tópico Responder  [ 1096 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28 ... 74  Próximo
Autor Mensagem
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 08/Set/2007 15:14 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Vou postar aqui toda a minha série de cartas para o teólogo João Batista Libânio.
Já expus a 1ª e 2ª cartas:
1ª carta João B. Libânio. 13/09/1992. 07/09/2007; às 23:45.
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86025#p86025

2ª carta João B. Libânio. 01/01/1993. 29/03/2007; às 11:58.
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=67830#p67830
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=67833#p67833
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=67834#p67834

Que foram respondidas:
Resposta do Pe. João B. Libânio 01/11/1992. 01/05/2007; às 23:49
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=72460#p72460

Agora vou postar a minha 3ª carta, que não foi respondida:
Belo Horizonte, 21 de Julho de 1993.
Padre João Batista Libânio, que paz e o amor de Deus-Pai-Mãe o envolvam e que a luz de Jesus possa guiá-lo pelo caminho que conduz à perfeição. Vamos pedir a Deus, que é a fonte suprema de sabedoria e vida, força e coragem para podermos “pensar no já pensado”, encontrando assim a verdade, que liberta, para termos vida e vida em plenitude.
Padre Libânio, nós temos em comum a missão de trabalharmos na construção do “Reino de Deus”, um reino de amor, caridade, sabedoria, humildade, servir e perfeição. Para cumprirmos bem esta missão temos que encontrar a verdadeira Verdade e divulgá-la com todas as nossas forças.
Hoje gosto de falar assim: “Apaga tudo o que aprendeste sobre a Bíblia Sagrada, mas não a jogue fora, guarde-a muito bem mesmo, pois a Bíblia Sagrada é uma fonte inesgotável de ensinamentos e sabedoria”. Você, Padre Libânio, poderá compreender melhor esta frase lendo e entendendo bem a minha 2ª carta. O que expus nela fiquei sabendo em 1984, só que não encontrava um bom amigo cristão para poder contar, dialogar livremente e aprofundar sobre a tese tratada.
Quero agradecer-lhe a sua resposta de 10/04/93 à minha carta de 01/01/93. Sobre a tese tratada tudo ficou em suspenso, o Senhor continuou referindo-se só à tese da 1ª carta, que é: “DEUS NÃO PERDOA NUNCA”. Quando o Senhor se refere ao “aspecto do coração de Deus, que sempre está disposto a acolher-nos sempre que nós nos tenhamos afastado dEle, tenhamos rejeitado-O”, isso encaixa direitinho em minha tese e mostra que Deus não se ofende. Já que Deus não se ofende Ele nada tem que perdoar. O perdão deve existir sim, mas entre aquele que se sentiu ofendido para com o causador da ofensa. O beneficiado é quem perdoa e não aquele que recebe o perdão para com as leis evolutivas.
Sou um fã do “Evangelho Joanino”, para mim “O Quarto Evangelho Bíblico” é uma obra ímpar da humanidade. Esta carta será escrita em torno do Evangelho Segundo São João. Todos os trechos citados são retirados da “Bíblia de Jerusalém”, edições Paulinas; como segue: “Veio para o que era seu e os seus não o receberam” (Jo 1,11).
Jesus não foi recebido e nem compreendido pelos contemporâneos dele e ainda hoje, no apagar das luzes do século XX, podemos dizer que a mensagem de vida, amor e libertação de Jesus ainda não foi compreendida e nem vivida por quase toda a cristandade, pois “o Deus de muitíssimos cristãos não é cristão, mas é um Deus anti-cristão”.
- “Tenho ainda muito que vos dizer, mas não podeis agora suportar. Quando vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à verdade plena..” (Jo 16,12 e 13a). “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8,32). “És mestre de Israel e ignoras essas coisas? Em verdade, em verdade, te digo: falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos” (Jo 3,10 e 11).
Por estas passagens fica muito claro que Jesus não nos ensinou tudo e que nós temos que ter muita força e coragem para “pensar no já pensado” para realmente encontrarmos a “verdadeira verdade”. Só quem encontra a verdade é que se vive plenamente e pode dar testemunho da própria verdade, pois só se pode doar aquilo que tem e só pode ensinar aquilo que sabe.
- “Tenho ainda outras ovelhas que não são deste redil, devo conduzi-las também; elas ouvirão a minha voz, então haverá um só rebanho, um só pastor” (Jo 10,16).
Vemos aqui muito claramente a necessidade da união de todos, das diversas religiões para que exista um só rebanho e um só pastor. Só quando todos viverem realmente como irmãos e com muito amor, poderemos ver e viver no “Reino de Deus”, como pedimos no Pai-Nosso: “....venha a nós o vosso Reino....” Nunca será possível a verdadeira união enquanto “uns disserem que os outros estão errados ou são hereges só porque pensam e acreditam de uma forma diferente da nossa”.
- “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10,10b). “O espírito é que vivifica, a carne para nada serve. As palavras que vos disse são espírito e vida (Jo 6,63). “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12). “Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo” (Jo 9,5).
Para ter vida em plenitude não é admissível nenhum sofrimento, nenhuma fome, injustiça e prisão. Quem caminha na “luz” não pode ter nenhuma dúvida. Por que, mesmo após 2 milênios, existe tanta injustiça, fome, traições, infidelidade, explorações, tanto sofrimento, roubos, ódios e adultérios (infidelidades nos casamentos) entre os seres humanos? Para ter vida em abundância e liberdade, caminhar na luz e encontrar realmente a verdade, que liberta, temos que ter liberdade até de pensamento e “qualquer dogma tira-nos a liberdade de pensar”. Dogma é uma lei ou forma que impõe a vontade ou o conhecimento de quem sabe menos, mas manda e é orgulhoso, vaidoso e tem uma capacidade inferior de raciocínio.
- “Dou-vos um mandamento novo: que vos ameis uns aos outros. Como eu vos amei, amai-vos também uns aos outros” (Jo 13,34). “Este é o meu mandamento: amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Vós sois meus amigos, se praticais o que vos mando” (Jo 15,12 e 14). “Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que seu senhor faz; mas eu vos chamo de amigos, porque tudo o que ouvi de meu Pai eu vos dei a conhecer. Isto vos mando: amai-vos uns aos outros (Jo 15,15 e 17). “Falei abertamente ao mundo. Sempre ensinei na sinagoga e no Templo, onde se reúnem todos os judeus, nada falei às escondidas” (Jo 18,20). “...Porque sei de onde venho e para onde vou” (Jo 8,14b). “Disse-lhe Jesus: “Sou eu, que falo contigo” (Jo 4,26). “Diz-lhe Jesus: “Maria”. Voltando-se, ela lhe diz em hebraico: “Rabbuni”, que quer dizer “Mestre”” (Jo 20,16). “Se não credes quando vos falo das coisas da terra, como ireis crer quando vos falar das coisas do céu? (Jo 3,12). “Se, portanto, eu, o Mestre e o Senhor, vos lavei os pés, também deveis lavar-vos os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, também vós o façais” (Jo 13,14 e 15).
Jesus não nos impôs nenhum dogma, que tirasse a nossa liberdade..... até de pensar. Jesus nos deu o mandamento do amor e sua única ordem foi: “Isto vos mando: amai-vos uns aos outros” (Jo 15,17). Jesus sabia quem ele era, de onde tinha vindo, para onde iria e “se revelou” para duas mulheres: à samaritana e à Maria Madalena. Por que as mulheres não excluídas de um dos sacramentos da Igreja Católica, Apostólica, Romana? Jesus nos ensinou abertamente e nos chamou de amigos. Muitos, que se intitularam ou intitulam de cristãos, de discípulos de Jesus e ou de “infalíveis” parecem não conhecer e nem entender os próprios ensinamentos de Jesus, como os expostos aqui. Jesus nos ensinou o mais claro possível e isso estou tentando fazer também!
(continua).
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 12/Dez/2008 21:52, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 08/Set/2007 15:19 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmaõs foristas, um abraço.
Eis o endereço do início desta carta:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86063#p86063
(Continuação)
- “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se não fosse assim, eu vos teria dito, pois vou preparar-vos um lugar, e quando eu me for e vos tiver preparado um lugar, virei novamente e vos levarei comigo, a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também” (Jo 14,2 e 3).
Se Jesus foi preparar um lugar é porque este lugar ainda não estava preparado. Jesus também sabia para onde iria (Jo 8,14b) e o que deveria fazer, assim também agem todos aqueles que conhecem realmente a verdade.
- “Ele, porém, lhes disse: “Tenho para comer um alimento que não conheceis”. Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e consumar a sua obra” (Jo 4,32 e 34). “Meu Pai trabalha até agora e eu também trabalho” (Jo 5,17).
Só quem realmente conhece e entende a verdade poderá viver e compreender os ensinamentos de Jesus descritos acima. Aquele que sabe e conhece a verdade não precisa ter fé, pois ele construiu a sua casa sobre a rocha, tem o conhecimento e a sabedoria em si mesmo, sabe quem realmente é e o que tem que fazer.
- “Se Deus fosse vosso pai, vós me amaríeis, porque saí de Deus e dele venho. Vós sois do diabo, vosso pai, e quereis realizar os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8,42a e 44). “Por isso não ouvis: porque não sois de Deus” (Jo 8,47b). “Todos os que vieram antes de mim, são ladrões e assaltantes, mas as ovelhas não os ouviram” (Jo 10,8.).
Nos trechos aqui citados Jesus conversava com judeus, fariseus (=judeus) e disse-lhes que eles eram do diabo, um homicida, mentiroso e pai da mentira (os judeus têm como Deus a Iahweh. Vide a minha 2ª carta). Todos os que vieram antes de Jesus foram ladrões e assaltantes, então não foram enviados ou intuídos pelo “Deus-Pai-Amor”. Nestes trechos vemos também uma outra referência sobre a tese defendida na segunda carta, que lhe enviei.
- “Eu e o Pai somos um. Mas se as faço, mesmo que não acrediteis em mim, crede nas obras, a fim de conhecerdes e conhecerdes sempre mais que o Pai está em mim e eu no Pai” (Jo 10,30 e 38.). “Quem crê em mim, não é em mim que crê, mas em quem em enviou, e quem me vê vê aquele que me enviou” (Jo 12,44 e 45). “Em verdade, em verdade, vos digo: quem recebe aquele que eu enviar, a mim recebe e quem me recebe, recebe aquele que me enviou” (Jo 13,20). “Quem me vê, vê o Pai. Como podes dizer: “Mostra-nos o Pai?” Crede-me: eu estou no Pai e o Pai em mim. Crede-o, ao menos, por causa dessas obras. Nesse dia compreendereis que estou em meu Pai e vós em mim e eu em vós” (Jo 14,9b,11 e 20). “Quem tem meus mandamentos e os observa é que me ama; e quem me ama será amado por meu Pai. Eu o amarei e me manifestarei a ele. Se alguém me ama, guardará minha palavra e o meu Pai o amará e a ele viremos e nele estabeleceremos morada” (Jo 14,21 e 23). “A fim de que todos sejam um. Como tu, Pai, estás em mim e eu em ti, que eles estejam em nós. A fim de que o amor com que me amaste esteja neles e eu neles” (Jo 17,21 e 26b). “Pai Santo, guarda-os em teu nome que me deste, para que seja um como nós” (Jo 17,11b).
Nestes trechos joaninos, para leigos, parece existir um conceito monista (= a criação é Deus) ou mesmo panteísta (= tudo é Deus), mas o que vejo aqui é a perfeita “união e sintonia dos perfeitos”. Pode-se compreender aqui também uma explicação do “Mistério da Santíssima Trindade”: Deus-Pai, Deus-Filho e Deus-Espírito-Santo = um só Deus. O Pai é o primeiro criador, aquele que é Incriado. Jesus era o Filho, enquanto estava aqui entre nós, após a ressurreição, Jesus passou a ser “Espírito Santo” e hoje (depois) o Filho somos nós (e se somos éramos), os filhos de Deus vivendo em corpos de carne e osso, buscando a própria salvação. O Espírito Santo é a união de todos os “espíritos ou almas criados”, já libertos da matéria densa; isto é: que tiveram início.
Jesus e o Pai eram um, como também seremos um com Jesus e o Pai. Esta idéia da perfeita união e sintonia entre os perfeitos ficou confusa nos ensinamentos evolutivos de Teilhard de Chardin, quando defendeu que espiritualmente tudo tende para a “unidade”. Também sou evolucionista, mas para mim cada um se evoluirá para a perfeição, continuando sendo uma perfeita individualidade e não submergindo-se (sumindo-se) em uma “unidade única”. A maior prova da evolução é esta: “Portanto, deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,48.).
- “...Porque vou para o Pai. Se me amásseis, ficaríeis alegres por eu ir para o Pai, porque o Pai é maior do que eu” (Jo 14,12c e 28.). “Saí do Pai e vim ao mundo; de novo deixo o mundo e vou para o Pai” (Jo 16,28.). “Que me enviou”, essa frase é repetida 20 vezes no Evangelho Joanino. “Quem me enviou” (Jo 7,29; 8,29; 12,44 e 15,21). “...Me enviaste”, Jesus repete essa 6 vezes em João. “Aquele que enviaste” (Jo 17,3). “Que Deus enviou” (Jo 3,34). “O Pai que o enviou” (Jo 5,23). “O Pai me enviou” (Jo 5,36 e 20,21). “...Que ele enviou” (Jo5,38 e 6,29). “Quem o enviou” (Jo 7,18 e 13,16).
Nesses trechos pode-se ver claramente que Jesus foi um enviado do Pai e que o Pai é maior do que ele. O verbo “enviou” aparece 35 vezes e “enviaste” 7 vezes no Evangelho Segundo São João.
Se Jesus vai para o Pai e saiu do Pai, é porque não existe a unidade, como muitos querem (e quiseram) nos ensinar. O que veio complicar a compreensão da verdade foi o orgulho e a vaidade de muitos, que quiseram ou querem se apresentar como mais sábios do que o próprio Mestre Jesus, como também aqueles, que se intitularam de “infalíveis”, e nos impuseram “dogmas inexplicáveis e ininteligíveis”, que nos puseram até medo de “pensar para compreendermos e entendermos claramente a pura VERDADE.... e isso durante vinte séculos”.
Só poderá entender tudo isso, que tento aqui expor, aqueles que conseguiram viver finitamente no infinito ou “aqueles” que conseguiram tornar possível o impossível.
Os ensinamentos contidos neste Evangelho fazem parte integral da minha vida e do meu ser. É uma fonte de energia e de água viva, que satisfaz a minha sede de conhecer mais a beleza dos ensinamentos libertadores de Jesus e que me dá coragem de ir sempre adiante e nunca esmorecer. Isso tudo só se tornou possível quando tive coragem de “pensar no já pensado” e quando descobri “quem eu realmente sou”.
Hoje sou monoteísta, defendo o dualismo, mas sou unitarista conforme a Teologia da Libertação; sou evolucionista e defendo também a “criação eterna!”, pois Deus sempre foi, é e será um criador.
Que “Deus” nos ilumine... Rosário Américo de Resende.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 12/Dez/2008 21:55, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 09/Set/2007 19:17 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos, um abraço.
Sei que para aqueles que não estudam a Bíblia é um pouco chato o que estou fazendo, mas o faço em prol da compreensão da verdade, que liberta.
Estou postando aqui aqui a minha 4ª carta para o padre e teólogo João Batista Libânio, esta carta também ficou sem resposta e é um pouco longa:
Belo Horizonte, 02 de Janeiro de 1994.
Estimado companheiro em Cristo Jesus, nosso Mestre e guia.
Padre João Batista Libânio, desejo-lhe muito sucesso e paz neste novo ano.
A missão de Jesus, iniciada há dois mil anos, merece todo o nosso apoio, dedicação e humildade, por isso ainda irei escrever-lhe esta 4ª carta.
Peço antecipadamente desculpas pelo meu desabafo, mas tenho que ser sincero, franco e honesto para dizer que o trabalho, a responsabilidade e o engajamento com a obra salvífica de Jesus são de todos aqueles que se julguem como verdadeiros discípulos de Jesus. A descoberta e divulgação da VERDADE são muito importantes e não posso me omitir.
Lendo o Evangelho (os 4 evangelhos e por que quatro?) podemos ver que Jesus enfrentou corajosamente os líderes religiosos da época dele e não teve medo de nenhum deles, mesmo após ter sido sorrateiramente traído por um discípulo e entregue, após um injusto e falso julgamento, ao líder civil para ser condenado a morrer crucificado: a morte dos infames.
Aprendemos que “Jesus morreu na cruz para nos salvar”. Mas, como os líderes religiosos e civis continuaram e continuam dando as cartas, pode-se concluir que Jesus foi crucificado por inveja, ciúme e despeito dos líderes religiosos. Estes envolveram por traição um dos discípulos de Jesus e, cometendo muitas injustiças e tramóias, entregaram-no a Pôncio Pilatos e ainda o obrigaram por estratagema para que Pilatos condenasse Jesus a morrer na cruz (vide Mt 27,20 e Jo 19,12 e 15).
Esse costume e modo de agir dos líderes religiosos são muito bem conhecidos de todos os que estudam a história das religiões, principalmente no trevoso período do “Reinado Sanguinário da Nossa Igreja Católica Apostólica Romana”. Período este conhecido como: “O Tempo da Inquisição”, sobressaindo o caso da jovem francesa Joana d’Arc, condenada a morrer na fogueira, após ter sido traída pelos líderes civis e, quase 5 séculos depois, foi canonizada em 09/05/1920. Como pode uma pessoa ser condenada como bruxa em 30/05/1431 e depois ser considerada santa? Quem errou? Será que a canonização acabou com as injustiças dos homens e as dores, que a jovem sofreu na fogueira e antes dela, nas prisões e torturas? Ou foi apenas uma canonização política para abafar a vitória de outra crença religiosa? Allan Kardec é francês. O Papa já era infalível e era fácil enganar ao povo francês!!!
Padre Libânio, à minha 1ª carta, onde defendi a tese: “DEUS NÃO PERDOA NUNCA” e fiz algumas referências e correlações com a Bíblia Sagrada, o Senhor me respondeu e no fim desejou-me: “muita dedicação à Bíblia”. Enviei-lhe a 2ª carta com a tese, que chamei de: “BOMBA” e o Senhor ainda me respondeu, mas à 2ª carta dedicou-se apenas a frase: “A sua carta revela grande manuseio e conhecimento da Escritura”, e voltou-se a referir ao assunto da 1ª carta. Com relação à 3ª carta, que chamo de: “Joanina”, só houve, até agora, a resposta do silêncio profundo e já faz 165 dias.
Por tudo isso pergunto a mim mesmo: “O que realmente existe e acontece? Será que estou errado? Estou entrando ou mexendo na seara alheia? Devo me omitir, fugindo também para o silêncio, com a desculpa da meditação?”. Depois de meditar muito, principalmente nos últimos 3 meses, cheguei a seguinte conclusão: “Enviar a 4ª carta, englobando 2 teses bíblicas”, que são:
1ª - “O Deus Imperfeito da Bíblia ou O Incompleto (ou errado) Ensino Sobre a Bíblia”.
2ª - “As Comunicações Bíblicas entre os Planos Visível e Invisível”.
Pe. Libânio, desculpe-me, pois para o Senhor será até chato e cansativo, já que irei relatar e comentar muito sobre trechos bíblicos, retirados da “Bíblia de Jerusalém”. Parece que quero “ensinar o Pai-Nosso ao seu vigário”, mas escrevo não só para o Senhor e sim para muitos outros no presente e no futuro...... Sei desta minha responsabilidade também: “Sou o autor pleno da 3ª carta, pois descobri quem realmente sou e para quê aqui estou”.
1ª Tese: “O Deus Imperfeito da Bíblia ou O Incompleto (ou errado) Ensino sobre a Bíblia”.
1.1 - “À mulher, ele disse: “Multiplicarei as dores de tuas gravidezes, na dor darás à luz filhos. Teu desejo te impelirá ao teu marido e ele te dominará. Ao homem, ele disse: “Porque escutaste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te proibira de comer, maldito é o solo por causa de ti. Com sofrimentos dele te nutrirás todos os dias de tua vida”. E Iahweh Deus o expulsou do jardim de Éden para cultivar o solo de onde fora tirado” (Gn 3,16,17 e 23).
Quem condena outros a viverem exilados em dores e sofrimentos, depois de os ter expulsado do Paraíso, não tem amor e uma compreensão infinitos. Esta atitude não pode vir de quem tem amor e compreensão infinitos para dar, de quem é bom e perfeito. Vemos aqui mais uma comprovação da minha “tese Bomba”.
1.2 - “Iahweh arrependeu-se de ter feito o homem sobre a terra, e afligiu-se o seu coração. E disse Iahweh: “Farei desaparecer da superfície do solo os homens que criei - e com os homens os animais, os répteis e as aves do céu -, porque me arrependo de os ter feito” (Gn 6,6 e 7).
Quem arrepende é porque não agiu certo e corretamente, quem se aflige é porque não é perfeito, bom e sábio em plenitude. Será que Deus, o perfeito, sábio, onisciente, onipresente e onipotente agiu erroneamente alguma vez ou teve atitudes imperfeitas?
1.3 - “Quanto aos homens que estavam na entrada da casa, eles os feriram de cegueira, do menor até o maior, de modo que não conseguiram encontrar a entrada. Iahweh fez chover, sobre Sodoma e Gomorra, enxofre e fogo vindos de Iahweh, e destruiu essas cidades e toda a planície, com todos os habitantes da cidade e a vegetação do solo! Ora a mulher de Ló olhou para trás e converteu-se numa estátua de sal” (Gn 19,11 e 24 a 26). Vemos aqui uma atitude e a ação de vingança de 2 anjos, a destruição de tudo com o poder de Iahweh e a necessidade da obediência absoluta, sem nenhuma liberdade. Essas atitudes são próprias de tiranos, de seus carrascos e frios agentes dos mesmos, mas não podem vir de quem é perfeito e tem muito amor para doar.
1.4 - “Ele retomou: “Não te chamarás mais Jacó, mas Israel, porque foste forte contra Deus e contra os homens, e tu prevaleceste” (Gn 32,29). Pelo relato bíblico Jacó lutou com o próprio Deus e Deus não conseguiu vencer, então quem lutou não é o mais forte já que não venceu. Quem luta não é compreensivo e nem possui a sabedoria em plenitude, então não é ainda perfeito.
1.5 - “Iahweh disse a Moisés: “Farei vir mais uma praga ainda contra o Faraó e contra o Egito. Então, ele vos deixará partir daqui. E todo o primogênito morrerá na terra do Egito, desde o primogênito do Faraó, que deveria sentar-se no trono, até o primogênito da escrava que está a mó, e até mesmo os primogênitos do godo” (Ex 11,1a e 5). Hoje atitudes como estas são consideradas como “magia negra” e só vêm de quem ainda não é perfeito. Será que Deus, o perfeito, já agiu assim e até e permitiu atos de “magia negra”? Ou antigamente podia e hoje não pode mais, então Deus também se evoluiu e se aperfeiçoou, nesta hipótese então Ele não era tão perfeito.
1.6 - “Dize, pois ao povo, que todo homem peça ao seu vizinho, e toda mulher à sua vizinha, objetos de prata e ouro” (Gn 11,2). Iahweh também aconselhou a agir de uma forma não muito certa, pois disse para pedir, sabendo que o plano era de viajar sem devolver nada mesmo: isto é calote!!
1.7a - Vide os trechos bíblicos referidos na carta de 01/01/1993, nos quais estão muito claros a ajuda e o auxílio de Iahweh a Moisés para guerrear, vencer e matar os inimigos de Israel e de Moisés, incluindo os israelitas, esquecendo-se do mandamento: “Não Matarás” (Ex 20,13 e Dt 5,17). Onde está o erro? O mesmo aconteceu com Josué e outros, como:
(Continua)... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 12/Dez/2008 21:56, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 09/Set/2007 19:25 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena.... (Continuação)
...............
1.7b - “Ninguém te poderá resistir durante toda a tua vida, assim como estive com Moisés, estarei contigo: jamais te abandonarei, nem te desampararei” (Js 1,5). Promessa de apoio pleno a Josué, feita por Iahweh. “... e o que fizestes aos dois reis dos amorreus, do outro lado do Jordão, a Seon e a Og, que destruístes totalmente (Js 2,10b). Acontecimentos narrados em Nm 21,21 a 35 com plena aprovação de Iahweh (Nm 21,34). Isso não é uma prática da perfeição e do amor pleno.
O perfeito não age assim e nem permite que os seus ajam deste modo.
1.7c - “Iahweh disse então a Josué: “Vê! Entrego nas tuas mãos Jericó, o seu rei e os seus homens de guerra” (Js 6,2). As ordens de Iahweh foram obedecidas e todos em Jericó foram passadas ao fio da espada, como está escrito em Josué 6,17 a 21.
1.7d - Em Josué 7,1 a 25 vê-se o relato da descoberta e destruição de quem não obedeceu: como “... e a ira de Iahweh inflamou-se contra os filhos de Israel”, e “Que Iahweh, neste dia, traga a desgraça sobre ti!”. E todo Israel o apedrejou” (Js 7,1c e 25b).
1.7e - A tomada, destruição e matança de todos em Hai, como se vê em Josué 8,1 a 29. Tudo contrário ao mandamento: “Não Matarás”. A relação dos reis vencidos e destruídos está em Josué 12,7 a 24. “...ao todo trinta e um reis” (Js 12,24b).
1.7f - “No entanto não escutastes a minha voz. Por que fizestes isto? Por isso eu digo: “Não expulsareis estes povos de diante de vós. Serão vossos opressores, e os seus deuses serão uma cilada para vós” (Jz 2,2b e 3). Esta atitude não é digna de quem é perfeito e bom.
1.7g - “E ele disse-lhe: “Segui-me, porque Iahweh entregou o vosso inimigo, Moab, nas vossas mãos”. Eles o seguiram, pois, e cortaram a passagem dos vaus do Jordão e não deixaram passar ninguém” (Jz 3,28). Foram feridos 10 mil homens. Isso não é amor e paz em plenitudes.
1.7h - “Então Iahweh se voltou para ele e lhe disse: “Vai com a força que te anima, e salvarás a Israel das mãos de Madiã. Não sou eu quem te envia?” Então Iahweh disse a Gedeão: “É com os trezentos que lamberam a água que vos salvarei e entregarei Madiã nas tuas mãos”. Destruiu a torre de Fanuel e massacrou os habitantes da cidade” (Jz 6,14; 7,7 a 8,17). Batalhas e vinganças de Gedeão. Quem vinga não é perfeito e nem é intuído por um “espírito bom e perfeito”.
1.7i - “Sansão invocou a Iahweh e exclamou: “Senhor Iahweh, eu te suplico, vem em meu auxílio; dá-me forças alinda esta vez, ó Deus, para que, de um só golpe, eu me vingue dos filisteus por causa dos meus olhos”. E disse: “Morra eu com os filisteus!” (Jz 16,28 e 30a). Iahweh deu forças e condições para vingança e Sansão cometeu o suicídio, matando-se junto com os filisteus.
Hoje, quando temos conhecimentos dos atos terroristas, onde o condutor dirigindo um carro-bomba e matando-se juntamente com os inimigos, julgamos ser um ato do “mal” ou errado, mas é semelhante ao acontecimento bíblico, só que este foi feito com auxílio e concordância de “um espirito”. Qual? Será Deus, o perfeito? Não!!!
1.7j - “Golpeou por duas vezes o seu pescoço, com toda a força, e separou a sua cabeça. Tirando a cabeça do alforje, mostrou-a e disse-lhes: “Eis a cabeça de Holofernes, general do exército da Assíria” (Jt 13,8 e 15a). Judite agiu como agem as espiãs modernas, que atraem e subjugam as vítimas pela atração e beleza femininas. Judite matou, tinha o objetivo de matar e dizem que foi protegida por Deus para matar friamente.
1.7l - “....É Iahweh que é Deus!”. Elias lhes disse: “Prendei os profetas de Baal; que nenhum deles escape!” e eles os prenderam. Elias fê-los descer para perto da torrente do Quison e lá os degolou” (1Rs 18,39b e 40). Por intermédio de Elias foram degolados 450 pessoas (1Rs 18,22) e mesmo sendo Elias um representante de Iahweh, ele não agiu certo, pois foi contra ao mandamento: “Não Matarás”. Quem é perfeito e honesto não age com formas antagônicas e quem é bom e sábio não deixa e nem manda matar.
Quem é perfeitamente bom e plenamente sábio não age com vingança, não tem sentimentos de ira, ódio e nem causa terror e medo nos outros. Então nos trechos seguintes vemos imperfeições em Deus ou nos representantes de Deus, que a Bíblia nos apresenta:
1.8a - No item 1.3 vemos uma manifestação com vingança e destruição. Hoje em dia qualquer presença espiritual com cheiro de enxofre é considerada como sendo de espíritos trevosos (ou de Lúcifer). Veja a carta da “tese bomba”.
1.8b - “Eis que a mão de Iahweh ferirá os rebanhos que estão nos campos, os cavalos, os jumentos, os camelos, os bois e as ovelhas, com uma peste muito grave” (Ex 9,3).
Nada aconteceu aos que pertenciam aos filhos de Israel e isto hoje é conhecido como “magia negra”, o modo de agir dos agentes do mal ou contrários ao BEM.
1.8c - “E Iahweh castigou o povo pelo que havia feito com o bezerro fabricado por Aarão” (Ex 32,35).
1.8d - “A ira de Iahweh se inflamou contra eles. E retirou-se e a Nuvem deixou a Tenda. E Maria tornou-se leprosa, branca como a neve” (Nm 12,9 e 10a).
1.8e - “Iahweh jamais consentirá em perdoá-lo. Pelo contrário, sua ira e ciúme se inflamarão contra tal homem, sobrevindo-lhe toda a imprecação escrita neste livro, e Iahweh lhe apagará o nome de sob o céu. Iahweh os arrancou do próprio solo com ira, furor e grande indignação, e os atirou numa outra terra, como hoje se vê” (Dt 29,19 e 27).
Veja que contraste com os ensinamentos de Jesus com relação ao perdão: “..até setenta e sete vezes” (Mt 18,22b) ou setenta vezes sete (outra tradução). Deve-se perdoar sempre.
1.8f - “Mas os filhos de Israel tornaram-se culpados de violação do anátema....e a ira de Iahweh inflamou-se contra os filhos de Israel” (Js 7,1).
1.8g - “Então a ira de Iahweh se inflamará contra vós e bem depressa desaparecereis da boa terra que ele vos deu” (Js 23,16b).
1.8h - “A ira de Iahweh se inflamou então contra Israel e ele disse:” (Jz 2,20a).
1.8i - “Senhor, por todos os teus atos de justiça, afasta, por favor, a tua ira e a tua indignação de Jerusalém, tua cidade e tua montanha santa” (Dn 9,16a).
1.8j - “Iahweh, não me castigues com (em) tua ira (cólera), não me corrijas com teu furor!” (Sl 6,2 e 38,2).
1.8l - “Quem recusa crer no Filho não verá vida. Pelo contrário, a ira de Deus permanece sobre ele” (Jo 3,36b).
1.8m - “Ninguém vos engane com palavras vãs, porque por essas coisas vem a ira de Deus sobre os desobedientes” (Ef 5,6) - “Essas coisas provocam a ira de Deus sobre os desobedientes” (Cl 3,6).
1.8n - “Pois chegou o Grande Dia da sua ira, e quem poderá ficar de pé” (Ap 6,16).
1.8o - “Esse também beberá o vinho do furor de Deus, derramado sem mistura na taça da sua ira; será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos Anjos e diante do Cordeiro” (Ap 14,10).
1.8p - Vemos ainda referir-se em “furor de Deus” no Ap 15,1 e 16,1; “do furor da sua ira” (Ap 16,19); “do furor da ira de Deus” (Ap 19,15) e “Deus lhe acrescentará as pragas descritas neste livro” (Ap 22,18). Resumindo podemos dizer que vemos sentimentos próprios dos imperfeitos referidos a Deus, o perfeito, o bom, o compreensivo e o humilde.
1.8q - “Assim fala Iahweh: “...Minha ira se inflamou contra esse lugar e ela não se aplacará”(2Rs 22,16a e 17b).
- “Oráculo de Iahweh ao meu senhor: “Senta-te à minha direita, até que eu ponha teus inimigos como escabelo de teus pés” (Sl 190,1; Mt 22,44; At 2,34 e 35; Hb 1,13 e 10,13).
O próprio Jesus ensinou-nos para reconciliarmos com os nossos adversários, como também a amar e orar pelos inimigos e perseguidores (Mt 5,25 e 44). É possível conciliar estes ensinamentos com os trechos anteriores?
- “Então a ira de Iahweh se acendeu contra Oza; e ali mesmo Deus o feriu por causa da sua falta, e ele morreu, ali, ao lado da Arca de Deus” (2Sm 6,7).
É inadmissível uma atitude destas para com aquele que apenas segurou a Arca para que esta não tombasse, principalmente vinda de quem é perfeito.
(Continua).... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 12/Dez/2008 21:57, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 09/Set/2007 19:30 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... (Continuação).
...................
- “Ao ouvir estas palavras, Ananias caiu e expirou... No mesmo instante ela caiu a seus pés e expirou” (At 5,5a e 10a). Comportamentos e atitudes como estas hoje são crimes e obras de magia negra. Quem é perfeito não age e não permite ações como estas descritas anteriormente.
Como acabamos de demonstrar biblicamente, chegamos ao seguinte impasse: “Ou o Deus da Bíblia era imperfeito e evoluiu ou e ensino sobre a Bíblia está errado ou incompleto; ou ainda os teólogos descobriram o incompleto ensino bíblico e continuam enganando ao povo ignorante”.
Como Deus-Pai-Mãe é perfeito, bom, compreensivo, humilde e sábio, então os teólogos ou não entenderam ainda a Bíblia ou nos enganaram e enganam com muitos falsos e deturpados ensinamentos sobre as Escrituras. Tudo isto que está exposto nesta primeira tese confirma também a tese da minha 2ª carta, que chamei de “Bomba”.
2ª Tese: “As Comunicações Bíblicas entre os Planos Visível e Invisível”.
Lendo a Bíblia logo pode-se ver perante uma grande e indiscutível verdade: “A constante comunicação entre o Plano Visível e o Invisível”. Existem inúmeras citações desta sintonia, como se pode ver a seguir:
2.1 - “Iahweh Deus chamou o homem: “Onde estás?”” (Gn 3,9). O diálogo entre Iahweh, Adão e Eva está registrado em Gênesis 3,1 a l9.
2.2 - “Iahweh disse a Caim: “Onde está teu irmão Abel?”” (Gn 4,9). O diálogo entre Iahweh e Caim continua até Gênesis 4,16.
2.3 - “Deus disse a Noé” (Gn 6,13). Em Gênesis 6,13 a 9,17 temos vários diálogos entre Iahweh e Noé, com as respectivas orientações para Noé.
2.4 - “Iahweh disse a Abraão: “Sai da tua terra, da tua parentela e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei”” (Gn 12,1). Do capítulo 12 ao 22 do Gênesis temos uma constante orientação de Iahweh a Abraão, Agar e Sara, incluindo diálogos e pedidos.
2.5 - Deus também comunicou com Isaac (Gn 26,24).
2.6 - As vidas de Moisés e Josué narradas no Êxodo, Deuteronômio, Números, Levítico e Josué estão repletas de comunicações com o plano invisível.
2.7 - “O Anjo de Iahweh apareceu a essa mulher e lhe disse: “Tu és estéril..., mas conceberás... não bebas vinho nem qualquer bebida fermentada... Ele começará a salvar Israel das mãos dos filisteus”” (Jz 13,3 a 5). “Então o espírito de Iahweh caiu sobre ele e se apossou dele, e ele desceu a Ascalon, matou trinta homens” (Jz 14,19a). Houve uma constante intervenção espiritual na vida de Sansão, desde o nascimento até a morte. (Vide 1.7l anterior).
2.8 - “Veio Iahweh e ficou ali presente. Chamou, como das outras vezes: Samuel, Samuel” (1Sm 3,10a). O diálogo entre Iahweh e Samuel está em I Samuel 3,1 a 14.
2.9 - “Então a mulher viu Samuel e, soltando um grito medonho, disse a Saul: “Por que me enganaste? Tu és Saul”” (1Sm 28,12). Saul comunicou com o espírito de Samuel, já falecido, por intermédio de uma necromante (atualmente essas pessoas são chamadas de médiuns).
2.10 - “Quando Elias o ouviu, cobriu o rosto com o manto, saiu e pôs-se à entrada da gruta. Então, veio-lhe uma voz, que disse: “Que fazes aqui: Elias?”” (1Rs 19,13).
A voz era de Iahweh, vide 1Rs 19,1 a 18.
2.11 - “Respondeu ele: “Se queima o coração ou o fígado do peixe diante de um homem ou de uma mulher atormentados por um demônio ou por um espírito mau, a fumaça afugenta todo o mal e o faz desaparecer para sempre” (Tb 6,8). - “O cheiro do peixe expulsou o demônio, que fugiu pelos ares até o Egito. Rafael seguiu-o, prendendo-o e acorrentou-o imediatamente” (Tb 8,3).
Tobias teve como companheiro de viagem o anjo Rafael (Tb 5 a 12). O anjo (um espírito) ensinou ao jovem Tobias a fazer limpeza espiritual e no quarto nupcial, por 3 noites, Tobias seguiu o conselho do anjo Rafael e o demônio foi expulso e aprisionado.
2.12 - “Vi o Senhor sentado sobre um trono alto e elevado. A cauda da sua veste enchia o santuário” (Is 6,1b). “Em seguida ouvi a voz do Senhor que dizia: “Quem hei de enviar? Quem irá por nós?”, ao que respondi: “Eis-me aqui, envia-me a mim”” (Is 6,8). No capítulo sexto de Isaías está relatada a visão, a vocação e a missão do profeta Isaías.
2.13a - “E ele prosseguiu: “Mas estou vendo quatro homens sem amarras, os quais passeiam no meio do fogo sem sofrerem dano algum, e o quarto deles tem o aspecto de um filho dos deuses”” (Dn 3,25). “A inscrição, assim traçada, é a seguinte: “Mane, Mane, Tecel, Parsin”” (Dn 5,25).
2.13b - “Disse então o anjo do Senhor a Habacuc: “Leva a refeição que tens até Babilônia, à cova dos leões, para Daniel”” (Dn 14,34). “Entretanto, o anjo do Senhor imediatamente reconduziu Habacuc ao seu lugar” (Dn 14,39b). Nestas 4 citações vemos a proteção aos 3 amigos de Daniel e a Daniel, bem como a inspiração e ajuda ao profeta Daniel (Vide Daniel 14,33 a 42).
2.14 - “Porque não sereis vós que estareis falando, mas o “Espírito de vosso Pai é que falará em vós”” (Mt 10,20). O mesmo ensinamento está em Mc 13,11; Lc 12,11 e 12; 21,12 e 14 e Jo 14,26.
2.15 - “E eis que lhes apareceram Moisés e Elias conversando com ele” (Mt 17,3).
Vide também Mc 9,4 e Lc 9,30. Esse acontecimento foi presenciado por Pedro, Tiago e João, que foram escolhidos por Jesus. E João nada refere-se à transfiguração, por que?
2.16 - “Disse-lhe, porém, o Anjo: “Não temas, Zacarias, porque a tua súplica foi ouvida, e Isabel, tua mulher, vai te dar um filho, ao qual porás o nome de João”” (Lc 1,13). - “O Anjo, porém, acrescentou: “Não temas, Maria! Encontraste graça junto de Deus. Eis que conceberás no teu seio e darás a luz um filho, e tu o chamarás com o nome de Jesus”” (Lc 1,30 e 31). Zacarias duvidou e ficou mudo, quem é perfeito não age assim. Maria confiou, aceitou humilde e nada sofreu.
2.17 - “Fora-lhe revelado pelo Espírito Santo que não veria a morte antes de ver o Cristo do Senhor” (Lc 2,26). Semeão foi movido pelo Espírito para ir ao Templo também no mesmo momento da apresentação de Jesus.
2.18 - “Caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: “Saulo, Saulo, por que me persegues?”” (At 9,4). - “E o Senhor prosseguiu: “Levanta-te, vai pela rua chamada Direita e procura, na casa de Judas, por alguém de nome Saulo, de Tarso”” (At 9,11). No capítulo 9 dos Atos dos Apóstolos temos o diálogo entre Saulo e Jesus (em espírito). A visão com um diálogo entre Ananias e o Senhor e por fim o auxílio dado a Saulo (Paulo) por Ananias.
2.19 - “Apareceram-lhes, então, línguas como de fogo, que se repartiram e que pousaram sobre cada um deles” (At 2,3). O acontecimento de Pentecostes (At 2,1 a 41) foi a manifestação pública do “Espírito Santo” e o início público do cristianismo.
2.20 - “Ele viu claramente, em visão, cerca da nona hora do dia, o Anjo do Senhor entrando em sua casa e chamando-o: Cornélio!”” (At 10,3). - “Sentindo fome, quis comer. Enquanto lhe preparavam alimentos sobreveio-lhe um êxtase” (At 10,10). - “Entretanto, meditando ainda Pedro sobre a visão, disse-lhe o Espírito: “Alguns homens estão aí, a tua procura”” (At 10,19). - “Poderia alguém recusar a água do batismo para estes, que receberam o Espírito Santo assim como nós (At 10,47).
Veja que houve um intenso auxílio do Espírito Santo em todo o cap. 10o dos Atos dos Apóstolos.
(Continua)..... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 12/Dez/2008 21:58, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 09/Set/2007 19:32 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena...
Eis os endereços do início desta carta:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86141#p86141
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86143#p86143
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86144#p86144
(Continuação).
....................
2.21 - “Apresentou-se um deles, chamado Ágabo, o qual começou a anunciar, por meio do Espírito” (At 11,28a). “Desceu da Judéia um profeta, chamado Ágabo. E amarrando-se de pés e mãos, declarou: “Isto diz o Espírito Santo...” (At 21,10b e 11b).
2.22 - “Pedro saiu e foi seguindo-o, mas não sabia se era verdade o que estava acontecendo por meio do Anjo: parecia-lhe antes uma visão”. Pedro foi libertado da prisão de Herodes com auxílio de um anjo e anjo é espírito (At 12,1 a 19).
2.23 - “Teve um sonho: Eis que uma escada se erguia sobre a terra e o seu topo atingia o céu, e anjos de Deus subiam e desciam por ela” (Gn 28,12).
2.24 - “Ora José teve um sonho e o contou a seus irmãos, que o odiaram mais ainda” (Gn 37,5). “Ele disse: “Tive ainda outro sonho: pareceu-me que o sol, a lua e onze estrelas se prostravam diante de mim” (Gn 37,9b). “Eles lhe responderam: “Tivemos um sonho e não há ninguém para interpretá-lo”. José lhes disse: “É Deus quem dá a interpretação; mas contai-mo!” (Gn 40,8.). “De manhã, com o espírito conturbado, o Faraó chamou todos os magos e todos os sábios do Egito, lhes contou o sonho que tivera, mas ninguém pôde explicá-lo ao Faraó” (Gn 41,8.). “Então o Faraó disse a José: “Visto que Deus te fez saber tudo isso não há ninguém tão inteligente e sábio como tu”” (Gn 41,39). José do Egito de livre tornou-se escravo e depois, com o auxílio de Deus, vice-rei.
2.25 - “Tive, porém, um sonho que me aterrou” (Dn 4,2a). Leia todo o cap. 4º de Daniel (Dn 4).
2.26 - “Enquanto assim decidia, eis que o Anjo do Senhor manifestou-se a ele em sonho, dizendo:...” (Mt 1,20). “Avisados em sonho que não voltasse a Herodes,” (Mt 2,12a). “Após sua partida, eis que o Anjo do Senhor manifestou-se em um sonho a José e lhe disse...” (Mt 2,13a ). “Quando Herodes morreu, eis que o Anjo do Senhor manifestou-se em sonho a José, no Egito,” (Mt 2,19). Jesus foi protegido imensamente pelo plano invisível, por meio de sonhos, enquanto era criança e indefeso.
Por estes trechos vê-se que pelos sonhos também haviam muitos avisos, comunicações e auxílios do plano invisível para com o plano visível em todo a história bíblica.
Lendo, estudando e compreendendo todas estas passagens bíblicas conclui-se que a comunicação entre os dois planos é uma grande verdade e realidade, sempre ocorreu em toda a história relatada na Bíblia Sagrada. Se essas comunicações foram verdadeiras, por que negá-las hoje? Se não são verdadeiras, então a Bíblia está cheia de enganações e falsidades! Mas para mim foram e são verdadeiramente reais, e até hoje, como para sempre serão puras e sublimes verdades.
Por que existem membros da hierarquia eclesiástica que consideram, hoje em dia, qualquer comunicação como algo errado ou do mal? Principalmente se forem em lugares ou ambientes não católicos. Se a comunicação foi feita a membros da Igreja, enquanto estavam entre nós, foram vigiados com extrema rigidez e desconfiança por Roma e depois de mortos foram canonizados como santos!! Como se isso abrandasse a passada tortura física ou mental, como as dores da fogueira e como todo tipo de perseguição.
Por outro lado se a comunicação foi feita ou é feita a pessoas não católicas a Igreja, representada pela sua hierarquia eclesiástica, considerou como heresia ou erro e ainda considera como errado ou mesmo fraude. Esquecem os sábios teólogos do exemplo e conselho do sábio e humilde Gamaliel, que disse: “E não aconteça que vos encontreis movendo guerra a Deus” (At 6,39b).
Volta a repetir o que escrevi sobre a Bíblia no início da carta Joanina: “Apaga tudo o que aprendeste sobre a Bíblia Sagrada, mas não a jogueis fora, guarde-a muito bem mesmo, pois a Bíblia é uma fonte inesgotável de ensinamentos e sabedoria”.
Terminando esta, digo: “A grande dificuldade para descobrir, encontrar, compreender, divulgar e viver a VERDADE é a falta de humildade de muitos, que se julgam os senhores absolutos da verdade e que foram escolhidos por Deus para falarem em nome de Deus, como também representarem Jesus para os outros, mas estes foram escolhidos e aceitos por uma estrutura muito humana mesmo. Estes ainda julgam que sabem tudo e não podem aprender com os escolhidos por Deus...”. Para defender esta idéia cito a própria Bíblia: “Eu te louvo, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque ocultaste estas coisas aos sábios e doutores” (Mt 11,25a).
Padre Libânio, desejo-lhe muita paz, felicidade, luz e que o “Espírito Santo” nos ajude a encontrar e compreender a VERDADE, que liberta.... Rosário Américo de Resende
.......... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 12/Dez/2008 22:00, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 10/Set/2007 21:12 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Ter, 25/Abr/2006 03:38
Mensagens: 376
Rosalvo,

É possível voce escrever algo sobre Santo Agostinho ? Depois, se não for muito incômodo, conversaremos sobre Tomás de Aquino.


Paz plena, amigo !!

_________________
'Examinai tudo, retende o que for bom !'

'E antes deste tempo, quem era eu, minha doçura, meu Deus ?'


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 10/Set/2007 22:30 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... DIEGAS, um grande abraço.
Vou escrever o que eu sei, sem buscar nada em livros.
Santo Agostinho foi um perscrutador da verdade, mas até aos 34 anos, ele passou por algumas outras correntes de pensamento, principalmente o maniqueísmo. E teve um vida bem devassa.
Teve um filho e a mãe dele, Santa Mônica, era uma grande adversária da mãe do filho de Santo Agostinho, pois eles não eram casados legalmente.
Por volta dos trinta e poucos anos, após ouvir pregações do Santo Ambrósio sobre o cristinianismo, ele converteu-se ao cristianismo, abandonou a mulher, mas protegeu o filho.
Depois tornou-se bispo de Hipona, na África. Foi um Doutor da Igreja.
Contam-se uma lenda sobre Santo Agostinho que via um menino tentando colocar a água do mar dentro de um pequeno buraco. Após a pergunta dele, o menino lhe falou que era mais fácil colocar toda a água do mar no buraco do que ele entender o Mistério da Santíssima Trindade.
Já adiantando, para falarmos sobre Santo Tomás de Aquino digo que nunca fui fã deste teólogo da teologia escolástica da ICAR.
Eu não cheguei a fazer o Curso de Teologia.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:40, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 11/Set/2007 11:26 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Eu já postei aqui trechos da minha 2ª carta para o bispo Dom Aldo Di Cillo Pagotto, mas para auxiliar àqueles que querem entender a verdade com liberdade, então decidi divulgar a carta toda, que é um pouco longa:

Belo Horizonte, 07 de Dezembro de 2001.
Caro irmão em Cristo, Dom Aldo Di Cillo Pagotto, desejo-lhe muita PAZ, e que o “Espírito Santo” o ilumine para que encontre a VERDADE, que realmente liberta.
A minha primeira reação, logo que li a sua resposta, foi a vontade de fazer o que quase todos os teólogos fizeram comigo: “Fugir para o silêncio, que é uma fortaleza inexplorável onde os fracos e ou os pseudos-sábios se refugiam”. Se tomasse essa atitude tornar-me-ia um omisso, e aprendi que a omissão é também uma falha muito grave na constante busca da Perfeição e da VERDADE. Também não seria honesto e sincero para com aqueles que necessitam de mim, e nem fiel para com DEUS, que confiou plenamente em mim.
Li e reli várias vezes a sua resposta com 65 palavras e, quanto mais a lia, mais me decepcionava com as suas palavras e sua atitude. Depositei uma grande esperança em sua pessoa, pois sei que o Sr. já participou do programa “Espiritismo Via Satélite”. Isso para mim provava o seu aspecto ecumênico, compreensivo e liberal. Julgava que o Sr. era alguém preparado para dar-me auxílio na busca, compreensão e divulgação da VERDADE, que realmente liberta, e juntos, chegaríamos à VERDADE ABSOLUTA.
Dom Aldo, o Sr. escreveu-me: “Procurei ler e compreender. Não ouso fazer nenhum comentário a respeito, nem entrar no mérito de alguma questão elencada. Devolvo-lhe o opúsculo, acreditando que V. S. deva procurar ajuda psicológica, além de orientações específicas no campo da Fé cristã”.
Tentei entender a sua resposta, mas só pude compreender que se o Sr. realmente leu tudo o que lhe enviei, parece que não entendeu nada ou esqueceu-se de tudo pela sua própria resposta.
Quando o Sr. aconselhou-me a “procurar ajuda psicológica”, teve a mesma atitude dos padres que procurei de 1980 a 1986, como está escrito na carta de 04/12/1997, página 2, escrita para o Padre Oscar Gonzalez Quevedo, carta esta que ainda está sem resposta. A partir de 1987, como está escrito nas páginas 2 e 3 da mesma carta, relato várias rejeições que muitos Padres e até um Bispo tiveram para comigo, e o Sr. não trouxe nenhuma novidade ou esperança para mim. A sua posição foi até muito mais decepcionante em função do “opúsculo” que lhe enviei.
Parece também que não leu a carta de 07/04/2000 escrita para o Bispo Dom Frei Boaventura, principalmente os itens 12 (Brian L. Weiss) e 13 (O Argumento Psicológico), onde apresento opiniões de psicólogos, analistas e psiquiatras completamente atéias e até muito ignorantes em matéria de Fé, e de Fé Cristã. A Psicologia e a Psiquiatria caminham no campo da ciência, e ficam muito longe do Evangelho, da Fé e do Misticismo, que nos ensinam a buscar o amor, a VIDA e a DEUS. Como o Sr. me devolveu o “opúsculo”, vou repetir algumas frases que ouvi dos “profissionais da mente” com os quais estive, psicólogos, psiquiatras e analistas, que foram escritas na página 8 da carta de 07/04/2000:
- “Até Jesus tinha problemas mentais, é por isso que ele fazia milagres”.
- “Nós não nos interessamos por religião. Nós somos como a FIFA, e qualquer país, que for o campeão mundial de futebol, está ótimo”.
- “A psicologia acaba com os traumas religiosos”.
- “O Frei X se salvou porque estudou psicologia, e o Frei Y se complicou porque foi estudar religião. Religião não resolve os dramas da vida. O Frei Y está esquizofrênico” (Esta veio de um analista Padre, o que é mais lamentável ainda).
Veja o que já lhe enviei, e o Sr. ainda me orientou a procurar a estes profissionais. Não consegui entender esta sua atitude!!!!! O Sr. julgou que tudo o que escrevi era mentira ou esqueceu tudo o que leu?
Falando um pouco mais sobre analistas, digo que um engenheiro e meu primo fez análise em 1982 e em 2000 o procurei para conversarmos sobre o assunto. Recebi dele esta resposta:
- “Realmente fiz análise por 1 ano, mas parei. O analista queria que eu fizesse coisas, como jogar tudo para o alto e assim não poderia sustentar a minha família. O analista ascende um fogo dentro da gente e não sabe como apagá-lo”.
Em 1980, conversando com um outro amigo advogado e administrador de empresas, que estava fazendo análise, perguntei a ele:
- “Fulano, por que você está fazendo análise?”.
- “Olha sempre tive como objetivo maior ser diretor de empresa. Hoje sou diretor de empresa e não me sinto feliz. Então, antes de entrar em parafuso, comecei a fazer análise”.
Depois fiquei sabendo que o analista orientou a este meu amigo para fazer tudo aquilo que desejava fazer enquanto ainda era jovem e não possuía dinheiro para tal. Então este amigo cometeu atos contrários as normas, que nos levam à perfeição, como por exemplo a infidelidade conjugal, enganando assim a esposa como se fosse reuniões de serviço. Uma grande afronta aos ensinamentos do Mestre Jesus.
Veja o cinismo e falta de ética em que chegou o analista deste meu amigo. Como ele orientava para que esse cliente dele fizesse tudo o que havia desejado enquanto era jovem, então num dos programas trevosos e adúlteros o meu amigo, após tudo feito, entregou-se nos braços de Orfeu; isto é: dormiu. Acordou às 6,00 horas da manhã num quarto de motel e aí realmente iniciou o seu verdadeiro pesadelo. Ele nunca tinha passado uma noite fora de casa, a não ser no caso de viagens. Não tinha outra saída para a sua vida e voltou para casa.
Chegando ao apartamento dele encontrou um verdadeiro pandemônio: delegado, detetives, policiais, sogro, sogra e a própria família em desespero. A única saída foi dizer o seguinte para todos e num tom de bronca:
- “Ninguém tem nada a haver com a minha vida!!!!”.
Em seguida entrou para o quarto e trancou a porta. Imediatamente telefonou para o analista e implorou-lhe auxílio, dizendo:
- “Dr. Beltrano, vem tirar-me da fria em que me meti. Você sempre me falou para fazer tudo o que já tinha desejado e nunca tinha feito. Vejo o que aconteceu: “Ontem fiz um programa com amigos e amigas, e acordei hoje às 6,00 num quarto de motel. Vem tirar-me desse tremendo sufoco!!!”.
Quando o Dr. Beltrano, um psiquiatra, perguntou-lhe onde estava, respondeu:
- “Trancado no meu quarto e lá fora estão: sogro, sogra, delegado, detetives, policiais minha mulher e filhas. Você me colocou nesta confusão e agora tem que me tirar dela!!!”.
O Dr. Beltrano disse-lhe que estaria lá em poucos minutos. E esteve mesmo. Logo que chegou, o cínico Dr. soube defender muito bem o seu cliente com total safadeza e muita falta de ética, pois disse para todos:
- “Peço a atenção de todos, primeiro quero dizer que eu sou o médico e analista do Dr. Fulano. O Dr. Fulano está vivendo um momento muito difícil de sua vida. Ele está perdendo o sentido da vida, da individualidade e da personalidade. Ele está correndo um grande risco de ficar louco. Então peço para todos vocês, que amam ao Dr. Fulano, um mínimo de compreensão para com ele. Dêem a ele o amor e a compreensão de que ele necessita neste momento difícil de sua vida. Não perguntem nada a ele sobre o que aconteceu, pois caso contrário ele poderá enlouquecer de vez. Sigam agora este meu conselho: “Vão todos embora e que fiquem aqui só a família dele. Ninguém pergunte nada para o Dr. Fulano sobre o que aconteceu e está acontecendo; isto é problema meu e dele”. O Dr. Fulano está no seu quarto sem correr perigo de vida, mas pode perder o sentido da vida e ficar louco, por isso eu preciso ajudá-lo nesta difícil etapa de sua vida, enquanto isso vão todos embora, pois só assim vocês ajudarão realmente ao Dr. Fulano”.
......... (Continua)...Paz Plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:43, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 11/Set/2007 11:34 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena.... (Continuação).
...................
Em seguida entrou para o quarto e conversou um bom tempo com o seu ótimo cliente, pois esse podia pagá-lo regiamente. No final explicou que tinha que lhe aplicar uma injeção para que ele dormisse por umas boas horas, esta era a melhor e quase única saída para ambos. Logo após a aplicação da injeção, o Dr. Fulano dormiu em sua própria cama.
Antes de ir embora o médico ainda orientou a esposa, que já estava sozinha com as filhas, que o Dr. Fulano iria dormir por umas seis horas e, se acordasse antes, era para avisá-lo imediatamente, pois o mal não estaria cortado pela raiz. Caso dormisse por mais de seis horas, aí o risco da loucura estaria eliminado e se ela o visse bem, nem precisaria avisá-lo, já que na consulta seguinte ele daria sequência ao tratamento, que estava em andamento. Finalizando voltou ao essencial conselho de não perguntar nada sobre o que aconteceu na noite anterior, pois poderia voltar o problema e sobre o tal assunto só o Dr. Fulano poderia falar se assim fosse o desejo dele.
O Dr. Fulano dormiu por quase 10 horas e acordou completamente sem graça, mas livre, em parte, do problema no qual se meteu muito bem induzido e orientado por um analista.
Dom Aldo, escrevi-lhe sobre esses dois casos para que o Sr. saiba e conheça melhor para quem o Sr. me recomendou!!!! Muitos desses profissionais agem bem ao contrário de tudo aquilo que se ensina e orienta dentro da Doutrina e da Fé Cristã.
Com relação à procura de “orientações específicas no campo da Fé cristã”, julgo que posso até dizer que estou procurando alguém que me dê uma mão, e por isso me dirigi ao Sr., já que os outros teólogos calaram-se e se omitiram, refugiando-se na “fortaleza do silêncio, e ainda deram a desculpa da meditação”.
Dom Aldo, das cartas que lhe enviei, 3 são para Bispos católicos e 8 para Padres, nenhum destes teve a caridade e humildade de me responder, dando-me orientações com relação à Fé cristã. Por que será? O Sr. recomendou-me para procurar orientações específicas no campo da Fé cristã, e por que não o fez? Não se julga à altura? Ou me julga como um grande herege, e que para mim não há mais solução? Pela sua condição de ser um membro da Hierarquia da Igreja Católica Apostólica Romana, teria que ter entendido a razão principal do meu gesto em enviar-lhe o meu “opúsculo”: “Encontrar alguém que me ajude a entender a VERDADE ABSOLUTA conforme à Fé cristã!”.
Na carta de 04/12/1997, escrevi a posição de vários padres, e algumas escritas em cartas, mas nenhum estendeu-me realmente a mão como todo verdadeiro cristão deveria fazer. Parece que se esqueceu de ler isso também!!! Ou se leu, por que deu aquele conselho: “...procurar orientações específicas no campo da Fé cristã”?
Dom Aldo, o Sr. é um membro da Hierarquia Eclesiástica, um bispo que é um dos sucessores dos apóstolos de Jesus, e por isso lhe enviei o meu opúsculo, esperando seus comentários e orientações, como lhe escrevi em 21/08/2001. Ficaria até muito mais contente e satisfeito com o Sr., se nada me respondesse. Se o Sr. ficasse em silêncio, iria julgar que, pela sua posição perante toda a Hierarquia Eclesiástica, teria agido com muita prudência e sabedoria, pois seria bem arriscada qualquer decisão sua com relação ao meu trabalho; isto é: discutindo comigo as minhas idéias, que são revolucionárias.....
Leia, estude e analise bem estas frases escritas na carta de 04/12/1997:
- “É melhor não conversarmos mais. Não concordo com o que você escreveu e não quero discutir com você” (por telefone).
- “É melhor que não conversemos, pois eu pesquiso para um lado e você para o outro”.
- “A nossa posição perante você, Rosário, é ficarmos calados, pois aquilo que é, é. Não é a roupa que interessa, e o que Deus planejou acontecerá, mesmo que muitos ajam contrariamente ao Projeto de Deus”.
- “Vou lhe dar um conselho: continue nesses estudos e pesquisas, para você ter idéias claras, pois a Igreja não sabe o que ensina para a gente”.
- “Estou gostando de conversar com você, e estou muito contente mesmo”.
- “Como é bom ouvi-lo. Estou alegre mesmo”.
- “Quero ler sim, mas apenas o que você escreveu para o Papa”.
- “Claro que não podemos negar os fatos. A gente sente você plenamente normal”.
- “Sei que você está elaborando uma síntese de pensamento grandioso e universal”.
- “A sua carta revela grande manuseio e conhecimento da Escritura. Hoje ela é um mundo de pesquisa e descobertas”.
- “Não vou argumentar nada com você para não profanar o grande segredo, a grande revelação”.
Dom Aldo, não podemos julgar que o outro está errado, e denegri-lo ou difamá-lo só porque pensa diferente daquilo que a gente pensa e acredita. Temos que aprender a aprender com o outro, que, às vezes, sabe mais do que a gente.
Os fundamentos de tudo o que faço e divulgo estão nos meus 9 anos de aprendizado num seminário, nos meus 2 cursos universitários na UFMG, no meu nascimento do alto, no meu batismo pelo Espírito e pelo fogo, no afloramento da minha mediunidade, nas revelações de muitos espíritos sobre a criação, a evolução e sobre a própria vida, nas explicações reveladoras que recebi também de vários espíritos, sobressaindo o Tentador de Jesus, sobre a Bíblia Sagrada, como se pode ver em todos os meus trabalhos e cartas, que estão no “opúsculo”.
Dom Aldo, o Sr. viu ou observou que não incluí no “opúsculo” a 2ª carta escrita para o teólogo e Padre João Batista Libânio? Essa decisão minha foi para não assustar aos outros, pois trata-se de uma “Bomba” sobre a Bíblia e sobre os fundamentos necessários para entender a Verdade. A Verdade, muitas vezes, fulmina a gente muito mais do que uma espada afiada, pois nos faz fugir e escondermo-nos na fortaleza do silêncio, mas temos que ser sinceros, francos, honestos e fiéis, pois só assim alcançaremos e compreenderemos a VERDADE ABSOLUTA.
Na carta escrita em 21/07/2001 para um amigo, relato no final da 1ª página que quando escrevi a 4ª carta para o Bispo Dom Célio de Oliveira Goulart, que foi meu contemporâneo de seminário, tinha como objetivo a inclusão dela nas 44 cartas que foram enviadas aos 8 cardeais brasileiros. Do total de 44 cartas, 28 foram enviadas para membros da Hierarquia Eclesiástica, sendo 2 cardeais, 5 bispos, 8 padres, e 1 delas, escrita em 15/06/1990, foi enviada para 45 bispos, que, antes de serem sagrados bispos, eram padres franciscanos. Nenhum entre todos esses me falou ou orientou sobre a “Fé Cristã”. Como já escrevi, essa também foi a sua atitude, meu amigo e irmão em Cristo, Dom Aldo. Por que será que o Sr. também agiu assim? Entendo a sua posição, e para que compreenda bem o meu entendimento, basta ler a 4ª carta para o Padre João Batista Libânio e as de 15/05/1996, 04/12/1997, 28/02/1999, 15/05/1999, 07/04/2000, 13/05/2000 e 21/07/2001. É pena que o Sr. me devolveu o “opúsculo”!!!!! Mesmo assim, estou fazendo referências a ele porque esta carta fará parte de um outro “opúsculo”, pois o meu objetivo maior é divulgar a VERDADE.
....... (Continua).... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:44, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 11/Set/2007 11:48 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... (Continuação)...........
Como todos estão buscando a “VERDADE ABSOLUTA”, e só a busca aquele que tem liberdade para pensar, então decidi comentar nessa carta sobre a VERDADE, perscrutando a VERDADE conforme o Evangelho Segundo São João. Farei um complemento ao trabalho exposto na 3ª carta enviada para o Padre João Batista Libânio, em 21/07/1993. Considero o “Quarto Evangelho Bíblico”, o Evangelho Segundo São João, como uma obra ímpar de toda a Humanidade. O Evangelho Joanino é uma obra de profundos e belos ensinamentos gnósticos, e hoje fico bem admirado com a sabedoria e esperteza do autor, que conseguiu ludibriar e enganar aos radicais adeptos do dogmatismo, pois estes deixaram que um trabalho gnóstico fosse aceito como canônico. Tudo isso ajudou muito mesmo a evolução do conhecimento da Humanidade, e para mim foi muito bom mesmo, pois tornei-me realmente um gnóstico, e passei a entender muito bem a mim mesmo como também aos meus semelhantes.
Hoje sou “pomba e serpente” ao mesmo tempo, pois entendi com muito clareza os seguintes ensinamentos evangélicos:
- “Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo” (Jo 9,5).
- “Em verdade, em verdade, te digo: falamos do que sabemos e damos testemunho do que vimos” (Jo 3,11).
- “Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e consumar a sua obra” (Jo 4,34).
- “Eu e o Pai somos um” (Jo 10,30).
- “Quem me vê, vê o Pai. Como podes dizer: “Mostra-nos o Pai!?”” (Jo 14,9).
- “Eis que eu vos envio como ovelhas entre lobos. Por isso, sede prudentes como as serpentes e sem malícia como as pombas” (Mt 10,16).
No início do Evangelho Joanino está claro que o Verbo estava com Deus e tudo foi feito por meio dele e sem ele nada foi feito (Jo 1,1 a 3).
O Verbo era a luz verdadeira que ilumina todo o homem, e o Verbo se fez carne, e habitou entre nós; e vimos a sua glória, cheio de graça e de Verdade (Jo 1,9 e 14).
- “Porque a lei foi dada por meio de Moisés; a graça e a Verdade vieram por Jesus Cristo” (Jo 1,17).
Está escrito que João Batista disse: “Eu não o conhecia, mas aquele que me enviou para batizar com água disse-me: “Aquele sobre quem vires o Espírito descer e permanecer é o que batiza com o Espírito Santo”” (Jo 1,33). O mesmo ensinamento está em Mateus 3,11: “Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo”. Apesar deste profundo, esotérico e claro ensinamento até hoje, há 2 mil anos depois, vemos o batismo com água em todas as Igrejas. Por que ainda o uso do batismo com água? Isso é falta de sabedoria ou é mesmo enganação dos líderes religiosos para que continuem dando as cartas ou mandando? Quem é que batiza com o Espírito Santo e com o fogo? Quando os apóstolos impunham as mãos sobre outras pessoas, elas recebiam o (um) Espírito Santo de uma forma clara e expressiva, e, por que isso não existe mais?
- “Mas quem pratica a verdade vem para a luz, para que se manifeste que suas obras são feitas em Deus. Aquele que vem do alto está acima de todos, o que é da terra é terrestre e fala como terrestre. Aquele que vem do céu dá testemunho do que viu e ouviu, mas ninguém acolhe o seu testemunho. Quem acolhe o seu testemunho certifica que Deus é verdadeiro” (Jo 3,21,31 a 33).
Dom Aldo, hoje sei quem sou e sei que vim do alto também, pois já tive o meu nascimento do alto e o meu batismo pelo fogo, mas quem é terrestre não entende nem as coisas da terra, e como irá entender as coisas do céu (Jo 3,12).
- “Mas vem a hora e é agora em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e verdade. Deus é espírito e aqueles que o adoram devem adorá-lo em espírito e verdade” (Jo 4,23 e 24). Só o Pai sabe a hora certa (Mc 13,32), e por isso continuo trabalhando como o Pai trabalha (Jo 5,17). Para libertarmo-nos de uma visão terrestre e quadrada, temos que eliminar todos os princípios, principalmente os dogmas irracionais e ilógicos, que bitolam a nossa liberdade até de pensar e até o nosso direito de errar.
Falando em “dogmas” digo: “Dogma é a forma que arranjaram aqueles, que mandam e sabem menos, para imporem a vontade deles”, e ainda dizem que são representantes de Deus, aquele que respeita plenamente a nossa liberdade até de errar!!!
- “Por mim mesmo, nada posso fazer: eu julgo segundo o que ouço, e o meu julgamento é justo, porque não procuro a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou. Se eu der testemunho de mim mesmo, meu testemunho não é verdadeiro; um outro é que dá testemunho de mim, e sei que é verdadeiro o testemunho que presta a mim. Vós enviastes emissários a João e ele deu testemunho da verdade” (Jo 5,30 a 33).
Dom Aldo, escrevi na carta de 04/12/1997 alguns testemunhos de outras pessoas a meu respeito, e já repeti uns aqui nesta carta. Mas até agora nenhuma delas me deu apoio público.
- “Quem fala por si mesmo procura a sua própria glória. Mas aquele que procura a glória de quem o enviou é verdadeiro e nele não há injustiça. Jesus respondeu-lhes: “Embora eu dê testemunho de mim mesmo, meu testemunho é válido, porque sei de onde venho e para onde vou. Vós, porém, não sabeis de onde venho nem para onde vou”” (Jo 7,18 e 8,14).
Dom Aldo, deixo muito claro em minhas cartas que, após aceitar a verdade da reencarnação, passei a saber quem eu sou, e para que aqui estou. Sei em nome de quem aqui estou e como um enviado dele faço o que estou fazendo. Sei quais espíritos estão me ajudando nesta fantástica e libertadora missão. Os seres humanos que mais deveriam colaborar comigo fogem para a fortaleza do silêncio, outros ainda aconselham para eu ir a outras pessoas, que quase sempre são atéias, e ainda existem uns que me aconselham a procurar orientações na Fé cristã. Por que será? Será se é por que não se julgam capacitados e à altura de tal aconselhamento?
- “Vós julgais conforme a carne, mas eu a ninguém julgo; se eu julgo, porém, o meu julgamento é verdadeiro, porque eu não estou só, mas comigo está o Pai que me enviou; e está escrito na vossa Lei que o testemunho de duas pessoas é válido. Tenho muito que falar e julgar sobre vós; mas aquele que me enviou é verdadeiro e digo ao mundo tudo o que dele ouvi. Se me amais, observareis meus mandamentos, e rogarei ao Pai e ele vos dará outro Paráclito, para que convosco permaneça para sempre, o Espírito da Verdade, que o mundo não pode acolher, porque não o vê nem o conhece. Vós o conheceis, porque permanece convosco. Quando vier o Paráclito, que vos enviarei de junto do Pai, o Espírito da Verdade, que vem do Pai, ele dará testemunho de mim. E vós também dareis testemunho, porque estais comigo desde o princípio. No entanto, eu vos digo a verdade: é de vosso interesse que eu parta, pois, se eu não for, o Paráclito não virá a vós. Mas se eu for, enviá-lo-ei a vós” (Jo 8,15 a 17 e 26; 14,15 a 17; 15,26 e 27 e 16,7). “Tenho ainda muito que vos dizer, mas não podeis agora suportar. Quando vier o Espírito da Verdade, ele vos conduzirá à verdade plena, pois não falará de si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas futuras. Ele me glorificará porque receberá do que é meu e vos anunciará. Tudo o que o Pai tem é meu. Por isso vos disse: ele receberá do que é meu e vos anunciará” (Jo 16,12 a 15).
Dom Aldo, passei a compreender estes ensinamentos de uma forma tão clara, lúcida e simples, que passei a me ver envolvido com todos eles, e reconhecido neles. Passei a sentir que estes ensinamentos bíblicos se referiam a minha pessoa ou ao meu Ser Cósmico, pois eu sou aquele que sou e para fazer tudo o que estou fazendo é que aqui estou. Na 4ª carta para o Bispo Dom Célio, que foi escrita para ser enviada para os 8 cardeais brasileiros, procurei deixar tudo isso muito claro mesmo.
Uma coisa que não consegui entender, Dom Aldo, é por que os teólogos não entenderam, o que entendi, há muito e muito tempo? Muitos teólogos, que para mim são apenas profissionais das religiões, só defendem a situação deles, e por isso temem o encontro com eles mesmos e com a Verdade que liberta, como está escrito: “....e conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará” (Jo, 8,32).
- “Enquanto é dia, temos de realizar as obras daquele que me enviou; vem a noite, quando ninguém pode trabalhar. Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. Eu e o Pai somos um. Diz-lhe Jesus: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vem ao Pai a não ser por mim”. Felipe lhe diz: “Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta!”. Diz-lhe Jesus: “Há tanto tempo estou convosco e tu não me conheces, Felipe? Quem me vê, vê o Pai. Como podes dizer: “Mostra-nos o Pai!?””. Crede-me: eu estou no Pai e o Pai em mim. Se alguém me ama, guardará minha palavra e o meu Pai o amará e a ele viremos e nele estabeleceremos morada. Eu sou a verdadeira videira e meu Pai é o agricultor” (Jo 9,4 e 5; 10,30; 14,6, 8, 9, 11 e 23; 15,1; ).
Vemos nestes trechos joaninos uma perfeita união e sintonia dos perfeitos, onde semelhante atrai semelhante, e só poderá ver a Deus aquele que tem puro o coração (Mt 5,8).
... (Continuação)... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:45, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 11/Set/2007 11:55 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena...
Eis os endereços do início dessa carta:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86321#p86321
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86323#p86323
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86325#p86325
(Continuação).
Aqueles que vêem nestes trechos gnósticos uma única entidade, esquecem que no Evangelho Joanino está demonstrado que Jesus foi um enviado do Pai, e que o Pai é maior do que ele. A palavra ou o verbo “enviou” aparece 35 vezes e “enviastes” 7 vezes no Evangelho Segundo São João: “Quem envia não pode estar unido com o próprio enviado ou ser um com ele”.
A união perfeita entre Jesus e o Pai fica muito bem compreendida, quando entendemos a perfeita união entre um médium com o espírito comunicante. Exemplos: Francisco Cândido Xavier e o espírito Emmanuel, Rosário e o espírito Velho Jó. Existe uma perfeita união, mas continua a existência de 2 espíritos. Jesus era um médium de Deus ou do Pai. Jesus alcançou um nível bem evoluído com seus próprios méritos, e aqui ele veio, há dois mil anos atrás, para nos ensinar o caminho do amor, do perdão, do servir e da busca da verdade, que nos permite conquistar a Perfeição e a VERDADE ABSOLUTA.
- “Jesus, então, vendo sua mãe e, perto dela, o discípulo a quem amava, disse à sua mãe: “Mulher, eis o teu filho!” Depois disse ao discípulo: “Eis a tua mãe!”. E a partir dessa hora, o discípulo a recebeu em sua casa. Aquele que viu dá testemunho e seu testemunho é verdadeiro; e ele sabe que diz a Verdade, para que também vós creiais, pois isso aconteceu para que se cumprisse a Escritura: Nenhum osso lhe será quebrado. E uma outra Escritura diz ainda: Olharão para aquele que traspassaram! Jesus lhe disse: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa? Quanto a ti, segue-me””. (Jo 19,26 a 27,35 a 37; 21,22).
Dom Aldo, veja que existem muitas coisas que a Igreja realmente não sabe explicar. Eu consegui descobrir muitas coisas, mas o Sr. nada entendeu e nem colaborou comigo. E ainda por cima me aconselhou a buscar orientações específicas no campo da Fé cristã. Realmente, após 21 anos, compreendi muito bem como é difícil falar e mostrar a VERDADE, que liberta. Mas consegui compreender tudo, mesmo que eu não seja compreendido.....
- “Se sois filhos de Abraão, praticai as obras de Abraão. Vós, porém, procurais matar-me, a mim, que vos falei a Verdade, que ouvi de Deus. Isso, Abraão não o fez! Vós fazeis as obras de vosso pai! Vós sois do diabo, vosso pai, e quereis realizar os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio e não permaneceu na verdade, porque nele não há verdade: quando ele mente, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira. Mas, porque digo a verdade, não credes em mim. Quem é de Deus ouve as palavras de Deus; por isso não ouvis: porque não sois de Deus” (Jo 8,39 e 40, 44 a 45 e 47).
Nestes trechos Jesus fala com os judeus, e pede para que eles pratiquem as obras de Abraão. Jesus deixa claro que ouviu a Verdade de Deus. Jesus ainda diz que os judeus eram do diabo, e queriam agir conforme os desejos do diabo. O pai dos judeus foi homicida desde o princípio e pai da mentira. O primeiro homicida que consta na Bíblia Sagrada é o Caim. Será que existe uma ligação secreta entre Caim e Abraão? Será que foi por isso que Abraão concordou com o pedido de um espírito para que sacrificasse, com a morte, o próprio filho Isaac? Quem realmente foi Abraão? Abraão não seria uma reencarnação do espírito de Caim?
- “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro, me odiou a mim. Se fosseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; mas, porque não sois do mundo e minha escolha vos separou do mundo, o mundo, por isso, vos odeia. Eles não são do mundo como eu não sou do mundo. Santifica-os na verdade; a tua palavra é verdade. Como tu me enviaste ao mundo, também eu os enviei ao mundo. E, por eles, a mim mesmo me santifico, para que sejam santificados na verdade” (Jo 15,18 a 19; 17,16 a 19).
Nestes trechos Jesus prepara seus discípulos para o pior, pois Jesus sabia como agiam os seres humanos. Muitos seres humanos, quando conquistam posições de lideranças, tudo fazem para não perderem o poder. E esses, quando são líderes religiosos, ainda mantém rígidas estruturas para a preparação de novos líderes e perseguem aos enviados de Deus ou de Jesus, pois, se assim não fosse, o Amor, a Verdade e a Sabedoria já estariam reinando na face da Terra, e teríamos realmente o “Reino de Deus entre nós”, que é realmente de PAZ PLENA. A letra mata e o espírito vivifica, então a palavra de Deus não está escrita em lugar nenhum, mas Deus pode estar em qualquer consciência que atingiu a condição de ter puro o coração ou de ser um puro.
Dom Aldo, logo após o “meu nascimento do alto ou o meu batismo pelo fogo ou pelo Espírito, no início de 1980, o meu irmão Padre foi ao meu local de trabalho, e tivemos um diálogo, que foi muito importante para mim e pude entender como seria difícil a minha missão. Ele disse-me:
- “Rosário, se você quiser mudar de religião, serei o primeiro a defendê-lo perante os nossos familiares”.
- “Não é isto que quero e estou procurando”. Respondi.
- “O que você quer, então?”. Perguntou-me o meu irmão Padre.
- “Eu quero é a VERDADE!!!!”. Voltei a responder , e aí ele entendeu que nada podia me dizer.
Em outro encontro que tivemos em 28/01/1992, após 7 horas de um profundo diálogo, que envolveu fatos vividos por mim em janeiro de 1980, ele me falou:
- “Rosário, naqueles dias de 1980, você falava tantas verdades, que nem você tinha capacidade de compreendê-las!!!!”. Aí respondi para ele:
- “Queria ouvir isso de você naqueles dias e não hoje! Hoje tenho estrutura emocional e compreensão melhor sobre tudo. Se você aprova, fico satisfeito, mas também não me aprovando, isso não me abalará. Mas naqueles dias, eu ficaria muito contente e poderia ficar mais tranqüilo, se ouvisse essa frase sua. Você iria me ajudar tanto, que nem posso imaginar o quanto seria!”.
Dom Aldo, o meu objetivo continua mais sólido ainda e muito mais claro. Realmente, a razão dessa minha atual encarnação é encontrar e divulgar a VERDADE, mas encontrei muitas resistências, quase intransponíveis, e ainda as encontro em todos os seres humanos, principalmente naqueles que se intitulam de “os sucessores dos apóstolos de Jesus”.
Desejo-lhe muita PAZ, mas uma PAZ realmente PLENA, e com a compreensão da VERDADE ABSOLUTA. Atenciosamente, o amigo e irmão em Cristo...... Rosário Américo de Resende.
............. Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:47, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sex, 14/Set/2007 15:23 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Ter, 25/Abr/2006 03:38
Mensagens: 376
Rosário,

Imaginava que voce tivesse estudado Agostinho no tempo em que estava no seminário, e, por coincidência, nestes dias, lia 'Confissões', e lembrei-me de ti, quando justamente no livro XI - ele faz uma abordagem sobre o Homem e o Tempo - deparei-me com uma explicação que envolve a matemática, sons e as palavras. Foi mecânico, estalei os dedos, não pestanejei, e disse para meu anjo: 'Rosário vai gostar'.
E, trouxe a transcrição do texto para sua apreciação, onde Agostinho (o qual tenho maior carinho e respeito) procura distinguir o tempo astronômico do tempo metafísico e do tempo psicológico.


Citação:
'...Insiste, ó minha alma, e redobra esforçadamente de atenção: 'Deus nos ajudará, pois Ele nos criou enão fomos nós que nos criamos'.
Fixa o olhar onde desponta o amanhecer da Verdade. Supõe, por exemplo, que a voz de um corpo começa a ressoar, ecoa, continua a ecoar e cala-se. Fez-se silêncio...a voz esmoreceu...já não é voz. Era futura antes de ecoar e não podia ser medida porque ainda não existia , e agora também não é possível medí-la porque já se calou. Nesses instantes em que ressoava era comensurável, porque então existia uma coisa suscetível de ser medida. Mas mesmo nesses momentos não era estável. Ia esmorecendo e passava. Não seria por acaso esta instabilidade ou movimento o que a torna mensurável ? Com efeito, ao esmorecer, estendia-se por um espaço de tempo pretérito onde seria possível medí-la, já que o presente não tem nenhuma extensão.
Porém, se então era possível medí-la, suponhamos que outra voz começou a ressoar e ainda ressoa numa vibração contínua e de igual intensidade. Meçamo-la enquanto ela ressoa, pois, desde que cesse de vibrar, já será pretérita e não a poderemos medir. Meçamo-la por conseguinte e calculemos a sua duração. Todavia, ainda soa, e não a podemos avaliar senão desde o seu princípio - em que começou a ressoar - até o fim, quando emudecer, porque todo o intervalo se mede desde um certo ponto até um limite determinado. Por este motivo, a voz que ainda não terminou não é suscetível de ser comensurada, de modo que possamos calcular a sua longa ou breve duração. Nem podemos afirmar que seja igual a alguma outra, ou que a sua relação seja simples ou dupla, nem estabelecer qualquer outra proporção. Logo que essa voz cesse, fica destituída de existência. Então, de que modo poderá ser avaliada ? Com, efeito medimos os tempos, mas não os que ainda não existem ou já passaram, nem os que não tem duração alguma, nem os que não tem limites. Não medimos, por conseguinte, os tempos futuros e nem passados, nem os presentes, nem os que estão passando. Contudo, medimos os tempos !
Este verso 'Deus Creator omnium', de oito sílabas, vai-se alternando com sílabas breves e longas. Quatro breves: a primeira, terceira, quinta e sétima. Estas são simples, comparada com as quatro longas: a segunda, quarta, sexta e oitava. Cada uma destas tem o dobro de tempo em relação às outra. Assim o noto pelo testemunho dos sentidos. Segundo o que eles me revelam, meço a sílaba longa pela breve e vejo que a longa contém duas vezes a breve. Mas quando soa uma após a outra, se a primeira é breve e a segunada é longa, como hei de reter a breve ?
Como hei de aplicar a breve à longa para medir esta, de modo a poder averiguar que a longa temk o dobro de duração ? Não é verdade que a longa só começa a ressoar no momento em que a breve tenha cessado ?
Também não meço esta mesma sílaba longa enquanto é presente, pois só me é possível medí-la depois de terminada. E uma vez terminada, passou. Que medirei, eu, portanto ? Onde está a sílaba que me serve de medida ? Onde está a longa para eu medir ? Ambas ressoaram, voaram, foram passando e já não existem. Meço-as e, com certeza que me pode dar a percepção de um sentido, respondo confiadamente que no espaço de tempo uma simples, outra é dupla. Nem posso dizê-lo senão porque passaram e terminaram. Não as meço, portanto, a ela, que já não existem, mas a alguma coisa delas que permanece gravada na minha memória...'


É mérito de Agostinho - homem que poucos compreenderam ou compreendem - ter posto em relevo, com muito esforço, o caráter psicológico do tempo, o seu pertencer à consciência'.

Mas, na verdade o que quero lhe mostrar com esse texto é que noto nele a mesma coragem e determinação que voce faz em trazer-nos suas revelações. E tenha a certeza do que voce escreve não é em vão, pelo menos para mim que o estimo, porque acima de tudo noto a presença de Deus em seu coração.


Muita paz !!

_________________
'Examinai tudo, retende o que for bom !'

'E antes deste tempo, quem era eu, minha doçura, meu Deus ?'


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sex, 14/Set/2007 22:31 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Diegas, um grande abraço.
Eu só fiz um ano de seminário maior e foi o do noviciado.
O Santo Agostinho é estudado no período da Teologia, que são os últimos 4 anos, antes da ordenação sacerdotal.
Mas Santo Agostinho nasceu em 354, em Tagaste, na África. Buscou a verdade e só em 387 é que foi batizado, após ouvir pregações de Santo Ambrósio.
Mas eu recebi a visita desse espírito na noite de 27/01/1985 e tivemos uma longa conversa. Foi ótimo. Foi ele que me ensinou a representar ou falar de DEUS usando a figura da RETA, pois toda reta não tem início e nem fim e todos as retas são iguais.
Até aquele dia, eu usava para representar a DEUS o círculo, mas ele mesmo me disse que o círculo não era uma boa representação para DEUS, pois podemos ver que o círculo não tem início e nem fim e que também podemos fazer círculos de diversos tamanhos. E isso não era bom para fazer comparações a DEUS.
Fiquei com a RETA para DEUS, o Espírito Incriado e a semi-reta para nós, espíritos criados.
Ele me fez outras revelações, que ainda não divulguei.
Diegas, você entendeu muito bem o meu objetivo, pois escrevo para o futuro perto ou longe, ou até longínguo. Sei que muitos irão tentar entender que faço e o que aconteceu comigo. Se eu ainda estiver aqui, então será ótimo para todos e principalmente para mim, pois poderei explicar tudo com muito mais clareza. E assim cumprirei melhor ainda a minha missão nessa encarnação.
Agora se eu não mais estiver aqui, então irão aparecer aqueles que irão tentar entender o que eu quis dizer, mas irão mesmo é divulgar ou expor as idéias deles.
Por isso escrevo o máximo que for possível. Agora já criei coragem e estou soltando bombas de efeitos lentos, que irão libertar as mentes de muitos princípios bitoladores da nossa liberdade de pensar.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:49, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 15/Set/2007 21:18 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Continuando meu trabalho, vou postar aqui a minha 3ª carta para o Dom Aldo Di Cillo Pagotto:
Belo Horizonte, 07 de Março de 2002.
Caro companheiro e irmão em Cristo. Pax et Bonum. Que o “Espírito Santo” possa nos mostrar o caminho da união e da VERDADE ABSOLUTA.
O meu principal objetivo quando lhe enviei um dos meus “opúsculos” em 21/08/2001 foi a esperança de que pudesse encontrar no Senhor, Dom Aldo, um bom mestre para me ajudar no encontro e compreensão da VERDADE, e com orientações específicas no campo da Fé Cristã. Mas parece que não fui compreendido e continuei ainda sozinho no plano físico, pois no plano invisível sei com absoluta certeza que não estou sozinho.
Leia com muita atenção a carta de 29/03/2001 e aí poderá me compreender com mais clareza.
Dom Aldo, na carta, que lhe enviei em 07/12/2001, comento no meio da 3ª página que a 2ª carta escrita para o teólogo e Padre João Batista Libânio não tinha sido incluída no opúsculo que lhe enviei. Esta carta, que é uma “Bomba sobre a Bíblia e a Teologia”, está incluída neste opúsculo que estou lhe enviando. Leia a mesma com muita atenção e para a sua melhor compreensão de tudo vou também lhe enviar a resposta que recebi do Padre João Batista Libânio. Peço-lhe, por favor, para não divulgar a resposta do Padre João Batista Libânio, pois estou enviando-a para o Senhor para que a Verdade possa ser compreendida de uma forma mais simples e clara. No final do penúltimo parágrafo da mesma página da carta, que lhe enviei, deixei claro que a mesma iria fazer parte de um outro opúsculo: o “Volume 2/3” e por isso estou lhe enviando o mesmo. Faço tudo isso porque sou honesto, sincero e franco, como também para ajudar na compreensão e divulgação da VERDADE.
Dom Aldo, recebi de presente a revista IDE Ano 1 nº 01 de um colega de serviço, que era católico e converteu-se para a igreja “Deus é Amor”. Li toda a revista e vou escrever aqui agora dois trechos da revista: 1º) Página 9. “Foi naquele momento, irmãos queridos, que eu pude ouvir uma voz dizendo: “Meu servo, Eu tenho visto as tuas orações e grande obra eu tenho para fazer por teu intermédio”. Se eu já estava sentindo alegria, poder e graça, imaginem então, pela primeira vez ouvindo a voz do Senhor, claramente, como estou falando com a minha irmã e com o meu irmão. Eu fiquei emocionadíssimo e ali, meus irmãos, eu amanheci orando ao Senhor, esperando que o Senhor voltasse a falar comigo, durante aquela madrugada do dia 02/11/1961”. 2º) Página 13. “ E Deus ali falou comigo também dizendo: “Meu servo, a partir de setembro, nunca mais vai faltar dinheiro para pagar o programa “A Voz da Liberdade””. Aleluia! Naquele dia eu fiz um voto a Deus. Eu não vou dizer o voto que fiz porque é um voto que tenho entre eu e Deus (mais ou menos em julho ou agosto de 1968)”.
Dom Aldo, é muito interessante observar que a “voz” dos dois trechos citados não se identifica e nem diz que é “Deus ou o Senhor”, mas o David Miranda é que interpreta e diz que era o Senhor ou mesmo Deus. A “voz” se refere a “Meu servo” o que é bem contraditório com o que está escrito no Evangelho: “Ninguém tem maior amor do que aquele que dá a vida por seus amigos. Vós sois meus amigos, se praticais o que vos mando. Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que seu senhor faz; mas eu vos chamo amigos porque tudo o que ouvi de meu Pai eu vos dei a conhecer” (Jo 15,13 a 15).
O David Miranda fundou mais uma igreja, dividindo mais o “rebanho de Jesus”, agindo de uma forma bem contrária ao que está escrito: “Então, haverá um só rebanho, um só Pastor” (Jo 10,16c). Resumindo digo: “O David Miranda está trabalhando contra Jesus e não a favor de Jesus, pois dividiu mais ainda o rebanho de Jesus”.
Hoje posso fazer uma comparação entre as duas vezes que o David Miranda ouviu uma certa “voz”, que para ele era do Senhor ou de Deus e para mim não era do Senhor e nem de Deus, com uma das vezes que eu também ouvi “vozes” e ainda ouço, mas de uma forma muito sutil, pois não me deixa mais descontrolado pela fortíssima e intensa emoção.
É interessante observar que o processo de “ouvir vozes” é uma constante em toda a Bíblia Sagrada e é também a própria razão da existência e permanência da Bíblia Sagrada. Agora este processo para qualquer psiquiatra é uma prova de esquizofrenia.
Quero comentar o que aconteceu numa certa vez em que ouvi uma “voz”, ali pelas 23,00 horas num dia de novembro de 1983. Logo que deitei, ouvi a seguinte pergunta de uma “voz”:
- “Você vai fundar uma religião nova?”.
- “Não. Eu quero trabalhar para a união das religiões e não para dividir mais ainda, fundando mais uma outra religião”.
Respondi com muita decisão e segurança, em seguida perguntei para a “voz”:
- “Por que você está me perguntando isto?”.
- “Porque nenhuma das que estão existindo hoje me servem mais!”. Respondeu-me a voz.
Voltei a falar, concluindo o nosso rápido e claro diálogo:
- “Olha, quero trabalhar para a Paz religiosa e para a unificação das religiões. Qualquer fundador de religião ou de um novo grupo está trabalhando de uma forma contrária ao projeto de Jesus, pois divide mais ainda o rebanho de Jesus, que está cego e sem Pastor, e, complica muito mesmo o processo de compreensão e divulgação da VERDADE, pois cada religião ou grupo possui os seus princípios ou dogmas particulares, que só fazem divisões e dificultam o encontro, o entendimento e a compreensão da VERDADE ABSOLUTA”.
Assim encerrei este diálogo sem ter identificado quem era o autor da voz. Hoje julgo que aquela voz era de um frei e Padre franciscano, que desencarnou no final da década de setenta, pois ele ficou muito decepcionado com os votos solenes que fez. Este frei compreendeu com muita clareza os embustes e enganações que são os próprios votos de pobreza, obediência e castidade. Quando um frei franciscano é realmente pobre? Eles têm o uso de tudo de bom e do melhor, só não têm a posse de bens e de propriedades. Eles são tratados como príncipes e até como reis pela sociedade em geral. A maioria dos freis não seguem o voto de obediência, pois só vão para onde querem e quando querem. E ainda existem alguns freis que desobedecem até o voto de castidade! Estes poucos dizem que são homens e por isso têm que agirem como homens obedecendo a lei da natureza. Neste caso eles agem de uma maneira muito negativa e até pior do que os animais irracionais, pois estes só praticam o ato sexual quando a fêmea está no cio; isto é: só mesmo para a procriação e perpetuação da espécie.
A maior revolta deste tal frei foi não ter concordado com as aplicações financeiras efetuados pela Província de Santa Cruz e por isso ele mesmo mantinha a casa onde morava em companhia de alguns outros freis com o seu próprio salário de engenheiro sanitário e no final do mês distribuía a sobra para os seus paroquianos pobres em alimentos, que ele mesmo comprava no Mercado Central de Belo Horizonte.
..... (Continua)... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:51, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 1096 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 22, 23, 24, 25, 26, 27, 28 ... 74  Próximo

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 9 visitantes


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB® Forum Software © phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB