Portal do Espirito

A sua referencia em Doutrina Espirita na Internet
Bem-vindo: Ter, 13/Nov/2018 01:50
Ler mensagens sem resposta | Pesquisar por tópicos ativos


Todos os horários são GMT - 3 horas




Criar novo tópico Responder  [ 1085 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29 ... 73  Próximo
Autor Mensagem
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 15/Set/2007 21:25 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... (Continuação).
................
Se eu não tivesse um bom conhecimento e muito discernimento poderia ter achado que a “voz”, que ouvi, era de Deus ou do Senhor e fundaria uma nova religião, caindo assim numa das tentações mais difíceis para um ser humano. O orgulho de querer ser o chefe ou o dono da religião fala muito alto dentro de cada um de nós. É o mesmo de querer ser o Papa sem passar pelo processo da escolha e da eleição final. Quando estamos com medo de um exército, então procuramos dividi-lo e aí fica mais fácil derrotá-lo, esta é uma das armas dos que estão trabalhando contra a Unificação e a VERDADE.
Veja como foi e ainda é muito difícil para que eu receba orientações sobre a Fé Cristã. Em 12/04/1984 fui aconselhado por uma monja clarissa a procurar um certo padre para conversar e pedir ao mesmo orientações e conselhos sobre o que estava acontecendo em minha vida. Alguns dias depois telefonei para o tal padre, expliquei-lhe o motivo do meu telefonema e pedia a ele uma oportunidade para marcar uma conversa entre nós. Recebi essa decepcionante resposta:
- “Olha, eu não tenho tempo para conversar em particular com você. Caso você queira vir aqui para participar do grupo de jovens, que dirijo então pode vir. Mas que fique tudo desde já muito claro: Não tenho tempo para conversas em particular com você”.
Por causa desta resposta nunca mais telefonei para o tal padre, nem o procurei e nem sei mais qual é nome dele. Para mim foi uma grande decepção e uma ducha de água fria no meu ânimo e coragem para procurar aquela pessoa que se dizia orientador de almas e seguidor do Evangelho de Jesus, que sempre nos ensina a praticar o AMOR para com todos e a buscar a vida em abundância, como também a ovelha e a dracma perdidas.
No princípio de 1988 procurei novamente a mesma monja e conversamos por uma hora. Contei a ela o que aconteceu com o tal padre, quando ela me perguntou se o tinha procurado. Aí ela voltou a me aconselhar para procurar o Bispo Dom Cristiano Portela Araújo Pena.
Num sábado, ali pelas 18,00 horas liguei para o Bispo Dom Cristiano e falei sobre o aconselhamento da monja Maria Pia. Ele prontificou-se imediatamente para me receber e marcou comigo um encontro no mesmo dia às 20,00 horas. Este de imediato parecia ser um provável conselheiro e auxiliar para mim.
Na época o Dom Cristiano residia no Hospital Madre Teresa, Av. Raja Gabaglia, 1002.
Cheguei para o nosso encontro, um pouco mais cedo, às 19,40horas. Ele estava rezando o “Breviário”, mas recebeu-me de pronto. Como não sabia o que este Bispo sabia e também já tinha levado um grande fora de um outro padre e que era o meu pároco, em 1982, quando conversei sobre a Bíblia Sagrada, então decidi mudar a tática e expus o objetivo da minha visita, dizendo:
- “Dom Cristiano aqui estou orientado pela monja Maria Pia. Em 1980 comecei a viver experiências novas e por causa delas não fui compreendido por quase todo mundo. Passei a sentir intensas vibrações emocionais e agi de uma forma bem desequilibrada. Os psiquiatras me consideraram com um grande desequilíbrio mental e por causa dos remédios que receitaram para mim não conseguia executar bem o meu trabalho. Estes remédios se transformam numa prisão química para quem os consome. Fiquei quase 4 anos de licença médica, fui aposentado por invalidez, mas consegui cancelar a mesma e hoje estou trabalhando novamente. Até o meu irmão padre não me compreendeu”.
O Dom Cristiano nada falou, apenas repetia uma expressão: “Eh!! Eh!!”. E eu não descobria qual era a dele. O meu recurso foi tentar expor com mais clareza o assunto, contando o que se passou em 1984 com o tal padre, mas ele só repetia: “Eh!! Eh!!”.
Então decidi abrir mais o jogo, mostrando ainda mais as minhas cartas e perguntei a ele:
- “O Senhor, Dom Cristiano, já ouviu falar do Chico Xavier?”. Ele respondeu-me com um “Já”, mas com uma expressão bem negativa e até ameaçadora. Continuei expondo o meu principal objetivo, naquele momento:
- “Eh!! Dom Cristiano, a mediunidade é um grande mistério!!”. Ele voltou a repetir o “Eh”, mas já parecia que estava tomando veneno e querendo vomitar tudo em mim.
Mas, apesar de tudo, tinha que continuar e não podia mais mudar o rumo e disse para ele:
- “O meu problema é este!”.
A reação do Dom Cristiano para mim foi tão inesperada e bem anti-cristã, ele disse-me:
- “Não entendo disto. Não quero entender e não tenho mais tempo de conversar com você!”.
A única saída que tive foi pedir perdão pelo tempo que já tinha tomado dele, despedi dele e sai. Chegando na portaria do Hospital, ainda muito assustado e desapontado com tudo, pois parecia que eu tinha cometido um grande crime, comentei com o porteiro sobre a reação radical do Bispo, que representa um dos seguidores dos apóstolos de Cristo, como o Senhor, Dom Aldo, também o é. Tinha uma necessidade de conversar imediatamente com um verdadeiro e simples “ser humano”. O porteiro tentou justificar para mim a posição tomada pelo Bispo, mas para mim era mesmo quase injustificável.
Quando entrei no meu carro, o meu querido, bondoso, paciente e sábio “Velho Jó”, que é o meu espírito mentor e está identificado na carta de 29/03/2001, item “a”, falou-me assim: “Não fique triste e nem desapontado. Você só viu o plano físico. Se você visse o plano invisível e visse quem foi convidado para ouvir este rápido e importante diálogo, então você iria dar pulos de alegria”.
Esta sábia e importante observação me ensinou uma coisa muito significativa e deu-me uma grande tranquilidade, pois não tinha perdido o meu tempo. Passei a compreender cada vez mais clara e profundamente o “Mistério da Santíssimo Trindade”, como já expus na carta de 29/01/2000, que foi escrita para o Bispo Dom Célio de Oliveria Goulart e incluída no meu opúsculo “Volume 1/3”.
Em agosto de 1997 voltei a ter uma rápida conversa com o Bispo Dom Cristiano, 9 anos e meio depois. Assim agi porque tinha uma certeza quase plena de que ele não lembraria nada sobre a minha pessoa. Logo que toquei a campainha da residência do Bispo Dom Cristiano, ele atendeu-me com muita presteza e boa vontade. Pedi para conversar um pouco com ele e prontamente convidou-me para entrar. Iniciamos o nosso diálogo:
- “Como você está?”. Perguntou-me o Bispo.
- “Estou muito bem!”. Respondi.
- “Você está bem no seu serviço?”.
- “Sim”. Respondi.
- “Você vive bem com a sua família?”. Perguntou-me novamente querendo encontrar algo errado comigo. Voltei a responder simplesmente com um “sim”. Aí o Bispo comentou:
- “Não estou entendendo! Qual é o problema, então?”.
- “Aqui está o problema! Pois vivo imensamente bem. Sinto a presença de Deus em todo o lugar onde estou. Quero para todos uma PAZ realmente PLENA. Sinto-me imensamente bem e nada posso falar sobre estes assuntos, pois sou julgado alienado, utópico, não sou compreendido e todos julgam o que falo e tento fazer como uma imensa utopia”. Expliquei por minha vez.
O Bispo mudou completamente de atitude e falou-me assim:
- “Estou gostando imensamente de conversar com você. Muitos vêm aqui para me contar problemas e reclamar dos outros. São dificuldades no serviço, dificuldades e dramas familiares, como: traições, adultérios, separações e muitas coisas mais. Agora você vem com um assunto bom e ótimo como este. Estou imensamente satisfeito em conversar com você”. Ele realmente se apresentava com uma fisionomia muito alegre mesmo.
- “Eu também estou muito contente. Mas como sou muito sincero e gosto das coisas o mais claro possível, digo que em 1988 estive aqui e o Senhor não quis conversar comigo”. Comentei.
- “Eu fiz isso. Não é possível. Então você me perdoa”.
- “Não precisa de me pedir perdão, pois não fiquei ofendido. A prova de que não fiquei ofendido é que estou aqui”.
.............. (Continua)... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:52, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 15/Set/2007 21:28 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Primeiros endereços dessa carta:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86861#p86861
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86862#p86862
(Continuação)
Conversamos mais um pouquinho, despedi e sai muito satisfeito mesmo. Tinha conseguido uma vitória.
Este encontro não foi programado, mas como tive sucesso preparei um plano de ação: “Voltaria lá um mês depois para um outro rápido encontro e comentaria sobre as minhas cartas, ofereceria a ele uma opção para ler algumas delas”. Como planejei, agi.
No mês seguinte, logo que o Bispo Dom Cristiano me viu, fui recebido com muita alegria. Entrei e conversamos por uns 10 a 15 minutos. Comentei sobre as minhas cartas e fiz referência à carta, que escrevi para o Papa João Paulo II. Quando perguntei se ele queria ler algumas das minhas cartas foi logo dizendo:
- “Quero ler sim, mas só a que você escreveu para o Papa”.
Fiquei muito satisfeito, pois queria que ele lesse algumas das minhas cartas e a escolha dele foi fantástica para o meu trabalho, mas também já sabia que iria eliminar qualquer diálogo posterior com ele. Este tinha sido o meu objetivo, quando o procurei, pois sabia que os convidados de 1988 estariam sempre presentes nos meus encontros com o Dom Cristiano.
A espera ansiosa do dia específico de outubro de 1997 terminou e levei para o Bispo Dom Cristiano Portela de Araújo Pena 3 cartas: a do Papa, a de 28/06/1992, escrita para o Frei Basílio e a de 21/07/1993, escrita para o Padre João Batista Libânio. Esta última carta fez parte do “opúsculo” que lhe enviei em agosto de 2001.
O Dom Cristiano me recebeu muito bem mesmo. Logo que sentei numa cadeira entreguei a ele um envelope com as 3 cartas. Ele fez menção de abri-lo para ler as cartas, imediatamente o interrompi dizendo:
- “Não quero que o Senhor leia as cartas agora na minha frente. Pois não quero de forma nenhuma discutir com o Senhor aqui agora. Depois que o Senhor ler tudo com muita calma e meditar sobre os assuntos que estão escritos, aí sim estarei preparado para conversarmos sobre tudo o que escrevi”.
Ele aceitou a minha sugestão e guardou o envelope. Conversamos um pouco mais e despedi dele.
O trabalho iniciado em 1980 estava alcançando um ótimo estágio. Uns 3 dias depois liguei para o Bispo Dom Cristiano e, após apresentar-me, perguntei:
- “ O Senhor leu as cartas que deixei aí. O que comenta e fala agora comigo?”.
- “Não é como você escreveu! Para mim está tudo errado!”. Reagiu o Bispo de uma forma já meio acuado e encurralado.
- “O Senhor aceita ainda conversar comigo?”. Perguntei já quase certo da resposta negativa.
- “Não, é melhor que não conversemos mais. Eu não quero discutir com você!”.
Assim encerrou a série dos meus 4 encontros com o Bispo Dom Cristiano, que hoje já está vivendo na realidade maior e na real presença de Deus.
Hoje, dia 07/03/2002, entendo muito bem a frase, que foi dita pelo meu irmão Frei Basílio, quando entrou na ambulância, que me levaria à Clínica Pinel e assentou perto dos meus pés, pois eu já estava deitado na maca. Ele disse:
- “Alea jacta est!”.
Entendi com muita clareza no dia 12/01/1980 que iniciava a minha marcha contra Roma e era uma mera semelhança com aquilo que aconteceu com o próprio Júlio César, pois o sentido atual tem muito a haver com o “666” do Apocalipse (Ap 13,18). A diferença é que eu não estou marchando contra os Senadores de Roma para destituí-los, mas para confirmar e explicar a grande profecia do Mestre Jesus: “Então, haverá um só rebanho, um só Pastor” (Jo 10,16c). Esta profecia mostra com muita clareza a necessidade da compreensão mútua para que haja a união na Terra entre todos os seres humanos, como também entre todos os grupos e todas as religiões, e só assim teremos “PAZ PLENA para todos”. É necessário que todos os líderes religiosos e civis despojem de seus orgulhos, de suas vaidades, de suas presunções e dos dogmas irracionais, e, vistam com a roupagem da humildade, do amor, do servir, da sabedoria e da união. Este é o grande objetivo da mensagem de Jesus e é também o objetivo final do Projeto da Criação de Deus-Pai-Mãe.
A sua resposta de 03/09/2001 veio realmente confirmar tudo o que já sabia.
Apesar de saber e entender bem a posição contrária de muitos para comigo, principalmente a dos cegos e fanáticos pentecostais que estão sendo dirigidos por cegos ou espertalhões e enganadores, que são lobos vestidos com peles de ovelhas, julguei que já tinha chegado a hora certa e por isso tomei a decisão de enviar-lhe aquele meu “opúsculo”. Como já escrevi, em 07/12/2001, fiquei realmente decepcionado com as suas palavras e a sua atitude.
Apesar de tudo a minha atitude e decisão de escrever para o Senhor ainda está dando ótimos frutos. Espero muito mesmo que continue dando frutos bons e saborosos!!!
Dom Aldo, Deus não está bitolado a nenhum ritual, Deus não é prisioneiro de nenhum grupo religioso, então para que Deus atue entre nós é necessário a existência de um profeta escolhido por Deus mesmo. Isto é o que está muito bem explicado e exposto em toda a “Bíblia Sagrada”. O surgimento de um profeta de Deus está livre de qualquer ritual ou cerimônia religiosa. Assim foi com Moisés (Êxodo 3), Samuel (1 Samuel 3), Isaías (Isaías 6), Jeremias (Jeremias 1), Jesus (Mateus 3,13 a 17 e 4), os 12 apóstolos, São Paulo no caminho de Damasco (Atos dos Apóstolos 9) e muitos outros.
É necessário, que todos os responsáveis pela orientação e direção dos seres humanos, para que cada um encontre o caminho da perfeição e conquiste a sua salvação, estudem, analisem e compreendem bem a posição assumida pelo Doutor da Lei, o grande e humilde Gamaliel, como está escrito: ““Agora, portanto, digo-vos, deixai de ocupar-vos com estes homens. Soltai-os. Pois, se o seu intento ou sua obra provém dos homens, destruir-se-á por si mesma; se vem de Deus, porém, não podereis destruí-los. E não aconteça que vos encontreis movendo guerra a Deus”. Concordaram, então, com ele”. (Atos 5,38 e 39).
A razão da minha grande esperança, fé e confiança em tudo o que estou fazendo está muito bem explicada na carta de 29/01/2002, principalmente nos finais das páginas 1 e 6.
Veja os frutos e poderá compreender a árvore. Espero que esta 3ª carta para o Senhor não seja a última. A messe é grande e os operários precisam servir a todos.
Aceitei a verdade da reencarnação no dia 05/01/1980 e por ter aceitado a reencarnação abri a minha porta interna, que é o caminho para o autoconhecimento. Hoje sei realmente quem sou, sei de onde vim, sei para que aqui estou, sei para onde vou após sair daqui e por isso faço que estou fazendo. Logo após a minha última desencarnação fui saber quem realmente eu era, voltei até ao 1º século da Era Cristã e decidi reencarnar. Antes de reencarnar fiz uma exigência, que só foi aceita por Deus e depois fiz um “Projeto” secreto, no qual agi e vivi até 1979. Hoje participo do Projeto, que foi feito por Deus antes de iniciar a Criação, pois passou a existir uma perfeita simbiose ou integração entre o Projeto que fiz com o Projeto da Criação. Deus, no Projeto da Criação, respeitou, respeita e respeitará plenamente a liberdade de todos.
PAZ PLENA... PAZ PLENA... PAZ PLENA... PAZ PLENA para todos. Rosário A. de Resende.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 09:54, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 17/Set/2007 09:07 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Decidi postar aqui também a 1ª carta para o bispo Dom Aldo Di Cillo Pagatto, pois isso irá ajudar àqueles que realmente desejam entender e dicernir um pouco mais sobre o processo de revelação e compreensão da VERDADE, que nos liberta (João 8,32):

Belo Horizonte, 21 de Agosto de 2001.
Caro amigo em Cristo, Dom Aldo Di Cillo Pagotto... PAZ e BEM..........
É com muita alegria e esperança que estou enviando-lhe esse meu trabalho, onde inclui 13 das minhas cartas, 3 trabalhos, 2 cartas respostas do Padre Oscar Gonzalez Quevedo e 1 carta resposta do meu amigo, José dos Reis Chaves para o Pe. Quevedo.
Desde 1980 tentei conversar clara e profundamente com os meus ex-professores do Seminário, como também com outros teólogos, mas quase sempre encontrei as portas fechadas ou então fugas para a fortaleza inexpugnável do silêncio daqueles que de início aceitaram um diálogo.
A partir de 1988 comecei a escrever cartas e enviá-las a diversos teólogos, pois mesmo que não recebesse respostas, ia registrando tudo e divulgando as minhas descobertas, como também as revelações recebidas, assim também ia cumprindo a minha responsabilidade perante à humanidade.
Estou enviando-lhe esse trabalho, que é, por enquanto, a forma pela qual estou divulgando o que já compreendi e me foi revelado. Nele exponho os meus objetivos.
Espero seus comentários e orientações.
Também espero encontrar no Senhor, Dom Aldo Pagotto, um verdadeiro amigo e mestre católico, e, um digno, sincero e fiel seguidor dos ensinamentos do Mestre Jesus.
Desejo-lhe muita paz...e... uma PAZ PLENA. O amigo, Rosário Américo de Resende.
........
Irmãos foristas, essa carta foi respondida, mas as outras duas não. Vejam a síntese da resposta em:

viewtopic.php?f=12&t=3650&p=86321#p86321
Citação:
Li e reli várias vezes a sua resposta com 65 palavras e, quanto mais a lia, mais me decepcionava com as suas palavras e sua atitude. Depositei uma grande esperança em sua pessoa, pois sei que o Sr. já participou do programa “Espiritismo Via Satélite”. Isso para mim provava o seu aspecto ecumênico, compreensivo e liberal. Julgava que o Sr. era alguém preparado para dar-me auxílio na busca, compreensão e divulgação da VERDADE, que realmente liberta, e juntos, chegaríamos à VERDADE ABSOLUTA.
Dom Aldo, o Sr. escreveu-me: “Procurei ler e compreender. Não ouso fazer nenhum comentário a respeito, nem entrar no mérito de alguma questão elencada. Devolvo-lhe o opúsculo, acreditando que V. S. deva procurar ajuda psicológica, além de orientações específicas no campo da Fé cristã”.
Tentei entender a sua resposta, mas só pude compreender que se o Sr. realmente leu tudo o que lhe enviei, parece que não entendeu nada ou esqueceu-se de tudo pela sua própria resposta.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:01, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 17/Set/2007 11:04 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Para facilitar a quem interessa entender um pouco mais o meu processo mediúnico e o processo da evolução do TODO, vou postar aqui a minha 2ª carta para o teólogo Leonardo Boff:
Belo Horizonte, 05 de Maio de 1997.
Leonardo Boff, que o amor e a luz de Jesus possam envolver a todos nós, que a humildade, sabedoria e intuição de São Francisco de Assis venham em nosso auxílio e assim possamos encontrar, compreender e divulgar a Verdade, que liberta e pacifica o nosso espírito.
Essa é a segunda carta que lhe envio, pois a primeira foi escrita em 12/02/1990 e nem sei se chegou ao seu conhecimento, pois até hoje não recebi resposta. Quando comentei com outras pessoas sobre a primeira carta, que ainda estava sem resposta, recebi o seguinte comentário:
- “O Frei Leonardo Boff é muito ocupado e muito importante para ler tudo o que lhe é enviado. Quase tudo passa ao crivo de uma secretária e ela decide se ele deve ou não tomar conhecimento do assunto”.
Atualmente sou um pesquisador teológico independente e estudo a “Bíblia Sagrada” sem nenhum compromisso com esta ou aquela doutrina, ou mesmo preconceito desta ou daquela doutrina. O meu compromisso é com DEUS-PAI-MÃE e com a VERDADE. Por isso cheguei a conclusões muito interessantes, que deveriam ser analisadas por especialistas em exegese, que tenham suas mentes abertas e “coragem para pensar no já pensado”.
Com esse objetivo já escrevi para muitos teólogos, membros da Hierarquia da Igreja Católica Apostólica Romana, mas esses homens estão muito ocupados com seus trabalhos, “quase profissionais” e não têm tempo de “buscar a ovelha perdida”; ou possuem um severo compromisso com o “direito canônico”, por isso respondem-me com o silêncio, ou ainda considerando-me um herege do século XX. Esquecem que “DEUS” é onipotente e livremente escolhe os seus enviados ou mensageiros. Entre os meus escolhidos está o Padre João Batista Libânio, para o qual já escrevi 4 cartas, expondo minhas teses bíblicas ou teológicas, como:
1) “Deus não Perdoa Nunca”.
2) “O Tentador de Jesus é o mesmo Espírito, que Moisés considerou como Deus: Iahweh”.
3) “A carta Joanina”, que foi baseada no Evangelho Segundo São João Evangelista”.
4) “O Deus imperfeito da Bíblia ou o incompleto (ou errado) ensino sobre a Bíblia”.
5) “As comunicações bíblicas entre os planos visível e invisível”.
Recebi respostas das duas primeiras cartas em dois cartões, mas da terceira e quarta, escritas em 21/07/1993 e 02/01/1994, até hoje só o silêncio veio como reposta. Apesar de todo o silêncio e de todas as portas fechadas, continuo escrevendo, pois tenho plena certeza que escrevo para muitos no presente e no futuro, por isso tiro cópias de tudo e depois vou divulgando para outras pessoas. Essa é a minha responsabilidade, não posso ser omisso e infiel a Deus-Pai-Mãe, que confiou e confia muito em mim. Dele é que recebi essa missão.
A razão dessa carta é porque fui interrogado sobre o seu livro: “Brasa sob Cinzas”, que foi lançado em Belo Horizonte no dia 16/04/1997. Depois a mesma pessoa mostrou-me o livro e leu um pouco para mim dos capítulos I e II, que me espantou e até chocou. Enquanto ouvia a leitura decidi comprar e ler o livro, como também em escrever-lhe. Mesmo que não venha a me responder, mas tinha que por em prática a intuição recebida: “Deus escreve certo em linhas tortas, mas não foi Deus que fez as linhas tortas”.
Com referência a Verônica, digo que você viu apenas o efeito, mas para tudo temos que buscar a causa. Não podemos ver na observação da jovem algo sem causa. A doença dela não foi fruto do acaso ou uma falha na perfeita criação de Deus-Pai-Mãe, o pleno de AMOR E PERFEIÇAO. O acaso não existe, para tudo temos que buscar uma explicação, compreensão e entendimento do porquê e não lamentar o efeito. A justiça invisível é perfeita e justiça é sempre cega, como também cobra até ao último centavo.
Já a comparação do caso de Verônica, a jovem que morreu de leucemia e “virgem sem se sentir virgem”, com a triste história bíblica de Jefté e sua filha, julguei-a muito infeliz. Decepcionei muito mesmo com a sua atitude, pois você não condenou o nefando e vil voto e sua realização, mas justificou o choro das amigas da inocente jovem “porque ela não experimentou o êxtase e o amor fecundo de um homem” (Vide Juízes, 11).
Para mim você perdeu uma ótima ocasião para condenar o bárbaro erro e crime do guerreiro Jefté, que cumpriu o vil voto feito a um tirano invisível e nunca a Deus-Pai-Mãe-Amor. Se um ato como aquele fosse realizado hoje seria crime perante a sociedade e perante Deus, então na antigüidade também deveria ser: quem evoluiu foram os homens e não Deus! Ou será que Deus também se aperfeiçoou? Para mim é mais outra grande ignorância e os teólogos se calam perante ao povo!!!
Existem muitos acontecimento bíblicos, que hoje seriam considerados como atos de “magia negra”. Se hoje são, ontem também o eram. Não podemos nunca pensar que Deus-Pai-Mãe-Amor pôde aprovar atos de magia negra, como expus na 4ª carta para o Padre João Batista Libânio.
No caso do seu encontro e diálogo, após o batizado, do capítulo II, fiquei perplexo com sua meditação e vergonha de você mesmo. Aquele ato, ao qual você refere, nunca seria a expressão de um amor maior. Para mim, você faria um ato de muito amor mesmo, se voltasse lá e a tratasse como uma pessoa digna de ouvir de sua boca o que Jesus nos ensinou a ensinar e amá-la como Jesus nos ensinou a amar. Dizer para ela o que Jesus disse para a mulher adúltera (Jo 8,2 a 11) e para defender Maria, que derramou em seus pés nardo puro, ungindo-o (Jo 12,1 a 8.).
Nos dias de hoje se confundem muito o ato sexual como uma prova de amor e entrega, mas só o ato sexual coloca o ser humano num nível inferior aos animais irracionais, pois estes procuram e fazem o acasalamento só na época do cio para a reprodução, não existindo amor e fidelidade plenos. Já o ser humano se guarda para aquele ou aquela, que juntos irão viver a beleza da entrega de si mesmo em completa fidelidade... Só haverá a plenitude do amor físico e da paz na terra, quando existir fidelidade, amor e entrega dos dois lados. Não havendo fidelidade plena existe o adultério, assim nos ensinou o mestre Jesus, ou o que está escrito é falso? Muitos confundem o amor com a infidelidade e traição, e, a liberdade com a libertinagem!!!
A nossa educação de católicos não nos preparou e nem prepara para a libertação e a vitória pela morte; isto é: a ressurreição, após uma vida digna, honesta e pura, mesmo que seja em condições indignas. O que vale, espiritualmente falando, é aquilo que as traças ou a ferrugem não consomem.
Do capítulo VIII: “A lata de lixo que Deus não tem”, faço os seguintes comentários:
- “Deus não é família, mas utiliza da família para a evolução de sua obra e assim pois possamos vivenciar o seu grande amor, já que participamos intensamente da evolução de sua obra criada e com muito amor, sendo nós mesmos os responsáveis por nossa evolução (salvação).
A trindade ensinada sobre Deus-Pai-Mãe foi e é uma imensa gafe, como também um grande sofisma, que a ortodoxia buscou nos ensinamentos do Egito e Oriente (Índia) e nos fez engolir algo como o “Mistério da Santíssima Trindade”: um dogma e mistério, que nos foi imposto.
Só existe “mistério” por causa da ignorância e orgulho dos sábios e “dogma” é a fórmula encontrada por aquele (ou aqueles), que mandava ou manda e sabe menos, impor a vontade dele, já que quem discordava era considerado como um excomungado ou herege. Tivemos que calar perante muito pseudos dogmas impostos como a verdade pura e cristalina.
........ (Continua). Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Dom, 26/Abr/2009 21:04, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 17/Set/2007 11:09 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
(Continuação).
Como já disse que: “Deus não Perdoa Nunca” e isso ocorre porque Deus-Pai-Mãe é tão sábio, amoroso, bom, humilde, compreensivo e liberal que nunca foi ofendido. Como Deus nunca foi ofendido nada tem que perdoar. Quem defende qualquer tipo de pecado, como ofensa a Deus, é um ignorante da sabedoria, perfeição e onisciência de Deus.
Também o conceito do “Inferno Eterno” para aqueles que ofenderam e ofendem a Deus é um grande e grave erro filósofo dos teólogos católicos e protestantes, que no fundo são mais bitolados ainda, pois acreditam plenamente que tudo que está na Bíblia vem de Deus. Mas muitas coisas bíblicas vêm dos homens e de “falsos deuses”, que defendiam e ainda defendem seus territórios conquistados; isto é: aqueles que os temem e adoram cegamente.
Nós temos que perdoar, quando sentimos a ofensa e pedir perdão a quem ofendemos. Quem é beneficiado, perante as leis evolutivas, é aquele que perdoa e não quem recebe o perdão, já que foi este que causou a ofensa. Quem ofende agride a Lei evolutiva e Lei é sempre lei e é cega.
É um erro e muito orgulho nosso pensar que temos capacidade de ofender a plenitude da perfeição divina ou a presença onisciente de Deus entre nós”.
Em “A terra dos justos e dos bons” podemos ver a constante busca da paraíso perdido. Ensinar que este encontro só acontece com a morte física do corpo, é ainda uma decepcionante fórmula de nos ensinar a beleza da vida, da libertação e da ressurreição. Jesus mesmo já nos ensinou: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará” (Jo 8,32) e “Eu vim para que tenham vida e vida em abundância” (Jo 10,10), também: “O Reino de Deus está dentro de vós”. Temos que viver o “céu” já aqui na terra mesmo. Céu não é um lugar, mas um “estado de espírito”.
No capítulo XII: “Abraçar árvores”, gostei de ler o relato de sua experiência e vivência com uma árvore. Mas é preciso ter muito cuidado para não cairmos no “monismo ou mesmo no panteísmo”, conceitos filosóficos contrários ao “dualismo”. Quando nos sentimos como árvores, como a natureza ou deixamos de sermos nós mesmos e a natureza deixa de ser a natureza, temos um retrocesso com a negação do dualismo. Não existindo a dualidade, então é o mesmo que defender o nosso fim, pois sempre quando um ser inferior se aproxima do (ou soma com o) superior, aquele pode desaparecer na imensidão deste. É como o sumiço dos rios de água doce na vastidão das águas salgadas dos mares, quase, infinitos.
Tenho uma forte coincidência com o achado de Nag Hammadi, pois foram 45 textos descobertos em 1945 e nasci em 1945. Como para tudo existe planos e o dedo de Deus dirige tudo, respeitando plenamente a liberdade de todos, então a coincidência foi planejada. Em 1945, também, ocorreu o término da 2ª grande guerra européia, asiática e africana, pois não houve batalhas na América.
Quem evolui somos nós, os seres humanos. Na hora certa, que só o Pai sabe, Deus-Pai-Mãe intervém e vai se revelando a medida que aparece alguém que pode receber, entender e divulgar a revelação do próprio “Espírito Incriado”, que é Deus-Pai-Mãe. Esse alguém tem que ter coragem para enfrentar as estruturas organizadas, que só aceitam aquilo que está de acordo com elas ou com o interesse de seus dirigentes. Jesus foi crucificado por causa disso.
Quem escolhe os representantes de Deus na terra é o próprio Deus e não as estruturas humanas, que foram e são orientadas para só receberem aquilo que querem receber como orientação do “Espírito Santo”. Por isso tudo muitas Verdades foram condenadas como heresias.
Você sabe muito bem disto, já que sentou na mesma cadeira, que foi utilizada por Galileu Galilei e Giordano Bruno. Um foi perdoado, porque retratou e o outro condenado a morrer na fogueira, já que era mais corajoso e cheio de fé, porque conheceu a Verdade, que liberta dos princípios que bitolam a nossa mente e a nossa liberdade de pensar.
Se o nosso destino é Deus ou melhor o encontro com Deus, então teremos que buscá-Lo primeiro dentro de nós e identificarmo-nos quem somos, quem é Deus e ou o que é Deus. Então não precisamos pegar o “trem”, mas viver bem a vida, em plenitude e abundância, seja lá onde estivermos. Não podemos correr atrás daquilo que ainda não temos ou não somos; ou mesmo querermos ser o que ainda não temos condição de sermos.
Lendo os livros: “Face Oculta da Mente” e os dois volumes de “As Forças Físicas da Mente” do Padre Oscar Gonzalez Quevedo, pode-se ver como a ignorância sobre DEUS por parte dos teólogos é imensa. Esse grande sábio da Hierarquia da Igreja Católica Apostólica Romana e da parapsicologia desviou a ignorância dele sobre DEUS para o “inconsciente”, dizendo que tudo tem sua razão e explicação no “inconsciente”. Esses livros quando referem e explicam sobre a “mente consciente” são fantásticos mesmos, mas quando referem à “mente inconsciente” não valem nada mesmo; isto é: uma ignorância plena ao lado de uma grande sabedoria, que contradição!
Para facilitar um pouco um provável diálogo, vou enviar-lhe as cartas que escrevi para o Frei Patrício ofm. e para o Padre João Batista Libânio, deste apenas a quarta.
Como você escreveu sobre sua fenomenal experiência com uma união, quase plena, vivida com uma árvore (cap. XII), vou resumir aqui uma experiência, que vivi, quase indescritível e irreal mesmo para a medicina atual, que foi:
............ (Continua)... Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:04, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 17/Set/2007 11:11 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Eis os endereços do início dessa carta:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=87039#p87039
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=87041#p87041
........... (Continuação):
Como você escreveu sobre sua fenomenal experiência com uma união, quase plena, vivida com uma árvore (cap. XII), vou resumir aqui uma experiência, que vivi, quase indescritível e irreal mesmo para a medicina atual, que foi:
- “No dia 31/01/1991 acordei às 3,00 horas da madrugada e tive uma fantástica visão, que foi assim: “Uma das paredes do meu quarto desapareceu e vi bem longe um grande e perfeito círculo. Dentro desse círculo apareceu um rosto um pouco deformado, pois enchia todo o círculo, mas não tive nenhum medo, pois reconheci o rosto com facilidade. Imediatamente essa visão começou a aproximar-se de mim e a medida que ia aproximando-se diminuía de tamanho. Quando chegou a uma distância de uns 3 metros, tinha um raio de mais ou menos 1 metro e aí ouvi a seguinte frase:
- “O código é desnatadeira” (1 + 6 + 1 + 12 = 20). Logo desapareceu toda a visão”.
Decodifiquei o código e agi imediatamente, chamando aquele que representava o código, o número 12, que é um Bispo Católico. Logo que chegou, dei a seguinte ordem, assim:
- “Você tem superioridade ao Profeta Maomé, então vá a ele e dê a seguinte ordem: “Maomé vai ao Saddam Hussein, o líder do Iraque, e faz com que ele dê ordens para a retirada das tropas iraquianas do Kuweit, da forma que ele puder: seja por sonhos, por intuição ou mesmo por aparição física”. Agora você não pode ir diretamente perante o chefe iraquiano, senão ele morrerá imediatamente” (A morte aconteceria por causa da imensa diferença da vibração religiosa).
Logo em seguida tudo voltou ao completo silêncio da madrugada e só ouvia o pulsar do meu coração.
No dia 02/02/1991, voltei a acordar de madrugada, sentindo uma grande tremura indolor no meu coração, que depois esvaziou-se por completo, como se um balão liberasse todo o ar contido dentro dele. Senti um profundo silêncio interior, cheguei a pensar que tinha morrido ou melhor finalmente libertado e ressuscitado para a Vida Maior. Quando iniciou a tremura e forte pressão no meu coração, fechei os olhos. Após uns instantes e como me sentia bem calmo, pensei: “Se morri, tenho que assumir a minha nova realidade e não adianta ficar parado”, então abri os olhos e observei todo o quarto, só com o giro dos olhos: tudo estava igualzinho. Após um momento tive coragem e levantei a perna esquerda, olhando rápido para ver se havia uma separação (como aquelas do filme “Ghost, do Outro Lado da Vida”, que só assisti depois) e como não houve nenhuma alteração ou separação, exceto a parada absoluta do meu coração. Tentei sentir, observar e pegar o meu pulso e nada. Levantei devagarinho e fui ao banheiro, acendi a luz: eram 3,00 horas da madrugada. Olhei-me bem no espelho, não observei mudanças físicas, voltei a tentar sentir o batimento do meu coração: nada mesmo, tudo em completo silêncio e profunda tranqüilidade ou calmaria interior. Sentia como se houvesse um vazio dentro do meu tórax.
Decidi não ir para nenhum hospital, onde poderia morrer nas mãos de excelentes médicos, pois poderia ficar sob a responsabilidade de médicos sem escrúpulo e puramente cientistas, que poderiam fazer de mim uma simples cobaia, já que dentro de um hospital estaria entregue à decisão e vontade deles, que saberiam facilmente envolver aos meus parentes. Essa minha decisão também teve como base o meu “quase enforcamento dentro da clínica Pinel”, no dia 12/01/1980, e por isso tive medo de entrar num hospital daquele jeito. Não queria correr nenhum risco da parte dos profissionais da medicina. Sabia o que acontecia e isso dava-me muito coragem, confiança e fé na vitória final, pois estava com Deus. Tudo tinha que ficar oculta da medicina.......
Voltei para a cama, acordei calmamente minha esposa e disse para ela:
- “Veja como estou, como falo e vou andar aqui para você ver, já que vou lhe contar algo que irá assustá-la muito”. Ela quis saber imediatamente o que acontecia, quando relatei para ela o que estava se passando comigo, dizendo: “O meu coração parou de bater!”.
- “O quê! Você está louco!”. Disse-me ela, mas também tentou sentir a minha pulsação e nada, colocou as mãos espalmadas no meu pescoço e nada sentiu, por fim colocou o ouvido no meu peito e nada ouviu. Aí ela ofereceu para levar-me a algum hospital, dizendo-me assim:
- “Você quer que o leve para um hospital agora?”.
- “Do jeito em que estou, só entro em algum hospital amarrado!”. Respondi decidido. Ela aceitou a minha decisão. Ficamos conversando até amanhecer. Ali pelas 6,00 horas levantamos e tomei um bom banho. Depois fomos para Contagem, uma cidade da Grande BH, com o nosso filho de 1 ano e 4 meses, sendo eu o motorista do carro. Em Contagem ficamos no apartamento dos seus sogros. Ninguém de lá ficou sabendo, no momento, do que estava acontecendo. Só e a minha esposa Malvina estávamos preparados para viver e levar aquela experiência até o fim.
Não consegui alimentar com nada de sólidos, devido ao meu estado emocional, e só tomei líquidos. Quando voltávamos para a casa, às 18,30 horas, e passávamos debaixo do viaduto do Carlos Prates, senti o meu coração dar um forte pulo dentro do meu peito, como se fosse dada uma bombada muito forte dentro de um balão vazio e depois voltou à plena calmaria. Contei à minha esposa e ela perguntou-me se precisava parar o carro, disse que não e que tudo estava sobre controle. Os pulos foram repetindo e diminuindo o intervalo de tempo entre eles, até que voltou tudo ao normal, após uns 6 a 7 minutos”.
Depois vim a saber que tudo, que aconteceu comigo no dia 02/02/1991, foi um terrível ataque de alguém (um espírito), que queria me enganar e derrotar, como ocorreu na luta de Jacó com um anjo (um espírito, que agia contra o Patriarca Jacó) e também no “drama do Getsêmani com Jesus”. O objetivo desse espírito era me retirar do plano físico pela desencarnação, pois eu estava atrapalhando os planos dele e ainda desejava aparecer como o meu libertador, mas ele não sabia quem eu realmente era e quem era e é o meu protetor. Eu estava trabalhando mentalmente para o fim da “Guerra do Golfo” e agia contra os objetivos dele. Ele queria a vitória do Iraque e eu mentalmente forçava a retirada das tropas iraquianas do Kuweit, por forçar mentalmente uma decisão do líder iraquiano, Saddam Hussein, em abandonar o Kuweit.
O “Velho Jó” me orienta para trabalhar para a “PAZ PLENA” em todo o Planeta Terra e em qualquer situação. Aqui está a principal razão dessa carta: PAZ PLENA para todos.
Um abraço de quem é dirigido pelos poderes de São Francisco de Assis e de São João Evangelista, como João Batista “caminhou com o espírito e poder de Elias...” (Lc 1,17).
Desejo-lhe muita paz, luz e liberdade.... Rosário Américo de Resende.
........ Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:05, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 17/Set/2007 21:48 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Sáb, 21/Abr/2007 11:02
Mensagens: 85
Localização: Rio de Janeiro
Oi Rosário....


Já ouviu um ditado assim?

- De grão em grão a galinha enche o papo -

Continue com tua fé irmão, porque nem Jesus agradou a todos!
E saiba que não está sozinho.

_________________
Grata, Joanna


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Ter, 18/Set/2007 09:01 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Joanna, um grande e fraternal abraço.
Muito obrigado pelas suas palavras de apoio.
Veja o que já escrevi hoje, aqui no Portal, onde relato um diálogo com uma psicóloga espírita:

http://www.espirito.org.br/forum/viewto ... 7101#87101

Tenho em você uma grande amiga, que ainda não conheço fisicamente falando, mas o futuro pertence a DEUS.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:08, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Qui, 20/Set/2007 12:02 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas um abraço.
Eis a minha 1ªº carta para o Pe. Oscar Gonzalez Quevedo:
Belo Horizonte, 24 de Março de 1989. Caro amigo e companheiro em Cristo, Pe. Oscar Gonzalez Quevedo.
Já o conheço pela televisão há muito tempo, década de setenta e nos dias 11 e 18/03/89 ouvi mais participações suas na TV Bandeirantes. Já tinha visto alguns de seus livros, mas nunca os tinha lido, pois nada sabia sobre o assunto tratado.
Em junho de 1988 escrevi uma pequena monografia, onde expliquei o que é o inconsciente e a entreguei ao Pe. Carvalho, também jesuíta como o Senhor o é, com o qual estou fazendo um curso de aprofundamento bíblico. Quando o Pe. Carvalho leu a minha monografia e como fiz referências sobre o “INCONSCIENTE”, ele não fez nenhum comentário comigo, mas indicou-me para ler os seguintes livros de sua autoria: “A Face Oculta da Mente” e os dois volumes de “As Forças Físicas da Mente”. Adquiri os livros e já li “A Face Oculta da Mente” e estou lendo o segundo livro. Com sinceridade vibrei com o seu livro, as suas explicações e teorias sobre a mente humana. Desde 1981 pesquiso e estudo muito os fenômenos da mente, leio tudo que fala sobre “mente e inconsciente”. Os termos para se referir às profundezas da mente, que é o próprio ser, são variáveis, como: inconsciente individual e coletivo, superconsciente, subconsciente, superego e etc..
Fiz dois cursos de controle mental, um em 1981 e o outro em 1986, este pela Associação Azul.
Após ter iniciado o estudo sobre a mente humana passei a me compreender e autoconhecer muito mais, como também a todos os meus próximos, seja eles de qualquer grupo religioso ou mesmo ateu. Pela simples razão de alguém não pertencer à minha religião não tenho o direito de dizer que o que ele faz é crime ou charlatanismo. Temos que entender e viver os ensinamentos de Jesus: “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (Jo 8,32).
Na sua participação no programa de 18/03/1989, o Senhor, Pe. Quevedo, disse: “Qualquer ação de curandeirismo é crime e que só DEUS pode operar milagres. Deus só se revelou ou comunicou com a humanidade por intermédio do judaísmo, antes de Cristo, do cristianismo, de Jesus até a separação dos nossos irmãos protestantes e após esta separação só pelo catolicismo romano”, (não sei se fui fiel às suas palavras). Acho quase impossível, que o Senhor com uma visão tão avançada sobre a mente humana, possa ter atitudes dignas dos Cardeais Joseph Ratzinger e Bernardin Gantin, representantes ultraconservadores da Igreja Católica Apostólica Romana, pois representantes do Evangelho de Jesus, que pede amor e compreensão para com todos, eles não o são.
Pela sua tese Deus não deu conta de salvar a humanidade pelo “judaísmo” e por isso resolveu mudar o rótulo ou a aparência do povo escolhido para “cristianismo”. Depois Deus deve ter tido dificuldades para intuir a muitos e por isso, deixou uma grande parte se perder , para manifestar-se só pelo catolicismo apostólico romano.
Pe. Quevedo, Deus não tem um grupinho ou grupo escolhido para se revelar, mas DEUS está em toda parte e em todo lugar (assim aprendi em meus 9 anos de seminário, mas hoje digo diferente e é assim: “Deus pode estar em todo lugar, o que quer dizer que não está em todo lugar, pois poder estar não é estar e isso não diminui a capacidade da onipresença de Deus”), então ELE pode agir por intermédio de todos os seus filhos. Nós temos que ser humildes e aceitar a onipotência, onisciência e onipresença de DEUS. Não podemos ser orgulhosos e julgarmo-nos como os únicos representantes de DEUS na terra, isso sim: reduz a capacidade da onipresença de Deus.
Não vou comentar todo o seu livro por ser muito longo e sobre as qualidades ou propriedades da mente consciente o Senhor é doutor mesmo, por isso faço apenas 3 (três) comentários:
1º - O Senhor refere-se muito ao inconsciente, como responsável por tudo o que acontece com os sensitivos, mas não dá nenhuma noção do que é realmente o INCONSCIENTE. Na minha opinião o inconsciente atua em todos e não só nos sensitivos e é também um conquista, guardada secretamente no inconsciente de cada indivíduo; por isso existem posições tão antagônicas tomadas pelas pessoas, como: Ghandi e Hitler, ambos queriam a salvação de seus povos e agiram tão diferentes; Francisco de Assis e os Papas de sua época, todos seguidores do Evangelho, um renunciou a fortuna e obedeceu, vivendo conforme o Evangelho e os outros procuraram a fortuna e o poder, dando apoio ou mesmo comandando a terrível inquisição, as guerras das cruzadas e outras, negando ou melhor esquecendo do Evangelho, que pede amor, perdão e caridade; o Papa Leão X e o reformador Martinho Lutero, ambos seguidores do Evangelho e condenando um ao outro; o liberal Papa João XXIII e o ultraconservador Lefebvre; os conservadores Cardeais Ratzinger, Gantin e o pacífico Dom Evaristo Arns, o divulgador da boa notícia Dom Pedro Casaldáliga e o frei Leonardo Boff ofm, divulgador da Teologia da Libertação.
2º - Na página 24 da 32ª edição do livro “A Face Oculta da Mente”, o Senhor afirma: “A pessoa mais honesta no consciente, pode ser a maior trapaceira em qualquer manifestação do seu inconsciente”. Isso no meu ponto de vista é incompreensível e inadmissível, pois o “ser humano” é um todo, composto de carne, corpo, mente, alma ou espírito. Como o homem pode ser honesto e desonesto ao mesmo tempo? É honesto no todo ou é desonesto. Se assim não fosse até poderia estar negando a sabedoria e perfeição de DEUS, que criou um “ser honesto e desonesto, bom e mau, verdadeiro e mentiroso ao mesmo tempo”. Como confiar na obra de DEUS, pensando e defendendo tal princípio ou tese como essa sua? Essa sua tese não é racional e nem lógica.
3º - Na página 366 da mesma edição, como em muitas outras passagens, o Senhor afirma ser impossível a comunicação entre vivos e mortos. Então pergunto: E os casos de comunicação entre vivos e mortos (espíritos) relatados na Bíblia e na história da Igreja Católica Apostólica Romana? Na transfiguração de Jesus (Mt 17,1 a 13; Mc 9,2 a 13 e Lc 9,28 a 36) Moisés e Elias não eram mortos ou espíritos? Jesus não apareceu várias vezes aos discípulos, após a morte na cruz e sua ressurreição? E os casos dos anúncios dos nascimentos de Sansão (Jz 13), João Batista (Lc 1,5 a 25) e de Jesus (Lc 1,26 a 38)? Nestes 3 (três) casos foram feitas referências a anjos e anjo não é Deus ou Deus também inconscientemente usa de outros nomes para nos enganar ou complicar? Ou tudo isso é falsidade bíblica? E o fenômeno acontecido no festim de Baltazar (Daniel 5)? Aqui pode-se falar que foi Deus o autor da mensagem: “Mane, Mane, Tecel, Parsin”, pois não houve identificação de quem foi. E por que o autor da mensagem ficou em segredo?
Em Mateus 8,28 a34: Como explicar o relato todo, não se trata realmente de endemoninhados ou de espíritos obsessores para os dias de hoje? Ou é mesmo só doença mental?
E os casos das aparições de Nossa Senhora aceitas pela Igreja, como em Lourdes e Fátima? Nossa Senhora não é Deus ou o Igreja aceitou a desonestidade do inconsciente dos meninos videntes, dando assim apoio a mentira e falsidade, enganando a todos nós? O Papa vai lá!!!
Veja a relação anexa, indicando os trechos bíblicos que falam da comunicação entre os dois planos: visível e invisível. Esses trechos são falsos ou verdadeiros? Se são falsos, então a Bíblia está cheia de falsidades, mentiras e enganações? Se são verdadeiros por que negá-los hoje ou será que Deus se arrependeu e não permite mais a comunicação?
Se não há comunicação, intercâmbio ou intervenção dos mortos para com os vivos, então como se explica e justifica a necessidade de milagres comprovados por parte dos “mortos” para que sejam canonizados santos pelo Papa? Ou isso tudo é enganação e o Papa com os seus assessores fingem que existem o milagre, que é a prova da intervenção do futuro santo no plano dos vivos para ser canonizado? Nesse caso eles estão enganando assim a boa fé dos fiéis? Os santos ou os futuros santos não são “DEUS’es” ou existem exceções para certos casos na sua afirmativa, como escrevi na página anterior, que só Deus pode operar milagres? Ou é Deus que opera o milagre e os “louros” vão para os santos?
Estudo, pesquiso e analiso tudo sobre a mente humana, o consciente, o inconsciente individual e coletivo. O consciente e o inconsciente de cada filho ou filha de Deus não é um dom gratuito de Deus, mas uma conquista de cada um de nós. Gratuitamente da parte de Deus só recebemos a VIDA e os meios ou armas para conquistarmos a plenitude da sabedoria.
Sendo só para o momento, despeço-me com um forte abraço em Cristo e desejando, que, juntos e unidos, chegaremos ao conhecimento da verdade que liberta. Para conhecer a verdade, que liberta, não pode haver nenhuma idéia preconcebida, pois a verdade absoluta é o próprio DEUS e quem poderá conhecê-Lo? Deus vai se revelando cada vez mais à humanidade, necessitando apenas do aparecimento de homens em condições, humildes e preparados, e no futuro poderemos realmente conhecê-Lo e aí seremos libertos dos preconceitos e dos dogmas castradores da nossa liberdade até de pensar.
Muita paz e luz, em nome do Mestre Jesus, são os votos do amigo.... Rosário Américo de Resende


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:11, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Qui, 20/Set/2007 12:09 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Após ter enviado a mnha 1ª carta para o Pe. Quevedo, ele me enviou essa resposta:
Citação:
São Paulo, 24 de Maio de 1989.
Prezado Sr. Rosário:
Sendo muitas as cartas recebidas, não podemos dar respostas particulares. Geralmente as respostas estão nas nossas publicações.
Elas trazem explicações amplas e detalhadas sobre suas dúvidas.
Na esperança de ter satisfeito seu interesse e de lhe sermos úteis, subscrevo-me.
Atenta e afetuosamente, (assinado) Pe. Oscar Gonzalez Quevedo, S. J.
.............
O interessnate foi que falei contra trechos de um dos livros dele:
2º - Na página 24 da 32ª edição do livro “A Face Oculta da Mente”, o Senhor afirma: “A pessoa mais honesta no consciente, pode ser a maior trapaceira em qualquer manifestação do seu inconsciente”. Isso no meu ponto de vista é incompreensível e inadmissível, pois o “ser humano” é um todo, composto de carne, corpo, mente, alma ou espírito. Como o homem pode ser honesto e desonesto ao mesmo tempo? É honesto no todo ou é desonesto. Se assim não fosse até poderia estar negando a sabedoria e perfeição de DEUS, que criou um “ser honesto e desonesto, bom e mau, verdadeiro e mentiroso ao mesmo tempo”. Como confiar na obra de DEUS, pensando e defendendo tal princípio ou tese como essa sua? Essa sua tese não é racional e nem lógica.
3º - Na página 366 da mesma edição, como em muitas outras passagens, o Senhor afirma ser impossível a comunicação entre vivos e mortos. Então pergunto: E os casos de comunicação entre vivos e mortos (espíritos) relatados na Bíblia e na história da Igreja Católica Apostólica Romana? Na transfiguração de Jesus (Mt 17,1 a 13; Mc 9,2 a 13 e Lc 9,28 a 36) Moisés e Elias não eram mortos ou espíritos? Jesus não apareceu várias vezes aos discípulos, após a morte na cruz e sua ressurreição? E os casos dos anúncios dos nascimentos de Sansão (Jz 13), João Batista (Lc 1,5 a 25) e de Jesus (Lc 1,26 a 38)? Nestes 3 (três) casos foram feitas referências a anjos e anjo não é Deus ou Deus também inconscientemente usa de outros nomes para nos enganar ou complicar? Ou tudo isso é falsidade bíblica? E o fenômeno acontecido no festim de Baltazar (Daniel 5)? Aqui pode-se falar que foi Deus o autor da mensagem: “Mane, Mane, Tecel, Parsin”, pois não houve identificação de quem foi. E por que o autor da mensagem ficou em segredo?
Em Mateus 8,28 a34: Como explicar o relato todo, não se trata realmente de endemoninhados ou de espíritos obsessores para os dias de hoje? Ou é mesmo só doença mental?
........
Então julgo que ele nem leu nada, mas me respondeu...
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:15, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sex, 28/Set/2007 09:55 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Continuando o processo das minhas cartas vou postar aqui a 1ª carta, que enviei para um estudante do judaísmo:

Belo Horizonte, 24 de Janeiro de 1993.
Jacques, desejamos para você muita paz, muita tranqüilidade e muita liberdade para realmente encontrar a Verdade, aquela VERDADE que liberta.
Jacques, estou em débito com você, pois já recebi “cartinhas” suas e continuei silencioso no meu canto. Em sua última carta para a Malvina, você referiu-se a mim no “P.S.” e por isso decidi iniciar um “diálogo”, você me “cutucou com vara curta.... Isso é uma brincadeira, mas de uma imensa responsabilidade”.
Todos nós somos co-responsáveis na descoberta e divulgação da Verdade, que liberta. Tenho um pouco de dificuldade em escrever-lhe pois sou filho de católicos, fui seminarista franciscano e hoje sou um estudante de religiões comparadas, após uma imensa e contínua busca e pesquisa na Bíblia Sagrada e no campo do espiritismo: prática e teoria. A “TORÁ” proíbe o espiritismo como algo errado e condena os seus praticantes (Dt 18,10 e 11 e Lv 19,31). Ouvi uma voz falando comigo dentro da Igreja de Santa Tereza, na hora da Santa Missa, num domingo de agosto de 1982 e recebi uma revelação de uma vida passada do meu espírito. Essa revelação me deu muita confiança, coragem e fé. Esse fato vivido por mim foi muito parecido com o acontecimento bíblico narrado em 1Sm 3. Hoje sou reencarnacionista. Cheguei a essa posição pelas minhas experiências de vida e depois pela compreensão e estudo da Bíblia como também de outros livros e por palestras.
Em sua última carta você disse para eu fazer perguntas e se forem muito profundas é para perguntar ao Rabino Nissin Katri. Eu apenas lhe digo que a minha carta de 26/10/1990 escrita para o Nissin ainda continua sem resposta, na qual fiz várias referências bíblicas..., mais de vinte. Fui contra a idéia dele e até agora só o silêncio é a resposta. Como perguntar mais para ele?
Daquela carta vou citar duas perguntas feitas e gostaria de ver suas observações sobre elas:
1ª) À luz do conhecimento atual como se explica o Sacrifício de Abraão (Gn 22)?
2ª) Também, à luz da atual sabedoria do século XX, como se explica e justifica as 10 pragas contra o Egito (Ex 7 a 11)?
Jacques, como você vê hoje a “Revelação ou Vinda do Messias”? Gostaria de ouvir a sua opinião e não citações bíblicas ou de outros estudiosos do passado e do presente. Essa revelação do Messias aparece com muita ênfase no “Novo Testamento” (desculpe-me por citar um trecho da Bíblia, não aceito pelo judaísmo) e era como se Jesus fosse “implantar um reino terreno e eterno”, como:
- “...Dize que estes meus dois filhos se assentem um à tua direita e o outro à tua esquerda, no teu Reino” (Mt 20,21).
Jacques, a Revelação do Messias é no plano visível como um “rei sábio e poderoso”, ou vem do plano invisível com “poderes e glórias”: na Jerusalém celeste, ou é ainda um misto do plano visível com o plano invisível? A “Revelação do Messias” será só para os judeus ou será para todos os seres humanos? Como também para os seres vivos irracionais e até para os vegetais?
Como você correlaciona a “Revelação do Messias” com a perseguição de Hitler para com os judeus, a expulsão dos judeus na Espanha pelos Reis Católicos, a perseguição aos judeus pela “inquisição do catolicismo”, as destruições de Jerusalém pelos romanos e pelos babilônios, os cativeiros dos judeus na Babilônia e no Egito? Por que tanto sofrimento e tanta perseguição assim? Tem que haver uma explicação para tudo isto? Caso contrário não existe a justiça perfeita?
Todos enviam abraços: Malvina, Guilherme, Fábio, Sílvia e Cláudia e eu.
Seus pais, avós, tios e primos vão bem e enviam-lhe abraços.
Necessitamos de Paz, liberdade e sabedoria para encontrar a verdadeira VERDADE.......
Abraços de Rosário Américo de Resende
............ Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:17, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sex, 28/Set/2007 12:57 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço para cada um de vocês.
Realmente o conhecimento e evolução estão a disposição de todos, mas só aqueles que agirem e forem atrás de ambos os consquistrão.
Já postei aqui a 1ª carta escrita para um estudante de judaísmo e escrevi para ele a 2ª carta, que pode ser lida aqui:

viewtopic.php?f=12&t=3813&p=87994#p87994

Eu parei de escrever para ele, porque não recebi mais resposta dele. Mas estou fazendo a minha parte, pois o meu desejo é conversar com qualquer membro de qualquer religião ou até mesmo com ateus, pois estes podem nos ensinar muito e às vezes muito mais do que os religiosos, pois não temem nada da parte de DEUS ou da espiritualidade.
E cada elemento do grande imenso conjunto cósmico perntence ao próprio conjunto e nada existe fora dele, então podemos falar que o "conjunto cósmico é um imenso computador, que tem eu seu comando máximo o Espírito de DEUS, que respeita a liberdade de todos".
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:21, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Sáb, 06/Out/2007 08:42 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço para cada um de vocês.
Todos nós estamos em busca da VERDADE e da conquista de nossa perfeição.
Estou enviando para vocês a minha 5ª carta para o padre Quevedo. Esta carta foi encaminhando para ele a minha 2ª apostila, onde coloquei todas as nossas correspondências e mais algumas outras.
A 1ª carta para o Quevedo está nesse endereço:

viewtopic.php?f=12&t=3650&p=87337#p87337

A 1ª resposta do Quevedo está nesse endereço:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=87339#p87339

E depois enviarei as outras.
Eis a 5ª carta para o Quevedo, que também ficou sem resposta:

Belo Horizonte, 22 de Agosto de 2001.
Caro amigo e companheiro de vida, Padre Oscar Gonzalez Quevedo. Desejo-lhe muita paz e amor.
A Verdade deve estar sempre acima de tudo, mas a Verdade muitas vezes fulmina a gente muito mais do que uma espada afiada, mas temos que sermos sinceros, francos e honestos, pois só assim alcançaremos a VERDADE ABSOLUTA.
Como já lhe escrevi em 13/05/2000, estou divulgando as nossas correspondências, mas de uma forma ainda individual, pois ainda não as enviei para as Redes de TVs. e nem para a mídia em geral.
Todas essas minhas cartas, com exceção das de 12/01/1990, 03/11/1997, 16/07/2001 e 21/07/2001, foram incluídas num conjunto de 44 cartas e enviadas para os 8 Cardeais Brasileiros.
Faço o que estou fazendo porque me foi revelado quem eu realmente sou e não posso ficar omisso, apesar de estar ainda trabalhando de uma forma secreta ou restrita. Eu sou quem eu sou e para isso aqui estou, mesmo que a maioria esmagadora ainda não aceitou nada do que faço..., mas isso já aconteceu com muitos outros.
Na minha carta escrita para o Papa João Paulo II, em 02/09/1989, escrevi o seguinte: “Eu, desde o dia 05/01/1980, passei a aceitar a reencarnação ou a teoria das vidas sucessivas, o que veio explicar para mim todas as minhas dúvidas, todos os acontecimentos da minha vida e da vida de todos.”, e, também: “Termino essa como terminei outra carta, enviada com o mesmo trabalho em 09/07/1989: “Se o Senhor ou se Sua Santidade, Papa João Paulo II, julgar que tudo isso que lhe revelei é heresia ou debilidade da minha mente, eu lhe peço: “Queime tudo isso: essa carta e o trabalho”. Mas, desde já lhe confesso também, como o assunto é muito sério, fico com cópia de tudo””.
Como já escrevi em 13/05/2000 digo que o Universo é imenso, mas todos nós caminhamos com o mesmo objetivo ou para o mesmo ponto e num dia, no futuro, iremos nos encontrar. Espero que nesse dia estaremos do mesmo lado, o que será muito bom para todos, principalmente para nós dois. Peço-lhe para ler e analisar tudo o que estou lhe enviando, principalmente a sua resposta de 14/11/1997: “Carta Aberta a um Autor Falsário”.
O meu objetivo é o encontro e a compreensão da VERDADE ABSOLUTA, como também a sua revelação e divulgação para todos.
Despeço-me com um abraço fraternal e desejo que todos encontrem a VERDADE e vivam em PAZ e na PAZ PLENA, o irmão em Cristo... Rosário Américo de Resende.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:26, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 07/Out/2007 12:21 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um abraço.
Para esclarecer um pouco mais o que estou fazendo vou postar aqui a minha 4ª carta para o padre Quevedo:
Belo Horizonte, 13 de Maio de 2000.
Caro irmão e companheiro de vida, Pe. Oscar Gonzalez Quevedo. Somos irmãos porque somos todos filhos de Deus-Pai-Mãe, que dirige tudo respeitando plenamente a liberdade de todos, até daqueles que agiram, agem e agirão contra o amor, a compreensão, a liberdade e a sabedoria.
Tomei novamente a decisão de escrever-lhe em função do que está escrito em Mateus: “Se o teu irmão pecar, vai corrigi-lo a sós. Se ele te ouvir, ganhaste o teu irmão. Se não te ouvir, porém, toma contigo mais uma ou duas pessoas, para que toda questão seja decidida pela palavra de duas ou três testemunhas. Caso não lhes der ouvido, dize-o à Igreja. Se nem mesmo à Igreja der ouvido, trata-o como o gentio ou o publicano. Em verdade vos digo: Tudo quanto ligardes na terra será ligado no céu e tudo quanto desligardes na terra será desligado no céu” (Mt 18,15 a 18.). E também porque assisti algumas de suas últimas participações no programa do Fantástico da Rede Globo, como o caçador de enigmas.
Numa de minhas cartas, que enviei para o Dom Frei Boaventura Kloppenburg ofm, em 07/04/2000, fiz a seguinte observação a seu respeito: “O grande teólogo e parapsicólogo Pe. Oscar Gonzalez Quevedo escreveu os livros: “A Face Oculta da Mente” e “As Forças Físicas da Mente”, este em dois volumes. Para quem quiser aprender algo sobre a “mente consciente” esses livros são ótimos e fantásticos mesmos, são uma obra prima; mas se quiser aprender alguma coisa sobre a “mente inconsciente”, então não perca tempo em lê-los, pois para esse aspecto não valem nada mesmo. O autor não explica nada sobre o “inconsciente”, e então nada sabe ou só deseja enganar, só lança mais confusão e sofisma sobre o assunto. O objetivo dele é chamar “outros” de enganadores e dizer que tudo, o que fazem, é com fraude. Ele estudou mágica para provar e enganar a ele mesmo que os outros enganam. O maior enganador e enganado é ele mesmo, pois ele, quando não pode mostrar os fatos, faz mágica”. Enviei para o Dom Frei Boaventura cópia da carta que lhe enviei em 04/12/1997.
Já lhe enviei outra carta em 24/03/1989, quando fiz algumas observações contrárias ao seu livro: “A Face Oculta da Mente” e expus a contradição entre alguns pontos de vista apresentados no seu livro com as orientações da cúpula da Igreja em Roma. Pedi-lhe explicações e orientações, pois se o Senhor estivesse certo então o Papado enganou e engana a todos nós. Também não concordava com as suas idéias e exposições fanáticas e radicais apresentadas no programa de televisão em 18/03/1989. Pela sua resposta de 24/05/1989, que recebi daquela minha carta parece que o Senhor nem leu a minha carta ou então a sua imensa vontade de provar que os outros estão sempre errados o deixa cego e incapaz de raciocinar, pois apenas disse que todas as minhas dúvidas estavam explicadas em suas publicações, ao passo que eu contradizia às suas publicações (vide o xerox da sua resposta, em anexo).
Em novembro de 1997, enviei-lhe o livro: “A Reencarnação Segundo a Bíblia e a Ciência”, esperando encontrar no Senhor um verdadeiro discípulo de Jesus, que nos ajudasse a encontrar, compreender e até a divulgar a VERDADE, que liberta.
Que decepção tive quando recebi a sua “Carta Aberta a Um Autor Falsário” no dia 14/11/1997. Essa sua carta me provou que devemos ser realmente “pombas e serpentes” ao mesmo tempo, como Jesus nos orientou: “Eis que eu vos envio como ovelhas entre lobos. Por isso, sede prudentes como as serpentes e sem malícia como as pombas” (Mt 10,16).
Continuando no minha firme posição de buscar a compreensão e o conhecimento dos desígnios de Deus com relação a toda a criação, passei a escrever as minhas cartas filosóficas, bíblicas e teológicas. Nestas cartas fui expondo o que ia compreendendo sobre o meu ser e sobre tudo na imensa criação de Deus.
Com relação às suas atitudes e ao seu comportamento nem se pode aplicar um outro ensinamento de Jesus: “Portanto, fazei e observai tudo quanto vos disserem. Mas não imiteis as suas ações, pois dizem, mas não fazem” (Mt 23,3), pois o Senhor só diz que os outros mentem, enganam e fraudam, demonstrado muito orgulho e vaidade, como se fosse o único dono da Verdade e o Senhor de tudo.
Quero lhe dizer que a sua presença e participação no programa do Fantástico da Rede Globo está denegrindo, sujando e enlameando a “imagem de nossa Igreja Católica Apostólica Romana” e a sua pessoa também. Qualquer pessoa, que pensa um pouco além do normal, vê e conclui como o Senhor está realmente jogando lama na obra de Jesus. O Senhor faz tudo contrário ao que se ensina no Evangelho de Jesus, como já expus na carta de 04/12/1997, que já lhe enviei. A sua entrada e saída do programa do Fantástico parece um “mago negro e um terrível inquisidor”.
Quando ouço o Senhor falar pela televisão que tudo é “mentira, fraude e enganação”, tenho pena do Senhor por causa do seu fanatismo e sarcasmo, que o deixam cego. Existem realmente enganadores, aproveitadores e espertalhões, mas existem também os honestos, sinceros e fiéis para com o trabalho do nosso Mestre Jesus. Estes humildemente fazem o que Jesus nos ensinou, que é: “amar e servir sem ver a quem, e até aos inimigos”. Trigo e joio estão misturados em todo lugar, até no seio da Igreja Católica Apostólica Romana.
Não recebi resposta da carta de 04/12/1997, que lhe enviei juntamente com 3 trabalhos meus e 2 outras cartas, por isso não posso ter certeza se o Senhor recebeu todo o material, que lhe enviei.
Mesmo assim decidi escrever-lhe essa outra carta, pois caso contrário estaria sendo omisso perante a minha responsabilidade para com a VERDADE. Quero lhe dizer o seguinte que não sei como será o futuro, pois o futuro pertence a Deus, mas nós construímos o nosso futuro, pois colhemos aquilo que semeamos. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória.
Como estamos aqui para cumprirmos missões especiais dentro do Projeto da Criação, e com toda liberdade, mas o objetivo principal para todos tem que ser o encontro e a divulgação da Verdade, que liberta.
Alguns amigos meus, que já leram as nossas correspondências, me perguntaram porque ainda não enviei para a Rede Globo as cartas que já lhe enviei e as que o Senhor já me enviou. Ainda não decidi a fazer isso, mas em nome da própria VERDADE poderei fazer um “dossiê” com tudo e enviar para várias Redes de Televisão. A minha decisão irá depender muito de suas futuras apresentações pelas TVs.
Um dia nós encontraremos, espero que seja para somar os nossos conhecimentos e não para disputar, como Elias, que enfrentou os 450 sacerdotes de Baal e como Jesus, que enfrentou os fariseus, os saduceus e muitos membros do Sinédrio Judeu, que compunham a liderança religiosa existente na época de Jesus.
Não tenho nada a perder e não temo nada, pois sei quem realmente sou e para que estou aqui. Sei também que não posso ser omisso em nenhum momento, por isso já lhe enviei as outras cartas, como também já enviei quase 100 cartas para muitos teólogos Padres, Bispos, Cardeais e até uma para o próprio Papa João Paulo II.
Quem avisa amigo é e eu estou avisando.
Com base na Bíblia Sagrada concluí e sei que quem escolhe os representantes de Deus entre os homens é o próprio Deus e não as “estruturas formadas pelos homens”, que defendem seus próprios interesses e não a vivência do amor, da paz e da verdade para todos. Os escolhidos pelas estruturas formadas pelos homens são tolhidos e cassados no princípio básico da condição humana, que é o direito e a liberdade de expressar as próprias idéias. Estes têm compromissos morais e de obediência para com os seus superiores hierárquicos. Mesmo assim entre estes, escolhidos pelos homens, aparecem ótimos representantes de Deus, quase perfeitos.
Muita paz e luz, em nome do Mestre Jesus, são os votos do irmão..... Rosário Américo de Resende.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:28, em um total de 2 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 08/Out/2007 10:00 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6541
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmão Vinte e dois, um grande e fraternal abraço.
Citação:
Vamos continuar os debates iniciados em outros tópicos aqui nesse.
Percebo que o Rosário tem bastante informação para passar, e é melhor concentrarmos essas informações em um único fórum, para futuras consultas e pesquisas.

(se a moderação ou se o próprio Rosário quiser mudar o nome do tópico sintam-se à vontade!)
Você deu início a esse tópico e onde anda você, irmão?
Quero saber notícias suas...
Eu já soltei muitas bombas aqui, mas são bombas de efeitos lentos que vão libertando todas as mentes dos princípios bitoladores da nossa liberdade de pensar.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Sáb, 13/Dez/2008 10:29, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 1085 mensagens ]  Ir para página Anterior  1 ... 23, 24, 25, 26, 27, 28, 29 ... 73  Próximo

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 4 visitantes


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB® Forum Software © phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB