Portal do Espirito

A sua referencia em Doutrina Espirita na Internet
Bem-vindo: Qui, 28/Mai/2020 22:05
Ler mensagens sem resposta | Pesquisar por tópicos ativos


Todos os horários são GMT - 3 horas




Criar novo tópico Responder  [ 1096 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34 ... 74  Próximo
Autor Mensagem
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 01/Jan/2008 07:52 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
(Continuação).
Durante o ano de 1984 ouvi orientações no C. E. Irmão Mateus que não se podia fazer e nem participar das experiências do copo, pois sempre existe o perigo da presença de espíritos brincalhões, zombeteiros e até de enganadores com muito conhecimento. Num certo dia uma de minhas filhas me perguntou sobre a tal experiência do copo. Respondi de acordo com os ensinamentos recebidos de orientadores do C. E. I. Mateus. Como o proibido sempre tem mais atração, então num dia chegando em casa encontrei a seguinte situação: 'Minhas filhas, amigas delas e mães das amigas estavam morrendo de medo, pois tinham feito a experiência do copo e baixou um “demônio”, que passou a chamar todo mundo de “bruxa e outras coisas”'.
Fiquei um pouco preocupado, mas o “Velho Jó” me orientou como deveria agir: “Era para participar das reuniões e ir explicando o que acontecia para os presentes e que ele estaria sempre presente e não teria nenhum problema”. Assim agi, fiz com as jovens e suas mães só duas reuniões com o copo e ia dando as orientações necessárias. Só participei de duas reuniões porque a medida que deixou de ser proibido também deixou de ser atraente para as jovens curiosas e os próprios espíritos interesseiros perderam o objetivo ou foram encaminhados para esclarecimentos. No final entendi que as orientações que recebi no C. E. I. Mateus não estavam bem corretas, pois faltou muita humildade e caridade.
Em 1989 eu e a Malvina fomos algumas vezes num Centro de Candomblé no bairro de Santa Efigênia. O objetivo foi para resolver alguns problemas que a Malvina estava sentindo. A médium responsável do Centro me falou que um espírito que trabalha com ela sempre aparecia leproso e agachado, mas com a minha presença ele apareceu sadio e em pé. Isso serviu muito para o meu aprendizado e para a compreensão sobre a minha missão. Missão esta que ainda está muito difícil de ser compreendida por quase todos os encarnados.
De 1986 até 1993, quando ia a Divinópolis assistia e participava de reuniões mediúnicas num Centro de Umbanda. Lá também existe um outro grupo da linha umbandista, que fazia e faz reuniões de ajuda em casas particulares, assisti várias destas reuniões. O meu objetivo sempre foi aprender de tudo e o mais rápido possível.
Em julho de 1994 tomei conhecimento do movimento da “Cultura Racional”, que foi fundado pelo Manoel Jacintho Coelho. O Manoel foi iniciado na Tenda Espírita Francisco de Assis e só sei que não era kardecista. Li o livro “Cavaleiro da Concórdia” e da série “Universo em Desencanto” só consegui ler o 1º volume e a metade do 2º. Para mim é um absurdo o que foi escrito pelo Manoel J. C., pois li tanta irracionalidade apresentada como racionalidade. Conversei umas 3 ou 4 vezes com um importante membro da “Cultura Racional”, que morava em Betim . Gostei muito das conversas, mas senti que ele só queria me transformar em um membro do grupo e por isso não foi possível a seqüência dos diálogos.
Para mim o Sr. Manoel J. Coelho caiu na tentação de ser um fundador e dono de um novo grupo, pois ele tornou-se o líder máximo da “Cultura Racional”. Ele dividiu o rebanho, então agiu de uma forma contrária a união, que foi profetizada pelo verdadeiro Mestre Jesus. (Continua).
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 15:32, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 01/Jan/2008 08:02 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
(Continuação).
Em 1996 tomei conhecimento de uma analista que trabalha com terapia de vidas passadas. Na primeira consulta, às 20,00 horas, fui atendido pela analista e um senhor, que lhe dava auxílio. Após conversarmos muito por quase 2 horas, falei sobre o nosso acerto financeiro e a analista me falou:
- “Nós não vamos lhe cobrar nada. A verdade é que nós queremos conversar mais com você. Não é fulano?”. Respondeu-me a analista e pedindo a concordância do seu coadjuvante.
Sai radiante do consultório, julgando que iria receber o primeiro auxílio para a minha difícil missão.
Fiquei sabendo de uma teoria reencarnacionista completamente maluca para mim, pois ela explicou-me que os espíritos mais evoluídos quando reencarnam eles o fazem em 7 corpos diferentes. Isso torna-se necessário porque um corpo só não pode suportar a carga energética do espírito e só quando os 7 corpos ou as 7 pessoas se reúnem é que o espírito terá as condições de realizar a sua missão, pois reunirá toda a sua força, energia ou luz. A analista chama cada uma das 7 pessoas de lâmina do espírito tal.
Na 2ª feira seguinte voltei a ligar para a analista e logo senti a diferença, pois a pessoa que atendeu falou-me que iria ver se a analista estava. Imediatamente ela veio ao telefone, após a minha identificação e cumprimento ouvi esta seca e definitiva resposta:
- “Rosário, vou ser franca com você, o que tínhamos que conversar já conversamos”. Em seguida bateu o telefone no gancho com muita falta de educação.
Fiquei meio aéreo, sem entender o que tinha acontecido. Procurei explicações para compreender o acontecido e nada. Em 1997 voltei a ligar para a analista, ali pelas 7,15 horas e deixei um recado na secretária eletrônica, dizendo mais ou menos assim: “Eu tenho uma difícil missão para realizar nesta vida, mas até agora encontrei muitas portas fechadas e aquelas que estavam abertas foram sendo trancadas. O “Velho Jó”, o espírito, que é meu mentor, é de PAZ PLENA. Um abraço”.
Alguns dias depois recebi uma ligação dela e após tentar me convencer que ela estava disposta a me ouvir marcamos um novo encontro. Neste fui recebido pela analista e uma auxiliar dela. Após os cumprimentos e apresentações, perguntei a ela:
- “Primeiro quero perguntar-lhe por que me deu aquela resposta por telefone?”.
- “Vou responder-lhe, mas antes quero saber o que você achou daquele meu coadjuvante?”.
- “Bom, julgo que ele está bem alto no nível evolutivo pelas respostas que ele me deu quando perguntei quem eu era e pela observação que ele fez na hora em que você foi tomar um suco. Agora existe uma complicação, que poderá prejudicá-lo muito!”.
Tinha sentido que ele era homossexual, mas não falei claro o assunto. Aí ela me explicou:
- “Olha, ele abandonou o meu grupo e decidiu partir para uma nova experiência. Ele está fazendo-me muita falta aqui, mas nada pude fazer, pois ele decidiu fazer experiências homossexuais. Quando você saiu do consultório, ele disse-me que tudo o que você nos disse era mentira e por isso lhe dei aquela resposta. Hoje digo que confio e acredito em você”.
Conversamos muito e marcamos o 3º encontro. No dia marcado, logo que cheguei estranhei a situação, pois já eram 3 pessoas: ela, a auxiliar e uma outra mulher, que era uma das lâminas do João Batista, o precursor de Jesus, conforme a aceitação do grupo. Após as apresentações, ela ligou para mais 3 pessoas: 2 homens e 1 mulher, chamando-os para a reunião. Eles conversaram muito e eu fiquei mais ouvindo. Um dos homens era uma das lâminas do Nicodemos, aquele que conversou com Jesus a noite (Jo 3).
Ainda desejo ouvi-la mais para aumentar o meu conhecimento e quem sabe podermos somar com harmonia e perfeição. Quero entender e poder analisar qual é a origem da teoria das 7 Lâminas, e, como ela acredita nisso. Para mim trata-se de muita confusão mental, utopia ou loucura mesmo.
A seqüênbcia desta carta está nos endereços:
Trechos da Carta para o Valdete com o Marrom:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=82885#p82885
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=82887#p82887

Trechos da carta para o Valdete com a Irene Zelak:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=117400#p117400
(Continua). Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 15:52, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 01/Jan/2008 08:11 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
(Continuação).
Valdete, no início século XX espírito de Jacó reencarnou e na década de vinte ele casou com o espírito de Raquel, também reencarnada. Os dois tiveram vários filhos e filhas, onze sobreviveram e seis não. As duas escravas, que foram também mulheres do Patriarca Jacó, foram as duas filhas dele no século XX, que sobreviveram, já que duas outras desencarnaram com poucos dias de vida. Ele ficou viúvo na década de quarenta e voltou a casar na década de cinqüenta. A segunda esposa dele foi a própria Lia, também reencarnada. No século XX tudo foi legal, com muito amor e vida. Pode-se até dizer que houve sexo divino, pois existiu muita fidelidade e respeito pleno entre todos. Resolveu-se um grave problema acontecido há quase 4 milênios atrás. Ainda não descobri hoje quem foi o pai das irmãs Lia e Raquel, o responsável direto pela fria em que o Jacó entrou.
No início de 1999 assisti duas apresentações do “Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil” no Minas Centro e depois estive também numa das casas do movimento na rua Hermílio Alves. Assisti apenas a uma palestra, pois queria era comprar livros. Comprei 6 livros e li todos. O senhor Samuel Aun Weor é apresentado como um Avatar pelo Movimento Gnóstico Cristão Universal do Brasil, mas para mim ele foi um profeta do negativismo e da falsidade. Para entender bem a minha posição basta ler os livros: “A Grande Rebelião” e “Tratado de Psicologia Revolucionária”.
Em 2000 freqüentei algumas reuniões no Grupo Ramatis, fui lá para levar a Malvina, porque um irmão dela a aconselhou para ir lá para esclarecer e resolver alguns problemas. Indo lá vi a propaganda sobre palestras e quem quisesse poderia se candidatar, desde que apresentasse antes a “Palestra” por escrito. Assim o fiz. Entreguei a palestra sobre “Deus na Bíblia” para a médium principal do Grupo Ramatis. Depois de esperar por uns dois meses, aceitando a seguir as orientações de tratamento do Grupo para ser aceito e de ter havido alguns desencontros consegui falar com a pessoa responsável, quando recebi um franco e decisivo “não”, recebendo de volta os meus escritos, com o seguinte bilhetinho escrito a mão e que não era para mim:
“Zélia, este palestrante não é do grupo, parece-me que é crente. Liguei para ele. Assinado”.
É lógico que não me dei por vencido, pois sou um médium de PAZ e da VERDADE, e consegui outra conversa com a médium principal do Grupo Ramatis. Abri o jogo com ela, falando francamente o porquê que tinha tomado a decisão de me candidatar para dar palestras lá. Contei a ela também quem eu sou, como já está escrito em várias das minhas cartas (esta verdade ainda não foi revelada para vocês aí do C. E. I. Gúbio, estava esperando a hora certa e vi que agi correto, pois dificilmente seria aceito, por tudo o que aconteceu). Ela me respondeu, mais ou menos assim:
- “Eu sei que você está falando a verdade, eu o entendo muito bem e aceito o que você fala, mas eu nada posso fazer, pois o “não” para você foi uma decisão da diretoria e eu fui voto vencido”.
Esta, para mim, foi uma desculpa amarela, pois caso ela me desse apoio perante os outros, tenho a certeza que seria aceito para dar a palestra.
Agradeci muito a ela por ter ainda me recebido e disse para ela:
- “Voltei aqui, pois sou franco, honesto e sincero. Não podia ir embora sem lhe contar o que lhe contei, pois se fosse omisso estaria prejudicando o encontro e a divulgação da VERDADE, que liberta. Esta é também a razão da minha atual encarnação”.
- “Eu acredito em você, mas nada posso fazer”. Ela ainda me respondeu, tentando se justificar.
(Continua). Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 15:40, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 01/Jan/2008 08:19 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis os endereços do início dessa carta:
Inicio da Carta para o Valdete: Umbanda e Início Kardecista:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=94519#p94519
Copo, Candomblé e Cultura Racional:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=94520#p94520
TVP e as 7 lâminas?:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=94522#p94522
Marrom e os soldados de Lúcifer:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=82885#p82885
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=82887#p82887
Irene Zelak: TVP e sexo com espírito:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=117400#p117400
Movimento Gnóstico e Grupo Ramatis:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=94523#p94523
Final da carta para o Valdete, Novo encontro e Saída do Gúbio:
(Continuação)
Valdete, quando tivemos aquele encontro no Mercado Central e, após conversarmos um pouco, você nos convidou a ir ao C. E. I. Gúbio, do qual você era e é o presidente. Fiquei muito contente, pois estava pedindo para dar palestras sobre o Evangelho no C. E. I. Mateus, onde até hoje ainda não foi possível. Nem com a troca do irmão dirigente do C. E. I. Mateus as portas foram abertas para mim, pois o novo presidente exigiu que eu fizesse um “curso sobre o Evangelho de 1 ano” e o qual estou fazendo. É muito duro ouvir opiniões de palestrantes espíritas do tipo das dos cegos pentecostais. No dia 07/08/2002, ouvi da instrutora que o pedido feito a Abraão para sacrificar com a morte o filho dele, Isaac, foi realmente feito por Deus. Isso é de uma tamanha irracionalidade, que nem vale a pena comentar. Se um espírito, na atualidade, pedir qualquer sacrifício de sangue está errado e é obra de magia negra, então no passado também estava errado e nunca poderia ser considerado ou aceito como um pedido feito por Deus, aquele que é plenamente perfeito em tudo.
Realmente o que aconteceu no dia 02/08/2002 não foi a primeira vez, mas mostrou-me que devo mudar a minha atitude, como não quero disputar o lugar de ninguém, então vou para a “Tenda do Silêncio” nas sextas, o que já queria há uns 4 meses. Já aconteceu algo semelhante outras vezes, principalmente com assuntos escritos pelo evangelista Lucas, como a “Parábola do mau rico e o pobre Lázaro” (Lc 16,19 a 31), que está no Capítulo XVI do Evangelho Segundo o Espiritismo: Não se pode Servir a Deus e a Mamon. Logo que acabei de ler a parábola, expliquei que nos Centros Espíritas já agia de uma forma contrária à tal parábola, pois um espírito auxilia a outro e nós, encarnados, ajudamos e recebemos auxílio dos desencarnados. Isso tudo é uma grande caridade também e será se Jesus ensinou isso ou esta parábola faz parte da doutrina de Lucas? Logo que fiz esta referência, a irmã Rose me interrompeu, contradisse o que eu estava falando e defendeu que tal assunto não deveria fazer parte da reunião. Houve uma disputa, mas tudo ficou meio disfarçado, mas o clima começou a se complicar e as conseqüências futuras deixaram tudo muito claro para mim: “eu não estava agradando a todos e até a alguns mentores”.
Noutro dia, quando foi aberto o Capítulo XVIII: Muitos os Chamados e Poucos os Escolhidos, após ter lido o item 4 (Lucas 13,23 a 30) e fazer os comentários que atitudes como a do pai de família era contrária à caridade e ao amor. Fiz referências sobre o evangelistas Lucas, que não conheceu a Jesus e foi um discípulo de Paulo, que também não conviveu com Jesus. Então esta doutrina não parece ser a doutrina de Jesus, mas a de Lucas. Fui interrompido pela irmã Rose, que contradisse as minhas palavras e mostrou um pouco de descontentamento para comigo. Nesta vez como na outra pedi o seu auxílio, mas você ficou calado e só.
Valdete, eu posso até estar errado, mas as observações contrárias as idéias, que estava expondo, teriam que ser em particular para não haver divergências de opiniões durante a reunião. Em particular eu também poderia explicar e falar mais claro sobre a minha pessoa, sobre a minha responsabilidade e missão. Caso não houvesse acordo ou sintonia de idéias eu poderia afastar sem chegar no ponto em que chegou, pois tudo ficaria em secreto.
No 02/08/2002, quando senti a aproximação de espíritos, que queriam falar umas verdades para a irmã dirigente, então tomei aquela atitude de calar e devolver a palavra para a irmã Rose, que já tinha falado sobre a Umbanda e tinha puxado para a reunião a vibração ou a energia da Umbanda; isto é: de entidades que trabalham na Umbanda, principalmente de Exus. Comprei o livro “Tambores de Angola” e já o li. Posso afirmar que a irmã Rose ficou muito emocionada e encantada com o que leu no livro, mas não foi feliz na exposição com relação aos exus. Os pretos-velhos sim, são espíritos de muita luz, sabedoria e humildade.
Valdete, não posso provar nada, mas você, como médium, pode consultar a espiritualidade. Eu estou envolvido com a Bíblia até o pescoço, a Bíblia é um conjunto de livros com profundos ensinamentos para as nossas vidas e é uma fonte inesgotável de ensinamentos e sabedoria, que nos conduzem à Perfeição. Isto Jesus já nos deixou muito bem explicado em sua doutrina de amor: “Este é o meu mandamento: Amai-vos uns aos outros como eu vos amei (Jo 15,12). Pois o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir (Mc 10,45). Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará (Jo 8,32). Portanto, deveis ser perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito (Mt 5,48.). Temos que perdoar setenta e sete vezes (Mt 18,22). Meu alimento é fazer a vontade daquele que me enviou e consumar a sua obra (Jo 3,34). Meu Pai trabalha até agora e eu também trabalho (Jo 5,17)”.
As falhas não estão na Bíblia, mas com os “instrutores sobre a Bíblia”, que em sua maioria falam e defendem os interesses deles, deixando de lado a doutrina de Jesus, para ficar com as doutrinas de outros, que escreveram em nome de Jesus. Muitos utilizam descaradamente do nome de Jesus e falam em nome de Jesus para extorquir dinheiro dos próprios irmãos. Existe animismo em todo lugar e com todos os médiuns, também comigo. Já sei de 8 vidas do meu espírito referidas nas páginas da Bíblia Sagrada.
Valdete, a minha encarnação anterior foi bem curta, mas consegui executar um bom trabalho. Quando desencarnei no início Século XX, como tinha convertido para o Kardecismo com uns 20 anos de vida, então fui tomar conhecimento do meu passado, pois não tinha medo do encontro comigo mesmo. Quando cheguei ao 1º século do cristianismo, podia continuar conhecendo a mim mesmo ou tomar a decisão de reencarnar, nesta hipótese continuaria confiando plenamente no nosso Mestre Jesus. Decidi reencarnar, mas tomei também a decisão de fazer uma exigência: “só reencarnaria se tivesse a garantia de saber, ainda em vida, quem fui no 1º século da nossa era”. A minha exigência não foi aceita pelo grupo kardecista e nem pelo catolicismo romano, por isso fui para um plano mais elevado. Tudo foi acertado, combinado e selado. Como havia um tempo de mais de 2 décadas, então tomei a iniciativa de elaborar um plano e o apresentei para um grupo muito especial, todos concordaram com o plano e o chamei de “Projeto Franciscano”. Quando chegou a hora reencarnei sob os auspícios do espírito, que já tinha sido o meu mestre há dois mil anos. Fiquei sabendo do meu passado, que foi a minha exigência, em agosto de 1982 durante a celebração da Santa Missa das 10,00 horas na Igreja de Santa Teresa. Esta verdade é dificílima para ser aceita pelos outros, até pelos espíritas e pelos próprios espíritos, mas é também a base da minha confiança, certeza e coragem de que tudo irá dar certo, como já está dando, para a vitória total do BEM contra tudo aquilo que é contrário ao BEM.
Hoje sei que tenho muito a haver com o número “666” (Ap 13,18.), pois já descobri o sentido secreto deste código, que foi muito bem protegido com muitos selos.
Muita paz e luz, em nome do Mestre Jesus, são os votos do amigo.....Rosário Américo de Resende.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 09/Nov/2018 21:59, em um total de 7 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Qui, 17/Jan/2008 10:07 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Continuando as minhas revelações e como tudo está interligado pelos pensamentos dos espíritos encarnados e desencarnados, estou divulgando aqui no Portal os meus primeiros escritos, que foram feitos durante os dias 7 a 10/01/1980, no meu próprio local de trabalho.
Tudo vinha de uma vez em minha mente, como se eu visse um círculo na minha frente e eu parava de trabalhar, pegava um bloco de rascunho e escrevia tudo e rápido. Quando acabava de escrever aquela visão interna sumia e eu voltava a trabalhar.

Até agora apenas 5 pessoas os leram e vou citá-los pela ordem:
1ª) O frei Patrício, que foi meu professor e orientador espiritual no Seminário Seráfico Santo Antônio, em Santos Dumont, MG (1958 a 1963)nos dias 10 e 11/01/1980.
2ª) O meu irmão, o frei Basílio, no dia 11/01/1980.
3ª) O psiquiatra Sérvulo José Duarte Vieira (1980 ou 1981).
4ª) O psiquiatra espírita Watercides França Filho (1981 ou 1982)
5ª) A minha primeira esposa (depois de 1982), que desencarnou nbo dia 28/01/1984.
.....
Quando pedi para que o Dr. França lesse, ele me disse que o "espírito" era um enganador, pois ele não sabia nada sobre o espiritismo e que iria me pedir para agir errado, quando ele tivesse conseguido a minha confiança.
Realmente os primeiros espíritos, que sintonizaram comigo não sabiam nada sobre o espiritismo, pois eram membros da Hierarquia da ICAR.
E como vi e entendi que esses meus escritos não seriam compreendidos por quase ninguém, os guardei comigo, mas a minha 1ª esposa os encontrou e os leu. E isso foi muito bom para ela, mas após a desencarnação dela.
Eis o endereço dos meus primeiros escritos e com os endereços dos outros assuntos:

Reencarnação e todos os outros endereços.
http://www.espirito.org.br/forum/viewto ... 5802#95802

Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 16:23, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 19/Jan/2008 17:41 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Resolvi postar mais esta carta para o meu irmão padre, na qual defendo a reencarnação pela Bíblia:
Belo Horizonte, 28 de Junho de 1992.
Meu querido irmão, amigo e companheiro em Cristo, Frei Basílio. Desejo-lhe muita PAZ e toda a LIBERDADE para que realmente você encontre a grande VERDADE.
Basílio, hoje posso dizer assim: “Eu não tenho mais fé, pois fé é para aqueles que acreditam sem terem certeza e conhecimento. Realmente sei e tenho conhecimento da “presença onipresente de Deus-Pai-Mãe” e sei quem realmente sou, como também sei para que estou aqui. Por isso lhe disse que sei que vou ganhar o jogo da vida, tenho o casal, só não sei quando serão mostradas (ou irei mostrar) as cartas. A hora certa só o Pai sabe, nós temos que estar sempre vigilantes, em prontidão e trabalhando”.
Recebi a sua carta, que muito me alegrou e fico esperando sua posição com relação a todos os assuntos, que comento e pergunto. Dentro do meu atual estágio de conhecimento, sei das minhas responsabilidades e sei também da confiança que foi depositada em mim por Jesus, nosso mestre e guia, e por Deus-Pai-Mãe. Não posso mais me dar o “luxo” de ficar em silêncio e o “Espírito de Deus” me dá muita vontade e ânimo de trabalhar e de anunciar a Verdade e a presença de Deus para todos.
Sei, Basílio, pelas minhas experiências e por experiências de outros, que existem muitos que auxiliam a Jesus em todos os lugares, mas também existem muitos que trabalham para os objetivos deles ou dos grupos deles. Se estes, os do contra, pudessem me colocariam completamente desequilibrado para que ninguém confiasse na gente. Muitos deles ajudaram aos psiquiatras para que eles tentassem me prender para sempre, quimicamente falando, com drogas industrializadas. Fiquei livre desses também com o auxílio e proteção de Deus e com o meu próprio esforço, pois lutei contra quase tudo e quase todos. Entre “esses” existem espíritos vivendo em corpos de carne e também livres dos corpos de carne ou os “mortos e os vivos”. Os psiquiatras diziam-me que eu estava doente para o resto de minha vida e não podia parar de tomar remédios, isso foi muito pesado para quem não está mais aqui: nosso pai, a Conceição e outros.
Enquanto tiver forças físicas vou continuar a obra, como Jesus mesmo nos ensinou: “Meu alimento é fazer a vontade dAquele que me enviou e consumar a sua obra” e “Meu Pai trabalha até agora e eu também trabalho” (Jo 4,34 e 5,17).
Quanto ao “dar tempo ao tempo e voltar ao silêncio fecundo e criativo de quem pesquisa, ora, reza, pensa, medita e espera” (como você me escreveu), apenas digo isso: “Meditei a minha vida toda, desde quando eu e o Eli ficamos sozinhos com o papai, lá em Mãe-Não-Me-Chore (quando eu com 8 anos e 9 meses não compreendia o porquê daquele homem, nosso pai, ficar solitário e só trabalhando para dar comida e estudos para nós: os seus filhos) até ao início das revelações, no princípio de 1980 (05/01/80), buscando respostas honestas, perfeitas, claras, justas e lógicas para quase tudo na nossa vida e na vida futura: no Céu. Eu nunca tinha conseguido uma compreensão tão clara e explicativa de tudo como consegui naquele início de 1980. Passei a ser taxado de “anormal e até de doente” quando tentava expor e divulgar o tesouro, que encontrei dentro e fora de mim: eu e DEUS, explicar a compreensão da vida, da criação e de Deus, mostrar a resposta simples e clara de tudo aquilo que procurei em toda a minha vida: DEUS e eu. Deus é o espirito mais perfeito, humilde, sábio e compreensivo que existe. Naquele que entende e explica tudo, habitam a sabedoria e perfeição, como também existe o pleno respeito à liberdade e ao livre-arbítrio do outro ou dos outros, então Deus respeita totalmente o nosso direito de liberdade, pesquisa, busca e até de errar. Deus nunca nos força a aceitar nada contra a nossa vontade, Deus nos respeita e ama como um “outro ser”.... e só aproxima ou entra em nossas vidas quando abrimos a porta de nossos corações ou de nossas mentes. Nessa hora inicia-se uma unificação perfeita, mas continua existindo dois espíritos: um plenamente sábio e bom e o outro, buscando a sabedoria e a bondade. Aqui entendemos a frase de Jesus: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10,30). Então, como Deus é perfeito, sábio, justo e humilde não foi Ele, que impôs aos homens os dez mandamentos, principalmente o primeiro, pois este exige o amor a Deus sobre todas as coisas. Atitude como essa não partiu de Deus, pois tira a liberdade e o livre-arbítrio de qualquer um. Atitude como essa só parte de quem não é infinitamente sábio, bom, justo e humilde, mas muito tirano, egoísta e até orgulhoso, mesmo que a “Bíblia” o apresenta como “Deus”.
Basílio, realmente estou “construindo uma nova teologia” e muito poucos irão me compreender..... agora, mas no futuro muitos irão tentar me compreender. Assim foi com Jesus, Francisco de Assis e com muitos outros.
Quanto às perguntas que faço em meus trabalhos e cartas é para que eu atinja o meu objetivo, pois assim faço com que os outros também pensam na procura de esclarecimentos se quiserem me responder, e, juntos encontraremos uma Verdade clara e pura, que passará pelo crivo da razão e da lógica. Já tenho minhas respostas para todas as minhas perguntas, o que quero é ter mais clareza e confiança ainda. Também quero registrar tudo e deixar para os outros o caminho que encontrei para encontrar comigo mesmo, com a vida, com a Verdade e com DEUS: aquele “tesouro” oculto dentro de nós, que é o “Reino de Deus”.
Entre as perguntas que fazia a mim mesmo e a outros, sem obter repostas simples, claras, lógicas e convincentes, cito essas seguintes:
1ª) Será que os monges budistas e os seguidores de religiões não cristãs alcançarão a salvação? Já que não foram ou serão batizados, nem receberam ou irão receber a Jesus como Salvador. (Esta interrogação vinha a minha mente muitas vezes lá no seminário em Santos Dumont, São João del Rei e Betim).
2ª) Se o Céu é um lugar de alegria máxima, então como poderá uma mãe ter alegria máxima no Céu se um ou mais de seus filhos estiverem condenados no Inferno Eterno? (Esta pergunta até lhe fiz uma vez, quando o levava para conversar com a Teresinha do tio Tobias, antes do casamento dela com o Pedro, por volta de 1978).
3ª) Se no Céu nós esquecemos completamente a vida que tivemos aqui na terra, então para que serviu a passagem pela terra e qual a razão de muitos sofrimentos?
4ª) Por que apresentaram e apresentam para nós um Deus severo, justiceiro e que terá ira no dia do Juízo Final em contraste com o Deus-Amor, Perdão, Bom, Perfeito, Pai e Mãe?
5ª) Por que Deus aceitou (e até exigiu) o sofrimento e a morte na cruz de Jesus para que a humanidade fosse perdoada do pecado de Adão e Eva? E apesar de tudo isso muitos continuam sofrendo e padecendo muito! Será que Deus age como agem os homens perversos, tiranos e não bons?
6ª) Por que Deus e os anjos pararam de ajudar e de proteger ao povo eleito como faziam na história da Bíblia Sagrada? Ou isso não estava certo e por isso foi dado um fim nesse erro?
7ª) Por que a necessidade física do batismo com água para apagar o pecado original e como será esse sinal indelével nos que foram batizados? E o Batismo com o fogo?
8ª) Como ficarão as crianças do limbo no dia do Juízo Final, já que não foram batizadas e nem pecaram? Não ouço falar mais do limbo atualmente, por quê? Era um erro teológico?
9ª) Por que as divergências religiosas e as disputas de religião? Só a Católica é que está certa? E os atos criminosos de sua alta cúpula na história? Os papas são infalíveis!!??
Basílio, quando aceitei a reencarnação, ali pelas 21,00horas do dia 05/01/1980,........
(Continua) Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 16:26, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 19/Jan/2008 17:48 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Resolvi postar mais esta carta para o meu irmão padre, na qual defendo a reencarnação pela Bíblia: (Continuação).
Basílio, quando aceitei a reencarnação, ali pelas 21,00horas do dia 05/01/1980, foi porque a reencarnação me explicava claramente todas as minhas perguntas sem respostas e fui então buscar na Bíblia Sagrada ensinamentos que levariam a aceitar e entender a reencarnação. Dentre os trechos bíblicos, que podem extrair a verdade da reencarnação ou que ficam muito mais claros com uma visão reencarnacionista, cito os seguintes:
a) João 1,1 a 18. Neste trecho está muito claro que Jesus, nosso Mestre e Guia, existia antes de nascer entre nós: “No princípio era o Verbo e o Verbo estava em Deus ... e o Verbo era Deus... e o Verbo se fez carne e habitou entre nós... e está na glória de Deus”.
Bom, se Jesus, nosso Mestre, veio de onde veio para nos ajudar e amar, por que os seus discípulos não poderiam fazer o mesmo que o Mestre fez? No meu ponto de vista é muito lógico e racional que os discípulos façam o mesmo que o Mestre fez e ensinou, então eles todos poderiam voltar a viver na carne: reencarnar..... e isso seria muito normal mesmo.
b) João 3,11 a 13. Jesus nos explica e ensina que só podemos falar daquilo que sabemos e dar testemunho daquilo que vimos. O renascer de um homem adulto (Jo 3,3) é um processo de conversão e isso é coisa da terra, que todo mestre devia saber (Jo 3,10). Já no versículo 12, Jesus deixa claro que ele conhecia as coisas do céu, as quais não seriam compreendidas nem por Nicodemos, que era um mestre de Israel. A reencarnação é uma das coisas do céu, pois um espírito sai da glória celestial ou do plano invisível e vem habitar entre a humanidade em evolução. Esse gesto é uma prova de muito amor e consideração para com todos. A morte também, que não é morte mas uma libertação e uma vitória, é também uma das coisas do Céu, pois o corpo de carne fica aqui e o espírito vitorioso volta para o Céu ou para o Plano Invisível. O medo da morte é por causa da nossa ignorância...
c) João 16,12 a 15. Aqui Jesus deixa muito claro mesmo que ele não nos ensinou tudo: havia algo mais. A revelação de Deus aos homens não terminou com a Bíblia. Temos que compreendemos a evolução da revelação de Deus a nós e consequentemente defendemos a nossa própria evolução. Ninguém consegue entender e defender perfeitamente a criação e a evolução sem uma visão reencarnacionista. Hoje sei e compreendo muito bem a evolução, passei a conhecer o “meu inconsciente” por processos de busca interior, estudos, revelações e finalmente muito estudo com busca interior e exterior, como também revelações do exterior, que para muitos eram só do interior ou até mesmo um puro desequilíbrio mental.
Vejo e entendo a nossa evolução como a caminhada de cada um de nós para a sabedoria e perfeição plenas, continuando a existência individual de todos nós e não como defendeu Teilhard de Chardin, onde tudo e todas as coisas convergem para a UNIDADE ou para Deus (anulando-se em Deus). A visão de Teilhar de Chardin é uma outra forma de apresentar o “monismo de Pietro Uballdi”. O monismo de Pietro Ubaldi é idêntico ao “panteísmo de outros filósofos”. Monismo e panteismo são teses defendidas por grandes pensadores, que ainda não atingiram a sabedoria plena. É, como muitos teólogos, que aceitam o mistério para ocultar ou aceitar a própria ignorância. Monismo: a criação é Deus, então Deus é tudo. Panteísmo: tudo é Deus. Monismo e Panteísmo são pseudas idéias da evolução, da compreensão de Deus e ou mesmo da criação de Deus.
d) João 9,1 a 41. Neste trecho pode-se ver claramente na pergunta dos discípulos de Jesus uma crença geral da existência do “espírito ou alma” antes do nascimento, pois se foi o cego que pecou, o pecado teria que ser antes de nascer, já que nasceu cego. Caso o pecado do cego fosse posterior ao seu nascimento, então o castigo foi dado antes da culpa e isto não seria justo e nem perfeito, nem seria de Deus. Caso os pais fossem os pecadores, seria também uma grande injustiça, pois uns pecam e outros recebem o castigo. Isso seria também contrário ao que está escrito na Bíblia: - “Não farás morrer um pai pelo filho, nem um filho pelo pai, mas cada um morrerá por seu próprio pecado” (Dt 24,16)
A resposta de Jesus, dizendo que ninguém pecou e que tudo foi para que sejam manifestadas as obras de Deus, deixa para nós outra interrogação, que é: “Deus, que é bom, justo, perfeito e sábio, iria aceitar esse padecimento e sofrimento apenas para manifestar a sua glória”? Essa atitude seria digna só de quem não é perfeito. Deus não iria permitir que um ser humano nascesse e vivesse cego por tanto tempo apenas para manifestar as suas obras. É muito mais lógico e racional ver aqui um pagamento de pecados ou erros do passado (de vidas passadas) cometidos pelo próprio espírito, que busca a sua evolução e se livra da prisão, que para muitos parece eterna (= o Inferno Eterno). Como se vê em Mateus 5,23 a 28; 18,23 a 35, trechos do Evangelho que condenam a doutrina das penas eternas e onde existe sim o ensino da cobrança ou do pagamento dos próprios erros passados com penas e castigos, mas quando tudo for pago o “ser” estará novamente livre.
e) Mateus 17,9 a 13; 11,11 a 15; Marcos 9,9 a 13 e Lucas 1,11 a 17. Nestes quatro trechos pode-se entender que João Batista e o profeta Elias são duas encarnações do mesmo espírito. Quando se aceita a reencarnação não existe mais dúvidas por causa da clareza dos trechos. Em Lucas 1,17 pode-se ver ainda um grande auxílio para a psicologia e psiquiatria modernas entenderem o inconsciente individual profundo: “com o espírito e poder de Elias” (Lc 1,17). Sendo João Batista uma reencarnação de Elias, então tudo, o que Elias fez, viveu e aprendeu em suas experiências de vida, pertenceu ao “inconsciente individual de João Batista”. O inconsciente individual é uma conquista de cada um em seus passados e não algo vago, que ninguém consegue explicar ou entender, um “iceberg”, como me disse aquele psiquiatra, que o convidou para uma reunião comigo no consultório dele em março de 1980. No “iceberg” se vê o que está a tona d’água e nada se sabe do que está submerso, isso também é uma prova que Deus não nos abandona aqui na terra, quando estamos evoluindo ou em missões, pois tudo fica muito bem protegido sob muitos selos, cadeados, segredos e até labirintos mentais indecifráveis. Por isso escrevi aquela explicação no final do meu trabalho: “Você Sabe Quem é Você? E se Autoconhece?”.
f) Mateus 13,44: “O Reino de Céus é semelhante a um tesouro escondido no campo, um homem o acha e torna a esconder e na sua alegria, vai, vende tudo o que possui e compra aquele campo” (da Bíblia de Jerusalém). Em algumas traduções ainda se diz: “....e na alegria de o achar de novo....”. Este foi o primeiro trecho bíblico onde vi e compreendi, por revelação, a reencarnação, mas naquele dia (10/01/1980) eu não tinha o controle emocional para escrever a parábola toda, mas apenas em rápidas palavras dei a explicação: nasce, cresce, encontra e morre ( ou nasce, cresce, morre e encontra). O campo é o corpo de carne e o “Reino de Deus” é vivência consciente com a sabedoria, consigo mesmo, com a Verdade.... e.... com Deus.
g) Mateus 5,24. (Continua)] Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sex, 01/Jan/2010 22:45, em um total de 4 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 19/Jan/2008 17:50 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Resolvi postar mais esta carta para o meu irmão padre, na qual defendo a reencarnação pela Bíblia:
Endereços do início desta carta:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=95992#p95992
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=95993#p95993
(Continuação).
g) Mateus 5,24. Aqui podemos entender também que quando um espírito estiver pronto para entrar no Céu e lembrar que alguém tem algo contra ele, Jesus o aconselha a deixar a oferta (a entrada no Céu) e ir (voltar para) reconciliar com o irmão (reencarnar); isto é: “quitação de débitos passados, mesmo que foram praticados há milhares de anos atrás”. A justiça invisível ou espiritual é plenamente perfeita e tudo tem que ser pago para conseguir a plenitude da libertação.
h) Mateus 16,13 a 17; Marcos 6,14 a 16; 8,27 a 30; Lucas 9,7 a 9 e 18 a 21. Nestes trechos, como em João 9,1 a 3, pode-se deduzir que a idéia da preexistência do espírito era de uma certa forma aceita e até defendida já naquela época. Algumas teses de Orígines, como a preexistência da alma, a salvação universal, a inferioridade do Filho em relação ao Pai, que foram condenadas como heresias, são na realidade grandes fantásticas teses, que foram doadas por Deus para nos ajudar a encontrar a Verdade, mas foram condenadas e renegadas pelos orgulhosos líderes religiosos. Vendo, lendo e estudando estas teses hoje entendo como erraram os dirigentes daquela época, dificultando o descobrimento da Verdade, que explica a todos os mistérios.
Outras heresias, principalmente a de Ario, cujas teses foram destruídas, na realidade foram grandes ajudas para que nós, os homens, encontrássemos a VERDADE, que é a vivência perfeita dos ensinamentos de Jesus, nos quais nada pode ser imposto contra a vontade de um ou de muitos. Os maiores erros cometidos pelos dirigentes são as imposições de princípios não convincentes, que tiraram até a liberdade de “pensar” de muitos grandes pensadores, que humildemente respeitavam a Hierarquia ou a temiam, com medo da prisão, tortura, morte e ou da excomunhão, que é a condenação ao Inferno Eterno.
Até São Francisco de Assis não quis estudar, ele só quis viver conforme o Evangelho, pois ele devia ser contrário ao estudo da teologia dominante e imposta. Por que será? Toda a Bíblia fica muito mais compreensível com a visão reencarnacionista, como exemplos cito:
- “Bem-aventurados os mansos, porque herdarão a terra” (Mt 5,4). Essa bem-aventurança só será plenamente compreendida após ter aceita e entendida a teoria das vidas sucessivas. Pois só quem for manso permanecerá ou poderá reencarnar na terra, quando o Reino de Deus estiver aqui implantado ou o BEM administrando tudo.
- “Eu vos digo que do mesmo modo haverá mais alegria no céu por um só pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não precisam de arrependimento” (Lc 15,7). Como todos os espíritos estão em evolução e não há regressão, quando um pecador se arrepende ele passa para o lado do BEM, do céu e por isso todos os que já se encontram no céu (com ou sem o corpo físico) muito se alegrarão. É uma vitória do BEM...., uma conquista de mais um ser, mais um elemento que entra para o céu.
- “Pois hão de surgir falsos Cristos e falsos profetas, que apresentarão grandes sinais e prodígios de modo a enganar, se possível, até mesmo os eleitos” (Mt 24,24). Se já são eleitos, porque então estão vivendo entre os homens? Só se compreende esse ensinamento quando espíritos já eleitos voltam a carne para continuar trabalhando em prol do Evangelho de Jesus, nesses casos esses espíritos nunca poderão ser enganados pelos sinais e prodígios dos falsos profetas. Os “inconscientes individuais” destes espíritos e os anjos de guarda deles estarão sempre vigilantes ou em estado de alerta. Basta ver e analisar muitos exemplos do passado e do presente, com uma clara visão para o futuro.
Frei Basílio, na carta anterior, quando fiz referências ao jogo da vida e que eu tinha o casal na mão, só que não sabia quando seriam mostradas as cartas, fazia referência aos assuntos, que resumidamente relatei na carta para o Papa João Paulo II. Com referência aos outros jogadores, meus companheiros, posso lhe falar o seguinte: “Entre os meus companheiros atuais já sei dos seguintes espíritos do passado, reencarnados como eu e sou o principal responsável atualmente por muitos deles. Sei quem eles são hoje: Jesus de Nazaré, Moisés (o legislador hebreu), Estevão (o primeiro mártir), São Paulo da Cruz e São Domingos, além de muitos outros. Existem ainda outros companheiros, entre os quais muitos poderiam ter assumido o papel ou a responsabilidade que hoje assumi, Deus não iria correr o risco só com o meu espírito. Estamos vivendo um importante momento cósmico. Vou citar outros nomes: São Tito; os apóstolos: Pedro, Tiago Maior, Tiago Menor, Tomé, Simão, André, Mateus, Judas Tadeu, Felipe, Bartolomeu e até o Judas Iscariotes; os gregos: Platão, Aristóteles, Sócrates e Euclides; São Tomás de Aquino e São João da Cruz; os filósofos muçulmanos: Avicena, Averróis e Al-Farabi; os profetas bíblicos: Eliseu, Elias, Samuel e Daniel, perfazendo um somatório de 16 espíritos em busca da perfeição”. Alguns destes tiveram duas ou três vidas, é claro que em momentos ou épocas diferentes.
É um grande absurdo tudo isso, Frei Basílio, mas essa é a minha realidade atual, para vivê-la e revelá-la aqui estou. Não estou mais tão emocionado, como naquela noite em que conversamos em minha casa, na rua Tenente Vitorino, 146, Santa Tereza, no dia 11/01/1980. Naquele dia você deve ter levado um grande susto comigo, julgando-me um “louco-manso” (essa expressão é minha). Naqueles dias de janeiro de 1980, eu realmente necessitava de silêncio, tranqüilidade e compreensão para conseguir conviver com aquela nova experiência de conhecer realmente a mim mesmo e a DEUS-PAI-MÃE. Continuo contando com o seu auxílio, pois essa responsabilidade não é só minha e Jesus confiou em todos nós. Mas as drogas industrializadas (remédios) não me deixaram pensar por muito e muito tempo, pois elas nos colocam como mortos em pé e não nos permitem nem a raciocinar com perfeição. Você já sabe muito sobre essas coisas.
Acabei de dar um telefonema para o Daniel, todo o pessoal por lá vai indo bem, mas existem duas notícias não muito agradáveis sob uma visão apenas da terra: nossa prima Maria de Lourdes, filha do tio Sérgio, foi enterrada hoje, ela teve um derrame cerebral; o Gabriel (do Zé) está passando por difíceis problemas de saúde, ele teve que amputar o braço direito por causa de câncer de pele e também fez uma operação aqui em BH para colocar uma vértebra artificial, ele está com a medula toda tomada pelo câncer e já faz muitos dias que não consegue andar.
Malvina está fazendo o Guilherme dormir, agradeço a Deus por ter colocado em meu caminho essa companheira, que muito me ajuda e muito me entende. Com o auxílio dela passei a ter muito mais força para enfrentar a difícil compreensão e divulgação da Verdade, que liberta, pois quase todos rejeitam a boa nova da PAZ PLENA.
O Guilherme cada vez mais mostra o tesouro que está escondido dentro dele e ele já apresenta reações, que espantam a gente. O Fábio é um líder dos rapazinhos da rua e quando quer mostra também as suas capacidades. A Sílvia está trabalhando e já inicia a grande responsabilidade pela subida rumo a ser realmente gente responsável e senhora de si. A Cláudia está na faculdade a noite e ainda mostra muita “empolgação” com a vitória do vestibular e muita importância em ser uma universitária.
Todos enviam-lhe muitas lembranças. Abraços do irmão mais novo, que muito o estima e conta com o seu auxílio, compreensão e apoio..... Rosário Américo de Resende
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 16:31, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 19/Jan/2008 19:08 
Offline
S.O.M.

Registrado em: Ter, 21/Dez/2004 16:01
Mensagens: 421
Localização: Não faço idéia
Oi Rosário.
Você não tem respostas ás suas cartas que queira colocar aqui no fórum?


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 19/Jan/2008 20:42 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Chariots_of_Fire, um abraço.
Citação:
Oi Rosário.
Você não tem respostas ás suas cartas que queira colocar aqui no fórum?
De algumas cartas eu recebi respostas sim e já até postei parte destas respostas aqui, como podem ser vistas:
Duas resposta do Pe. João B. Libânio 01/11/1992). 01/05/2007; às 23:49
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=72460#p72460
Citação:
Belo Horizonte, 01 de Novembro de 1992.
Prezado Sr. Rosário A. Aproveito um intervalo nas minhas atividades paroquiais de fim de semana, passo a responder-lhe a carta de 13/09/1992.
Achei muito interessantes suas reflexões teológicas. Vejo como se interessa por esta campo maravilhoso da reflexão sobre a fé. É difícil responder por escrito o que penso a respeito de suas colocações. Há muitas questões que envolvem a questão da redenção humana, do perdão de Deus, da ofensa a Deus etc...
Antes de tudo, vale uma célebre afirmação de Santo Tomás: “o que afirmamos de Deus é sempre mais equivocado que correto, pois sabemos mais o que Deus não é do que ele é”. Em termos filosófico, nosso conhecimento de Deus é analógico. Tem uma dimensão de inadequação. Assim quando falamos que Deus se ofende aplicamos a Ele uma expressão humana. E você mostrou muito bem o lado frágil e errado da afirmação. Mas há também um lado verdadeiro. Deus se ofende pode significar uma maneira de exprimir que todo pecado tem uma dimensão de ruptura de nossa relação com Ele......
Citação:
Belo Horizonte, 10 de Abril de 1993.
Prezado Sr. Rosário: Hoje é Sábado Santo. Nesta noite a Igreja celebra o mistério fulgurante da Ressurreição. Que a alegria e esperança do Ressuscitado lhe encham a vida.
Recebi sua carta. A sua carta revela grande manuseio e conhecimento da Escritura. Hoje ela é um mundo de pesquisas e descobertas. Assim para cada passagem podemos recorrer a especialistas.
Você levanta a questão de que Deus não perdoa porque ele não se ofende. Acontece que quando falamos de Deus, sempre o fazemos de modo figurado.......
Respostas: Trechos das respostas Estanislau e Basílio: 04/05/2007

viewtopic.php?f=12&t=3650&p=72821#p72821
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=88869#p88869
Citação:
São João del Rei, 05 de Agosto de 1991.
Meu amigo e irmão: Paz e Bem.
Fico muito agradecido a você por esta atenção em me colocar por dentro de tudo que lhe vem acontecendo. Li tudo com atenção e respeito.
Claro que não podemos negar os fatos. A gente sente você plenamente normal. Só discordamos na interpretação dos fatos pois nossos instrumentos são diversos. Um tal discernimento é bem difícil e precisaríamos de algo mais para confirmar a sobrenaturalidade dos mesmos fatos.......
Citação:
Manica, 01 de Abril de 1992.
Meu querido irmão e amigo Rosário!
Eu lhe desejo toda PAZ, todo BEM, toda ALEGRIA que você merece, por buscar o conhecimento verdadeiro e a moralidade plena!
.............
Rosário, já li todos os seus trabalhos e cartas. Sei que você está elaborando uma síntese de pensamento grandiosa e universal.
Nunca duvidei de sua honestidade, bondade, inteligência, firmeza nos seus propósitos e objetivos. Como também nunca duvidei de sua sinceridade.......
Nos endereços citados as três primeiras estão completas.
Mas os todos os teólogos, quando viram e começaram a entender o que eu estava fazendo simplesmente calaram.
Agora se alguém desejar eu posso postar todas as respostas, que eu já recebi, mas julgo que o mais interessante é o que eu escrevi e escrevo, e, algumas partes das respostas, que foram curtas.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 16:40, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 20/Jan/2008 10:15 
Offline
S.O.M.
Avatar do usuário

Registrado em: Qui, 30/Jun/2005 16:54
Mensagens: 85
Localização: São Caetano do Sul - SP
Rosário

Sempre vejo em seus posts citações da sua experiência, vc deve ser uma pessoa muito vivida.
Mas gostaria de saber o que lhe faz pensar que somente a sua experiência vale em todos os tópicos em que toma partido.

Grande abraço

_________________
Gustavo H. de Francisco
Visite meu portfolio
quintaessentia NOVO SITE


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 20/Jan/2008 21:21 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Alaghi, um abraço.
Citação:
Rosário
Sempre vejo em seus posts citações da sua experiência, vc deve ser uma pessoa muito vivida.
Mas gostaria de saber o que lhe faz pensar que somente a sua experiência vale em todos os tópicos em que toma partido.
Julgo que você não está entendendo bem o meu modo de falar, pois nunca disse que é só a minha experiência é que vale.
Eu já aprendi muito e aprendo com as experiências de todos aqueles que conversaram e conversam comigo, mas que aceitam dialogar comigo.
Só tomei conhecimento de algumas de minhas vidas passadas em função de obras, que foram escritas por pessoas reencarnacionistas, que nada sabiam da minha existência, mas falaram em vidas sucessivas de um "espírito" e eu já sabia de alguns segredos sobre algumas vidas do meu passado! E não foi fácil de eu aceitar isso também. Houve caso, quando li uma notícia sobre duas vidas de um mesmo espírito, eu escrevi no meu exemplar do livro, que aquilo não era verdade. Mas depois uma pessoa falou do assunto em uma reunião publica num Centro Espírita e eu fui contra, mas ele me mandou ler um outro livro e estava lá escrito de novo, o que eu não estava aceitando. E enquanto ia lendo o livro fui também aceitando aquelas revelações, que vieram por intermédio de outras pessoas.
Mas só mudarei os meus pontos de vistas, quando a verdade que me dizem é mais lógica e racional do que a minha e foi assim que entreguei as armas em defesa da vida única no dia 05/01/1980.
Agora falar sobre as experiências que eu já vivi e vivo, julgo que só eu mesmo é que posso falar e se eu não falar ninguém mais irá ficar sabendo.
Agora, você mesmo, Alaghi, não me respondeu ainda sobre a onipresença de Deus.
http://www.espirito.org.br/forum/viewto ... 4987#94987
Citação:
Paz plena... Alaghi, um abraço.
Alaghi escreveu: Segundo o LE, Deus é onisciente (sabe tudo), onipotente (pode tudo) e onipresente (está em todo lugar ao mesmo tempo), além de ser infinitamente justo e bom. Com estes atributos, Deus está em nós, sabe tudo sobre nós, e pode tudo conosco. Não pode haver uma injustiça sequer, pois com todos estes atruibutos, se houvesse uma injustiça no Universo Deus não seria Deus.

Rosário escreveu: Onde está escrito no LE que Deus é onipresente?
Sobre os atributos da Divindade: perguntas e respostas de números 10 a 13 temos: Eterno, Imutável, Imaterial, Único, Todo-poderoso e soberanamente justo e bom.
Para mim, a onipresença de Deus é defendida pelas religiões católicas, protestantes, pentecostais e também pela Teosofia, e, devem existir outras.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 16:45, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 21/Jan/2008 08:38 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Alaghi, um abraço.
Citação:
Rosário
Sempre vejo em seus posts citações da sua experiência, vc deve ser uma pessoa muito vivida.
Mas gostaria de saber o que lhe faz pensar que somente a sua experiência vale em todos os tópicos em que toma partido.
Já lhe enviei uma outra resposta antes desta, mas resolvi comentar mais um pouco sobre essa sua postagem.
Analise bem o que escrevi:
"Mas só mudarei os meus pontos de vistas, quando a verdade que me dizem é mais lógica e racional do que a minha e foi assim que entreguei as armas em defesa da vida única no dia 05/01/1980".
E vou dar mais algumas explicações sobre o que escrevi. Quando aceitei a "reencarnação como verdade" no dia 05/01/1980, eu ainda não conhecia nada sobre o "ESPIRITISMO" e só fui a um Centro Espírita, em março de 1981, situado no Bairro Jardim América em Belo Horizonte, porque a minha primeira esposa me pediu para velá-la, pois disseram para ela que lá havia um médium que fazia curas de câncer.
Os atendimentos eram aos domingos a partir das 15,00 horas, mas de 14 em 14 dias. O atendimento individual era pela ordem de chegada.
Na 1ª vez eu não aceitei marcar uma consulta para mim, pois não aceitava nada do que lá acontecia. Até a minha esposa me pediu para marcar uma consulta para mim e eu não aceitei.
Na 2ª vez, que fomos lá, logo após ela ter marcado a consulta, ela veio e sentou ao meu lado e me disse:
"Por que você não marca um atendimento para você também?"
"Olha, você sabe que eu não acredito em nada do que é feito aqui!". E ai ela me falou:
"Olha, Rosário, se eles aqui não lhe fizerem bem, mal também eles não lhe fazem, pois você viu que na reunião passada eles só ficaram lendo trechos do Evangelho lá frente".
E ela me convenceu. Aceitei a fazer a consulta individual e fui ao responsável e dei o meu nome para a lista de atendimento individual e fiquei umas três pessoas atrás de minha esposa.
Quando chegou a minha vez e entrei para a sala de atendimento, vi vários médiuns concentrados e o responsável, que estava mediunizado, mas eu não sabia, falou para mim assim:
"O que aconteceu, irmão?"
Quando ele falou irmão, aquilo foi tão bom para mim, que destruiu tudo o que tinha aprendido contra o "Espiritismo".
E, após explicar o que tinha acontecido, comigo em Janeiro de 1980 e que todos estavam me julgando como um "doente mental", ele falou para mim:
"Irmão, você não está doente, o problema é que os amigos espirituais querem manter contato. Você conhece alguma coisa sobre isso?"
Como eu não conhecia nada, ele me orientou para ler e iniciar pela obra de André Luiz e assim o fiz. E ainda marcou que eu ia participar da uma reunião de captação, que era feita antes dos atendimentos gerais e após 28 dias.
Mas no dia marcado eles não me chamaram e, após o meu pedido de explicação foi me dito que o meu caso era de extremos: "Muito bom ou muito ruim". E me orientaram para iniciar a ler e estudar também toda a Codificação, o que fiz imediatamente.
Ele também foi a primeira pessoa que me disse que eu não estava doente e isso também foi muito bom ouvir, pois eu também sabia que o que acontecia comigo era algo muito bom e que vinha da espiritualidade. Mas até aquele dia eu só tinha conhecimentos do catolicismo e da Bíblia, então julgava que eu estava recebendo revelações do "Espírito Santo", ensinado pela catolicismo.

Logo que iniciei os meus estudos teóricos e práticos sobre o Kardecismo, comecei a rever tudo o que tinha aprendido nos meus 34 anos de católico, apostólico, romano.
Passei a entender que a Bíblia, era um conjunto de livros mediúnicos, e, que assim eram mantidos pela espiritualidade em suas diversas traduções com acréscimos, reduções ou não, e nos estudos de todos os teólogos e não teólogos, pois as inspirações também ocorrem com aqueles que nada sabem sobre o assunto.
Consegui unir todos os meus estudos teológicos e bíblicos com a matemática e passei a falar de Deus usando a figura do "círculo".
Em 1984, enquanto conversava com uma entidade, ela me disse que a melhor figura matemática para falar de Deus não era o "circulo", mas a "reta", pois no "círculo" podemos ver que ele não tem início e nem fim, é um círculo e que também podem ser traçados círculos de vários tamanhos. Então isso não era bom e perfeito para tentar explicar sobre "Deus".
Mas "reta" não tem início e nem fim, mas ninguém consegui traçar uma reta completa, então só podemos pensar na infinitude da reta. E todos as retas são iguais, pois não há possibilidade de pensar numa reta diferente da outra. A reta sim, era uma figura perfeita para ser comparada com Deus. E aceitei isso também.
Essa entidade também me ensinou que nós, que fomos criados, temos que ir evoluindo dentro de uma visão do "espiral", pois sempre, que voltamos a um corpo de carne, aprendemos mais e tudo que o já tínhamos aprendido antes ou em vidas passadas, faz parte do nosso inconsciente profundo. E aqui está a explicação dos fenômenos do animismo, então estudar o animismo também é muito importante para que possamos compreender aos outros e a nós mesmos. Aceitei essa lógica também.
O mais difícil para que eu aceitasse foi as explicações que fui recebendo com relação a criação de coisas e seres não bons, como plantas venenosas, cobras venenosas e outras coisas.
Sempre recebia uma resposta mais ou menos assim:
"Os espíritos criados simples e ignorantes, recebem ordens de seus superiores e como existem seres humanos não bons, também existem espíritos não bons".
Mas isso não explicava a origem de criações de coisas não boas. Até que recebi a informação final de que não é só Deus que cria os espíritos, pois existem espíritos, que já adquiriram tão grandes conhecimentos, que passaram também a criar espíritos, pois queriam ser iguais a Deus em tudo e essa foi a causa da batalha no céu, como está escrito no Apocalipse 12, 7 a 10.
Isso foi difícil aceitar, mas aceitei também, pois havia muita lógica em tudo.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 16:47, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 21/Jan/2008 10:42 
Offline
S.O.M.
Avatar do usuário

Registrado em: Qui, 30/Jun/2005 16:54
Mensagens: 85
Localização: São Caetano do Sul - SP
Rosário

Vc se considera um mestre?

_________________
Gustavo H. de Francisco
Visite meu portfolio
quintaessentia NOVO SITE


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 21/Jan/2008 13:07 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6688
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Alaghi, um abraço.
Você fez a pergunta e vou lhe dizer que onde trabalhei de 19/03/1986 até Maio de 2005, quando completei os meus 60 anos, quase todos me chamavam e ainda chamam de mestre.
Agora dizer que sou mestre digo que quem vai poder lhe dizer isso são aqueles que me ouvem e me conhecem e também aqueles que analisam tudo o que estou fazendo.
Eu sei de muitas coisas que tenho que aprender ainda e aprendo com todos aqueles que me interrogam e colocam em dúvida o que eu conto e divulgo sobre a minha história.
Em tempo, veja esses meus diálogos com psiquiatras, que estão no meu Auto Relato:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=71752#p71752
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=71896#p71896
Citação:
Vou contar uns diálogos entre mim e o Dr. IS. O mesmo disse-me:
- “Pelo que sei, você tem um QI muito alto”.
- “Se ter medalhas de ouro é sinônimo de QI alto, tenho duas”. Respondi de pronto
- “Todo mundo que tem um QI alto tem também problema mental”. Disse-me o Dr. IS:
- “Bom, cada um tem a sua opinião e o direito de falar o que quiser”.
- “Até Jesus tinha problemas mentais, por isso que ele fazia milagres”. Comentou o psiquiatra. Respondi, perguntando:
- “Então o senhor aceita que ele, Jesus, fazia milagres?”.
Fiz essa pergunta porque era a segunda ignorância, que ouvia da parte do Dr. Fiquei sem resposta, por isso continuei na ofensiva:
- “Por isso, Dr., que disse que cada um tem a sua opinião!”.
Ele ficou em silêncio, então comentei:
- “Dr., os remédios psiquiátricos são uma prisão química”.
- “Realmente são”. Concordou o Dr. IS, encantoado e vencido.
- “E porque, vocês então fazem isso com a gente, receitando essas drogas-cadeias?”.
- “É para tirar vocês de combate, senão vocês vencem a gente. A psiquiatria não sabe ainda como tratar ou combater esses casos”. Respondeu o Dr. IS, tentando arranjar uma saída honrosa.

Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 16:54, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 1096 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 28, 29, 30, 31, 32, 33, 34 ... 74  Próximo

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 6 visitantes


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB® Forum Software © phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB