Portal do Espirito

A sua referencia em Doutrina Espirita na Internet
Bem-vindo: Seg, 30/Mar/2020 04:59
Ler mensagens sem resposta | Pesquisar por tópicos ativos


Todos os horários são GMT - 3 horas




Criar novo tópico Responder  [ 1095 mensagens ]  Ir para página Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 ... 73  Próximo
Autor Mensagem
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 18/Mar/2007 12:45 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Qui, 13/Out/2005 18:48
Mensagens: 1507
Localização: São Bernardo do Campo
Rosário

Logo logo vais bater o record de São Paulo...Você já andou eim...foi em tantas Casas e Lugares e Pessoas.

Você tem esta necessidade?

_________________
Conheçe-te a ti mesmo.


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 18/Mar/2007 12:49 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Vou postar aqui alguns trechos de carta, que enviei para o bispo de Uberaba, e da qual não recebi resposta, mas esta carta foi enviada para os 8 cardeais brasileiros.

Belo Horizonte, 15 de Novembro de 1991.
Dom Benedito de Ulhoa Vieira, muita paz em nome do nosso mestre Jesus de Nazaré.
Que a luz de Cristo nos ajude a vivermos realmente como irmãos e a encontrarmos a verdade, que liberta. Que os ensinamentos de Jesus nos ajudem a construir o “Reino de Deus”, pois Jesus mesmo nos ensinou a rezar assim: “...venha a nós o vosso reino...”, no Pai-Nosso.
Ouvi a sua entrevista no dia 10/11/1991 pela televisão e não concordei com suas respostas com relação às seitas pentecostais e principalmente às suas referências sobre o espiritismo, por isso estou enviando-lhe essa correspondência. O meu desejo é encontrar a verdade, que liberta e para encontrar realmente a VERDADE temos que ter capacidade de descobrir verdades ocultas por trás de cada mentira.
A verdade final é DEUS e quem pode dizer que já conhece, sabe e explica tudo sobre DEUS? Quem disser que realmente compreende tudo sobre Deus tem que ter a capacidade de entender tudo sobre a vida, a criação de Deus e ver em todos os seres humanos outras manifestações da criação de Deus e em todas as idéias e ideologias meios para encontrar e explicar a verdadeira VERDADE.
Aprendi no “catecismo” que Deus está em todo lugar, então Deus pode estar também em todos, até naqueles que pensam diferente de nós. Apenas por que outros pensam e acreditam de forma diferente da nossa, não podemos considerá-los heréticos ou errados.
Fui seminarista franciscano por 9 anos e fiz 2 cursos universitários em Belo Horizonte. Sempre estive atrás de esclarecimentos para resolver as minhas dúvidas, interrogações e encontrar meios de compreender os segredos da vida e o mistério que é DEUS. Só existe mistério por causa de nossa ignorância, do orgulho e ignorância dos que se dizem sábios.
Até 1980 nunca encontrei respostas para essas perguntas e quem sabe o senhor, Dom Benedito, pode dar-me outras explicações diferentes daquelas que encontrei após 1980 com auxílio do espiritismo. Hoje sou reencarnacionista e após 1980 recebi explicações evangélicas a esse respeito diretamente da espiritualidade, que para mim era, no início, o próprio e único “Espírito Santo”.
......................
Como podemos saber como agir e obedecer quando Deus nos orienta para “não matar, perdoar e amar” ou quando Deus nos manda “matar, vingar, castigar e destruir”. Vide o “milagre do mar em Êxodo 14,15 a 31, quando Moisés por ordem de Deus destruiu os exércitos do Faraó”.
Será que Deus, o bom, o justo, o perfeito age como agiu com o patriarca Abraão, pedindo-lhe o próprio filho em sacrifício? Isso hoje é crime e caso de polícia e está na Bíblia como certo.
Temos que compreender a real verdade que está na Bíblia e se está na Bíblia é porque tudo isso existiu, existe e continuará existindo.
Nos Evangelhos as palavras (ou idéias) de Jesus: “que me enviou” aparecem muitas vezes (20 vezes só em João), “que me enviastes” aparecem outras 6 vezes e o verbo “enviou” aparece mais 15 vezes em João, então vê-se claro que Jesus se considerava como um enviado do “Pai ou de Deus”. Se o próprio Jesus nos ensinou que ele era um enviado de Deus, então Jesus não se julgava “Deus” e será que ele, Jesus, não sabia o que hoje e há muito tempo os teólogos dizem saber: que ele é Deus? Os verbos “enviou e enviastes” aparecem 42 vezes só em João.
A frase: “Crede-me: Eu estou no Pai e o Pai em Mim” (Jo 14,11a), mostra perfeitamente a realidade da sintonia perfeita entre Deus (espírito) e Jesus (homem) ou como dizem hoje: “Entre o mentor ou guia espiritual e o médium, ou mesmo como dizem aí em Uberaba: “Entre o Emmanuel (espírito) e Francisco Cândido Xavier (o médium)”.
O maior orgulho de um homem foi realizado em 1870, quando o Papa Pio IX conseguiu a aprovação, imposta por ele, do dogma da Infalibilidade Papal. Este foi o maior orgulho e o maior pecado do Papado em Roma, assim o Papa pode agora impor e abusar da vontade dele. Se os atuais Papas são infalíveis, então todos os outros também o foram. Então como justificar que “homens papas e infalíveis” durante quase 700 anos (7 séculos) aceitaram e até defenderam a “famigerada santa inquisição”, que agiu como agem na atualidade as terríveis e temíveis polícias secretas (KGB, GESTAPO, FBI, CIA, SNI e outras), que torturaram, prenderam, mataram e fizeram desaparecer todas as provas do crime, até com os cadáveres!
....................
Em 1980 passei a sentir a presença do Espírito Santo ao meu lado e queria explicar o que sentia. Quando procurei um bispo em 1988, aqui em Belo Horizonte, para dialogar com ele, recebi essa resposta: - “Eu não entendo disso, não quero entender e não tenho tempo mais de conversar com você”. Assim agiu comigo alguém que diz representar o nosso mestre Jesus, que nos ensinou a buscar a ovelha perdida, como também a procurar a dracma perdida.
Num curso bíblico perguntei ao Padre, teólogo e exegeta, como explicar dentro da visão unitarista o que acontece no momento da morte, pois todos vêem o cadáver e ele me respondeu assim:
- “Jesus não explicou isto e eu também não vou explicar”.
Numa confissão individual em 1987 comentei com o confessor sobre o que aconteceu e acontece comigo, sobre as minhas descobertas e buscas, que eu era reencarnacionista desde 1980 e ele aconselhou-me assim: - “Continue nessas suas buscas, procuras e pesquisas para você ter idéias claras, pois a Igreja não sabe o que ela ensina para a gente”. Noutra conversa com outro Padre, que assistiu e conversou comigo no momento de um “fantástico fenômeno místico ou mediúnico”, tido como espírita, dentro da Igreja de Santa Teresa durante a Santa Missa, quando contava para ele fatos da minha vida e os relacionava com a Bíblia, ele não aceitou nada que eu dizia e nem quis dialogar mais comigo. Este encerrou a conversa assim: - “Você acha que eu não entendo de Bíblia, estudei Bíblia durante 12 anos e não tenho tempo mais de conversar com você”.
Já escrevi para 48 bispos, o senhor é o 49º, 2 cardeais e até para Roma, pois estou a procura dos verdadeiros discípulos de Jesus, como São Francisco de Assis o foi. Procuro também alguém que mantenha um diálogo franco e honesto comigo, que me ajude a encontrar e depois divulgar a VERDADE, que liberta.
Desde 1980 recebo orientações espirituais, que muito me ajudam e me dão força, coragem, confiança e fé. Num domingo de agosto de 1982, recebi uma revelação dentro da Igreja de Santa Teresa, na hora da Santa Missa, que me deu e dá tanta coragem, que até para o Papa João Paulo II já escrevi, contando o principal, como também estou lhe escrevendo esta carta.
Mas, Dom Benedito, estes acontecimentos são considerados como espíritas e heréticos pela atual doutrina católica, daí a grande dificuldade e confusão. A revelação que recebi foi a comunicação que eu (ou o espírito”, que habita o meu corpo atual e por isso tenho hoje outro nome) já fui canonizado por Roma em vidas passadas. Nisto creio hoje, pois foi algo que aconteceu comigo.
................
Dom Benedito, aquilo que é, é e ninguém pode destruir. Faço tudo isto é em nome da verdade, para ajudar a descobrir e divulgar a verdade, que liberta. Muita paz e luz em nome de Jesus, o amigo e irmão........... Rosário Américo de Resende.

Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Seg, 01/Dez/2008 22:34, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 18/Mar/2007 14:12 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Moisés de Cerq. Pereira, um grande abraço.
Você escreveu:
Citação:
"Rosário
Logo logo vais bater o record de São Paulo...Você já andou eim...foi em tantas Casas e Lugares e Pessoas.
Você tem esta necessidade?"
Respondo-lhe que sim. Por enquanto tenho tempo disponível para ir a vários lugares e aprender de tudo e com todos.
Logo que entendi que o meu negócio era realmente mediunidade passei a ler, estudar e pesquisar sobre o assunto. Para mim, foi até fácil entender o processo comigo e com o todo. O difícil foi entender as partes individuais deste TODO, pois cada uma delas deve ser sempre respeitada e cada uma tem a sua vontade, como também a sua verdade.
O "Velho Jó", que sintonizou comigo conscientemente no dia 12/01/1984, orientou-me para estudar de tudo e ir em todos os lugares possíveis, pois a batalha iria ser difícil.
Uma das principais características da minha mediunidade é de "doutrina" e por isso é que já escrevi para muitos membros da hierarquia da Igreja, pastores, rabinos, psicólogos, médicos e outros.
Agora falar da D.E. em Centros Espíritas muitos falam, isto é até fácil, o difícil é falar e defender a D.E. perante membros da ICAR, pastores em geral, rabinos e etc. Nos Centros Espíritas eu gosto mais é de falar sobre o E.S.E e sobre a Bíblia.
Também atuo na área de tratamento e de ajuda em geral.
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Seg, 02/Fev/2009 20:09, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 18/Mar/2007 14:18 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Qui, 13/Out/2005 18:48
Mensagens: 1507
Localização: São Bernardo do Campo
Rosário

Agora falar da D.E. em Centros Espíritas muitos falam, isto é até fácil, o difícil é falar e defender a D.E. perante membros da ICAR, pastores em geral, rabinos e etc. Nos Centros Espíritas eu gosto mais é de falar sobre o E.S.E e sobre a Bíblia

Leste meu pensamento.

Nada é facil, penso assim.

Mas o bem é importante

_________________
Conheçe-te a ti mesmo.


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 18/Mar/2007 15:23 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Vejam trechos de uma carta que enviei para um pastor da Igreja Deus é Amor, que foi fundada pelo David Miranda:
Belo Horizonte, 28 de Fevereiro de 1999.
Julimar Moreira Santos, desejo-lhe muita paz e muita liberdade para que você possa agir livremente e assumir a sua responsabilidade perante o plano e a vontade de Deus.
Nós somos os responsáveis por nossos atos e ações. A semeadura é livre, mas a colheita é obrigatória. Ninguém tem o direito de explorar e viver às custas dos outros e dizer que isso é bíblico, é divino e é a vontade de Deus, só porque está escrito: “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimentos na minha casa, e depois fazei prova de mim diz, o Senhor dos Exércitos...” (Mal 3,10). Quem escreveu esse trecho foi um homem, que se beneficiava dos dízimos e foi inspirado por um “espírito”, que não é Deus. Neste trecho está a lei do interesse e da exploração: - “ajuda-me, que eu te ajudarei” ou “se não me ajudar eu não te ajudarei”. Essa lei não é muito evoluída e nem se aproxima dos ensinamentos de “Amor e Sabedoria”.
Como você já sabe que digo e afirmo que: “A Bíblia não é a palavra de Deus”. Realmente não é, pois Deus é a plenitude em tudo, no amor, na sabedoria, na verdade, na união, na felicidade e na vida. Se a “Bíblia fosse a palavra de Deus” não poderia haver contradições como: “Não Matarás” e “Mata todo mundo: homens, mulheres e crianças” (Ex 20,13 e ISm 15,3); não poderia haver vinganças em nome de Deus (Êxodo 7 a 12) e esses atos hoje são conhecidos como atos de magia negra!; não poderia haver suicídio com a matança dos inimigos e ainda sendo apresentado como se fosse aprovado por Deus (Jui 16,28 a 30); não poderia haver sacrifício humano, com a morte de uma jovem pelo próprio pai, para cumprir um vil e nefando voto a Deus feito perante um exército inimigo (Jui 11,30 a 39); não poderia haver mortes e matanças, destruições para agradar ou provar a ira de Deus (Gen 19,24 a 29; Jos 6 a 12; Num 16,31 a 35); não poderia haver condenações a morte e ainda morrer degolado por um homem, tido como profeta de Deus (IRe 18,40); não poderia haver ordens, em nome de Deus, assim: “Vai pois agora e fere a Amaleque; e destrói totalmente a tudo o que tiver, e não lhe perdoes; porém matarás desde o homem até à mulher, desde os meninos até aos de mama, desde os bois até às ovelhas, e desde os camelos até aos jumentos” (ISam 15,3).
Mas, como “Deus escreve certo em linha tortas”, (“mas, não foi Deus, que fez ou criou as linhas tortas”), também digo que a “Bíblia Sagrada é uma fonte inesgotável de ensinamentos e sabedoria”. Isso tudo já escrevi nas cartas para o Papa João Paulo II e para o Padre João Batista Libânio, esta já lhe dei para a ler e é a de 21/07/1993).
Nós temos que saber separar o trigo do joio e tem muito joio por aí dizendo que é trigo ou considerado como trigo. Já estive numa igreja pentecostal, em 1984, e houve esse diálogo entre um pastor e eu. Quando ele se aproximou de mim para me exorcizar, disse-me:
- “Você é muito novo para sentir essas coisas”.
- “Paz”. Falei para o pastor, pois assim fui orientado pelo “Velho Jó”. O Velho Jó é um espírito, que sintonizou comigo no dia 12/04/1984, quando houve auxílio de Jesus de Nazaré, Maria de Nazaré e Santa Clara de Assis.
O pastor gritou, falando-me assim:
- “Oh! Lúcifer! Aqui você não fala”.
- “Paz”. Repeti, pois o Velho Jó orientou-me para falar só a palavra PAZ.
- “Cala a boca, Lúcifer”. Continuou gritando e berrando o pastor.
- “Paz”. Continuei repetindo, pois assim me foi pedido pelo Velho Jó, que sei quem é e isso me basta, pois “eu sou quem realmente sou e sei quem eu sou”. O que os outros pensam ou julgam que ele é não me interessa.
- “Cala a boca, Lúcifer!”. Continuou vociferando o pastor, que se diz um representante de Jesus, que pregou o amor até para com os inimigos.
- “Paz”. Falei tranquilo, confiante em mim e no Velho Jó, o meu grande mestre e orientador.
Quando o pastor se viu impotente, perguntou quem tinha me levado à igreja. Logo que a pessoa se apresentou, foi dizendo com o objetivo de diminuir-me e me humilhar:
- “Este aqui tem que vir aqui 4 (quatro) vezes. Ele está dominado pelo Lúcifer”. Falou assim o pastor para me amedrontar e diminuir perante a assembléia, mas na quarta-feira seguinte estava eu lá. Quando o pastor me viu, tremeu de medo lá na frente e tivemos outro confronto, que foi o segundo e também o último, pois o pastor parou de ir pregar naquela igreja. Porque será?
Logo que saí da igreja, após o primeiro encontro, a pessoa que me levou lá e que dizia que tudo o que acontecia comigo era da parte do demônio, foi logo me dizendo:
- “Eu não lhe disse que era demônio. Viu! O pastor descobriu tudo”.
- “Vamos ver os próximos encontros, pois voltarei sem nenhum medo”. Respondi tranquilo e confiante.
No nosso segundo encontro, no início da pregação o pastor começou assim:
- “Quem aceita a Jesus, ajoelha”. Falou para ver a minha reação.
É lógico que aceito a Jesus, pois sou seguidor dos ensinamentos dele desde a minha infância nesta existência e, como “eu sou” um espírito cósmico, há 2 mil anos, por isso ajoelhei-me.
Quando o pastor, me viu ajoelhado, demonstrando a perda do controle emocional, gritou lá da frente por minha causa, já que estava ajoelhado na última fileira de cadeiras:
- “Vamos mudar. Quem aceita Jesus vem aqui para frente”.
Com exceção da minha pessoa, todos os que estavam ajoelhados levantaram e foram para frente. Não fui porque julguei que já era muito abuso e petulância da parte dele.
Aí ele voltou a falar, dirigindo a mim, com muito rompante e orgulho de ser um pastor de Jesus:
- “O que você veio fazer aqui. Você é adepto de Allan Kardec!”.
- “Não. Eu sou católico”. Respondi bem forte e com muita convicção do lugar em que estava.
Julimar, quando você referiu ao meu trabalho, intitulado de “Uma Mensagem de Esclarecimento”, parece que não entendeu bem o que escrevi e o que está escrito no Apocalipse 13,16 a 18, pois está escrito: “Aqui há sabedoria. Aquele que tem entendimento, calcule o número da besta: porque é o número de um homem, e o seu número é 666” (Apoc 13,18.).
Parece que você nem leu a carta de 09/11/1998, quando escrevi sobre o autor do Apocalipse, que viveu as visões em Patmos e passou a compreender profundamente a Bíblia Sagrada. Para o autor do Apocalipse necessitava por um término nas “revelações e nos segredos contidos na Bíblia Sagrada”.
Parece que você nem leu a carta de 09/11/1998, quando escrevi sobre o autor do Apocalipse, que viveu as visões em Patmos e passou a compreender profundamente a Bíblia Sagrada. Para o autor do Apocalipse necessitava por um término nas “revelações e nos segredos contidos na Bíblia Sagrada”.
Quando você, Julimar, fala do Apoc 13,13, que diz: “E faz grandes sinais, de maneira que até fogo faz descer do céu à terra, a vista dos homens”. Aceito e digo que isso realmente é algo bíblico, pois existe o mesmo em outras passagens, como: - “Então o Senhor fez chover enxofre e fogo, do Senhor desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra” (Gen 19,24). - “...e há de ser que o deus que responder por fogo esse será Deus. E todo o povo respondeu, e disseram: É boa esta palavra. Então caiu fogo do Senhor, e consumiu o holocausto, e a lenha, e as pedras, e o pó, e ainda lambeu a água que estava no rego” (IRe 18,24 e 38.). - “Mas Elias respondeu, e disse ao capitão de cinqüenta: Se eu pois sou homem de Deus, desça fogo do céu, e te consuma a ti e aos teus cinqüenta. Então fogo desceu do céu, e o consumiu a ele e aos seus cinqüenta” (IIRe 1,10). Em IIRe 1,12 existe a repetição do versículo 10, mas para outros enviados. - “E apareceu-lhe o anjo do Senhor em uma chama de fogo do meio duma sarça: e olhou, e eis que a sarça ardia no fogo, e a sarça não se consumia” (Ex 3,2). - “...e de noite numa coluna de fogo, para os alumiar para que caminhassem de dia e de noite” (Ex 13,21). - “Então saiu fogo do Senhor, e consumiu os duzentos e cinqüenta homens que ofereciam o incenso” (Num 16,35). (Continua)............. Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Seg, 01/Dez/2008 22:38, em um total de 6 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 18/Mar/2007 18:19 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Qui, 13/Out/2005 18:48
Mensagens: 1507
Localização: São Bernardo do Campo
É Rosário

Vejo, mesmo coragem de agir em suas colocações...Como eles gostam de humilhar e chamar a atenção para eles, colocando toda a assembléia a seu favor com gritos e atos esquizitos...E ridicularizam, claro ao ver deles, todos que os desmascaram.

_________________
Conheçe-te a ti mesmo.


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Dom, 18/Mar/2007 18:44 
Offline
S.O.M.

Registrado em: Ter, 21/Dez/2004 16:01
Mensagens: 421
Localização: Não faço idéia
Rosário,quando você posta as revelações ainda mais "cabiludas"?


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 09:12 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmão Chariots_of_Fire, um grande abraço.
Citação:
Chariots escreveu: "Rosário,quando você posta as revelações ainda mais "cabiludas"?"
Irmão Chariots, eu já iniciei e agora vamos em frente. Espero não ser considerado mais obsediado ainda, mas foi o que aconteceu comigo. Tenho que divulgar, pois o trabalho da PAZ PLENA necessita de muitos tralhadores responsáveis, mas que sabem o que estão fazendo e com quem estão lidando.
Vou postar aqui toda a carta que escrevi para o famoso escritor Paulo Coelho. Não preciso dizer que esta carta também não foi respondida e que foi o único livro que li do Paulo Coelho.

Belo Horizonte, 19 de Setembro de 1994.
Escritor Paulo Coelho, que a luz, sabedoria, humildade e compreensão de Deus-Pai-Mãe nos ajudem a encontrar a Verdade, que liberta e a esclarecer todos os mistérios e dúvidas, que surjam em nossas vidas carnais e mediúnicas.
Um amigo meu, que conhece os meus conceitos e idéias sobre Deus-Pai-Mãe, emprestou-me o seu último livro: “Nas Margens do Rio Piedra, Eu Sentei e Chorei”. Li o livro nos dias 5, 6 e 7 de setembro, basicamente no feriado do dia 7. Trata-se de um romance gostoso de se ler, que atrai a gente com uma vivência pura e uma apresentação de um amor quase platônico, sem a enxurrada de pornografia do Jorge Amado (.... ganhei de presente o livro: “Dona Flor e Seus Dois Maridos”, mas só consegui ler apenas os primeiros capítulos, pois a escrita dele não faz o meu gênero).
Mas o que mais me atraiu foi a fantástica apresentação da DEUSA MÃE, que está exposta em todo o livro. Essa idéia realmente me encantou muito. Devido às referências à DEUSA MÃE, resolvi escrever-lhe essa carta, iniciando um possível diálogo.
Posso apresentar-me como um paranormal (médium), cuja paranormalidade (mediunidade) aflorou em janeiro de 1980 e disso nada sabia antes, apesar dos meus dois cursos universitários: Ciências Contábeis e Administração de Empresas pela UFMG. Tinha uma educação somente católica.
Quero dedicar aqui agora a um, entre muitos dos fatos paranormais, que aconteceu comigo e por causa dele refiro-me a Deus, o Espírito Incriado, como “Deus-Pai-Mãe”, que é o primeiro criador, que continua sua criação e trabalha na evolução dos seres (espíritos) criados simples e ignorantes.
Em 20/11/1984, ali pelas 13,00 horas, levei o meu filho de 7 anos e 6 meses ao pré-primário e, logo que voltei ao meu lar, deitei e dormi um pouco...... (estava de licença médica no INAMPS, devido aos acontecimentos paranormais vividos por mim). Após dormir um pouco, senti a chegada de alguém invisível, que falou no meu ouvido direito assim (ainda estava dormindo):
- “Uma mulher, superior à Maria de Nazaré, vem lhe buscar”.
Logo após essa comunicação vi chegar, descendo em pé sobre mim, uma mulher e, quando seus pés estavam a uns 40 cms do meu corpo, ela parou e pude vê-la dos pés até ao pescoço, pois não vi o rosto. Ela vestia um longo vestido azulão e tinha os pés cobertos por meias também azuis. Senti uma reação fortíssima e muito humana mesmo, acordando logo em seguida. A sintonização, que iniciou no sono, continuou no estado de vigília. Senti fortes vibrações nos braços e ela, a mulher superior à Maria de Nazaré, realmente estava ali ao meu lado, mas invisível aos olhos físicos, envolvendo-me em sua altíssima evolução e abraçava-me intensamente. Fui ao banheiro e, após lavar-me, dirigi-me à recém-chegada:
- “Quem é você?”.
- “Eu sou a parte feminina de Deus”. Essa resposta me chocou muito e, após o meu espanto, perguntei refletindo:
- “Como pode ser isso? Não estou compreendendo nada!”. Queria ganhar tempo para entender o que acontecia e do que estava tomando conhecimento.
- “Então, aceita que eu sou a esposa de Deus”. Ainda fiquei completamente aéreo, mas continuei a indagação para melhorar a identificação e a minha compreensão desse novo encontro:
- “Como você se chama?”. Era necessário uma identificação para continuar e aperfeiçoar a nossa comunição com uma perfeita sintonia.
- “Josefina”. Ela se identificou com esse nome de 8 letras, cuja primeira parte representa o nome do pai de Jesus. Naquela época ainda não chamava a Deus-Pai pelo nome de Velho Jó. Nessa altura, ela me revelou a razão de sua vinda ao meu encontro, o que me assombrou mais ainda, dizendo-me:
- “Houve uma severa e grave acusação contra você no plano superior. Nessa acusação foi dito que você não era encarnado, mas apenas materializava para enganar aos outros e nessa condição até sexo fazia. Você vencia ou fazia amizade com todos os espíritos, que eram enviados para executar a sua prisão, e, por meios considerados baixos e indignos, você conquistava a simpatia e depois a ferrenha defesa de todas as “entidades femininas”, que eram enviadas para fiscalizá-lo. Isso revoltou e humilhou mais ainda ao chefe dos contrários a você e por isso apareceu o autor da denúncia com apoio de muitos. Esse queria libertar-se do domínio pleno do chefe dele, já que era completamente subjugado desde o trabalho como profeta do outro: um grande “falso deus” e também porque era um devedor de vidas passadas do outro, já que o matou no passado, quando foram irmãos.
Você foi acusado até de fazer “sexo com as entidades femininas”, a única razão para eles, que justificava a ferrenha defesa delas para com a sua pessoa, mas essa parte foi incluída para dar mais peso e gravidade à falsa denúncia. Também tinha sido pedida a permissão para que você fosse preso pelo autor da acusação, auxiliado pelos apoiadores dele, aos quais facilmente conseguia dominar e convencer. Caso a permissão não fosse dada e se viesse alguém do plano superior para fiscalizá-lo teria que ser uma mulher..... e por isso estou aqui”. Ela, a Mãe Josefina (a parte feminina ou a esposa de Deus), continuou o diálogo comigo, dizendo-me:
- “Logo que cheguei, ficou revelado para todos que a acusação é que era falsa, pois você teve uma reação muito humana mesmo... e... você realmente era um espírito encarnado. Aí ficou claro e constatado que o problema era muito mais sério do que parecia ser, pois uma denúncia desse quilate nunca poderia ser falsa e ainda mais que foi feita por um espírito considerado como muito bondoso e iluminado, um grande líder no Brasil e ainda estava subscrita por uma miríades de outros espíritos, considerados também de alta posição na escala evolutiva. Vi aí a explicação de todos os gravíssimos dramas, que você já tinha passado e que não poderiam mais terem acontecidos nessa sua atual encarnação. Tornava-se necessário um sério levantamento para descobrir e desenrolar todos os dramas e as tramas já acontecidos, pois ninguém mais confiava em ninguém e você lutava, sozinho no plano físico, contra poderosíssimos inimigos desencarnados, que não queriam entregar as posições conquistadas há milênios atrás...: “uns falsos deuses mesmo”, que queriam continuar aparecendo como o “Espírito Incriado”. Por isso tudo, você ganhou mais um grande reforço e vou ficar de imediato 15 dias ao seu lado para ser vista por todos.... e nunca mais iremos perder essa sintonia, que conseguimos”.
............
(Continua)...
............... Paz plena...Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Seg, 01/Dez/2008 22:43, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 09:21 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmão Chariots_of_Fire e irmãos foristas, um grande abraço.
Eis o endereço do início dessa carta:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=65919#p65919
............
Continuação
Então, tentando compreender melhor a situação, falei:
- “Está muito difícil para entender tudo e até para aceitar o que fiquei sabendo tanto sobre você como sobre a “falsa acusação”. Sobre a luta sei que estava e está difícil e renhida!”. Aí ela explicou-me, revelando-se mais ainda:
- “De onde vim, sou considerada para vocês aqui na Terra como a Eva e a Maria de Nazaré ao mesmo tempo em uma só dimensão ou como uma só personalidade. Apenas uma coisa lhe peço: “Não escreva nada sobre esse nosso encontro, hoje, pois você precisa acostumar com tudo isso que lhe foi revelado e está muito emocionado”. Aqui no Planeta Terra muitos espíritos, que usam perispíritos masculinos julgam-se os donos da situação. É necessário uma completa reforma e descobrir quem é digno da plena confiança e liberdade...., pois até Jesus foi envolvido por alguns desses espíritos, já que Jesus os considerou como o próprio Pai ”.
Esse primeiro encontro com Deus-Mãe ocorreu devido à uma falsa acusação de um espírito, que queria que eu aceitasse ser o seu novo médium, mas exigia de mim uma cega obediência e que conseguiu muito apoio contra mim devido à própria condição evolutiva dele. Aqueles, que o apoiaram, nunca iriam desconfiar da trama traidora, que ele queria armar contra mim.
Esse falso acusador, considerado já bem evoluído, me falou assim:
- “O meu médium está muito doente e velho, eu preciso continuar a minha obra e por isso escolhi a você para ser o meu novo médium”.
- “Não sei se estou a altura da sua escolha, mas sinto-me honrado pela sua escolha!”. Respondi-lhe.
- “Mas exijo uma coisa!”. Continuou o espírito, muito seguro de si. Argumentei por minha vez:
- “O que? Da minha liberdade não abro mão! Os outros não me exigem nada. O que você exige?”.
- “Exijo que você só vá a Centros Espíritas”. Concluiu o espírito visitante.
Continuei firme na minha posição de que não iria abrir mão da minha liberdade e por isso esse espírito passou a me perseguir e obsedar por 4 anos e 7 meses.
Isso que aconteceu comigo é aquele “pecado contra o Espírito Santo, que não tem perdão”, como ensinou Jesus de Nazaré (Mt 12,32; Mc 3,29 e Lc 12,10). Esse “amigo” tinha pleno conhecimento da situação e nunca podia ter agido como agiu. Julgou-se melhor em tudo e superior até a Deus, pois falava comigo que Deus-Pai era um enganador, pois Ele, Deus-Pai, não era quem eu julgava ser. Ele estava tão seguro de sua posição e condição, que julgou que nunca seria descoberto e nem vencido por um simples humano, mas ele esqueceu de que quem está com Deus não precisa temer nada e sempre ganha.
Abraços, atenciosamente.... Rosário Américo de Resende.

Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Seg, 01/Dez/2008 22:46, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 09:29 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Vou postar a 7ª carta, que escrevi para o meu irmão padre:
Belo Horizonte, 20 de Novembro de 1994.
Meu grande amigo, companheiro e irmão, Frei Basílio, muita paz, luz, amor e liberdade para todos nós. Estamos esperando a sua vinda de férias e aqui irá conhecer sua mais nova sobrinha.
Quero falar aqui de um assunto muito sério, que é uma outra tese que defendo, cujo nome só será revelado depois. Essa tese me colocará em choque com teólogos católicos e cristãos em geral, os cegos de fé ou mesmo do fanatismo.
Primeiro preciso fazer um resumo sobre o que já escrevi no meu diário de n° 1, páginas 30, item 6, 77 e 86: “Revisão de Dogmas”. Não conheço todos os dogmas, mas alguns tem que serem realmente explicados ou até revogados. Para mim hoje “dogma de fé é uma forma, que arranjaram, aqueles, que mandam e sabem menos, imporem a vontade deles como se fosse a vontade ou a lei de Deus”.
Um erro é defender a perda da virgindade como um ato pecaminoso, por isso os teólogos tiveram que defender que Maria de Nazaré foi sempre virgem, mesmo sendo a mãe de Jesus; e outro erro é defender a “concepção pelo Espírito Santo”, pois isso pode até ser considerado como um adultério, já que Maria foi concebida do Espírito Santo e era esposa de José.
Maria foi realmente concebida sem pecado, pois ela já era pura e santa antes de reencarnar, também muitos outros foram concebidos sem pecados e sem nenhuma culpa passada. O ensino da concepção pelo Espírito Santo foi defendido como necessário, porque numa certa época muitos teólogos e doutores da Igreja, que em muitos casos cometeram grandes erros no campo sentimental, e, às vezes participaram até de orgias sexuais antes de suas conversões, consideraram a relação sexual como pecado. Devido a essas considerações e como Jesus não poderia ser fruto de nenhum pecado humano (relação ou ato sexual), então era preciso inventar uma nova fórmula e defender também a virgindade de Maria como ato de fé (dogma?). Maria deveria ser virgem sim antes do casamento, disto não duvido, pois ela já era santa e dedicada a Deus.
O milagre ou a maravilha perfeita da criação, criada por Deus, do nascimento de um novo ser físico ou um novo corpo, precisa de um homem e de uma mulher em completa e íntima união, e, quanto mais amor existir nessa relação mais evoluído será o ato e o fruto dele. O mistério do nascimento da vida de um ser é divino, é obra de Deus-Pai-Mãe-Criador e é o mesmo para todos. Sobre a virgindade de Maria, após o nascimento de Jesus, os evangelistas não comentam nada.
O assunto da concepção pelo Espírito Santo está muito claro em Mateus 1,18 a 25. Em Lucas1,26 a 38, vemos a anunciação do anjo a Maria sobre o futuro nascimento de Jesus, fato ocorrido também com Zacarias com relação ao nascimento de João Batista (Lc 1,11 a 25), com a mãe e depois com os pais de Sansão (Jz 13), como também com Abraão e Sara sobre o futuro nascimento de Isaac (Gn 18,9 a 15). A anunciação é uma verdade comprovada pela Bíblia. Marcos e João não fazem referências à concepção espiritual e nem à anunciação, então pode-se concluir que cada um escreveu o que julgou ser o melhor. Não se vê também em nenhuma passagem ou nas pregações de Jesus nenhuma alusão a esse assunto, então o normal era aceito e não a anormalidade.
Em João 19,25 a 27, vemos que Jesus entregou a guarda de sua mãe ao discípulo, que amava (o único que esteve ao pé da cruz) e então Maria teria revelado esse segredo a João, em companhia do qual foi viver, como diz o referido trecho. João, por seu lado, se soubesse disso, teria relatado em seu Evangelho para conhecimento da posteridade. Como João não fez nenhuma referência a esse assunto é porque ele não soube de nada especial.
Nas conversas entre Maria e João esse assunto nunca deve ter sido colocado em evidência, já que foi pura fantasia de alguns. Aceita-se a maternidade humana para Jesus, um lado do nascimento de um novo ser humano e por que não aceitar o outro: a paternidade?
Em Lucas não existe a confirmação da concepção pelo Espírito Santo, mas apenas a anunciação e isto prova que houve sim um apoio espiritual muito elevado para a encarnação de Jesus. Quanto à anunciação a Maria, acredito piamente, pois ela precisava ganhar força e coragem, como também saber previamente a quem ela iria receber em seu ventre e depois dar a luz: Jesus, o maior filho de Deus ou espírito, que já veio a essa terra, o Messias prometido por Moisés e pelos profetas. Quem apareceu a Maria foi um anjo e era um enviado, um mensageiro de Deus-Pai-Mãe ou mesmo de Jesus ou o próprio Jesus em espírito, que iria encarnar por meio de Maria e viria nos ensinar o caminho rumo ao Pai-Mãe-Criador, que é de pureza total.
Tive a experiência da “anunciação muda” de um nascimento, mas foi o próprio espírito, que veio revelar-se antes de iniciar mais uma encarnação para a sua eterna evolução. Fato ocorrido em 1976, quando vi nitidamente um homem, em pé na porta do meu quarto, olhando para mim e já tinha puxado por 3 vezes a perna de sua futura mãe, mas era apenas um espírito, pois desapareceu dentro da casa fechada. Para muitos só foi ilusão ou alucinação da minha pessoa e minha testemunha não está mais fisicamente entre nós.
Agora fica a dúvida, que só Mateus poderá revelar ou explicar: “Ele conversou claramente esse assunto com Maria? Ele entendeu o mistério e a beleza da anunciação feita por um mensageiro divino e de muita luz , de um anjo de Deus?” Pois sobre a anunciação a Maria conforme Lucas, ele, Mateus, não fala nada. Quem sabe Mateus soube da anunciação, mas escreveu a seu modo para impressionar mais ainda aos outros, pois poderia ter ficado entusiasmado e maravilhado com o conhecimento da anunciação do futuro nascimento de Jesus de Nazaré, o Cristo de Deus. Ainda pode ter sido escrito um bom tempo depois, por alguém bem fanático e que deixou tudo de tal forma para que todos pensassem que fosse o próprio apóstolo Mateus.
O processo da concepção ou nascimento de um ser humano foi criado pelo PAI, tudo pode como deveria ser puro e sem pecado. Quem cria uma lei é o primeiro a seguir ou obedecer a lei. Na concepção inicia-se a criação apenas do corpo físico para ser a moradia adequada de um espírito ou alma, que já foi criado há muito e muito tempo e que está em busca da auto perfeição ou da sua salvação. Na íntima união entre um casal humano existe uma grande demonstração de confiança, entrega e vivência do amor humano.
Depois de ter escrito esses pareceres em meu diário, tive duas confirmações desses meus dizeres, que tornaram-se em mais uma tese minha, que é: “Jesus de Nazaré, o Cristo, teve pai e mãe carnais ou Jesus, como homem, foi filho de José e Maria”.
Em complemento ao que já escrevi, vou relatar dois diálogos meus com os espíritos de Jesus e Maria de Nazaré:
1º) A primeira confirmação veio do próprio Mestre Jesus, que iniciou a sintonização comigo em 25 de novembro de 1983, como já escrevi nas cartas para o Papa João Paulo II e para o Narciso. Num de nossos muitos diálogos, logo que Jesus aproximou-se de mim, perguntei:
- “O que o Senhor, Mestre, me fala sobre os meus escritos relacionados com a sua concepção e seu nascimento?”. Jesus, antes de responder, fez-me a seguinte pergunta:
- “Por que você está me perguntando isso?”.
- “Mestre, o Senhor já sabe tudo sobre os meus pontos de vista e não quero ensinar nada de errado, a minha responsabilidade é muito grande e até pesada”. Expliquei respondendo.
Então, o Mestre Jesus respondeu diretamente à minha pergunta e já dando-me orientações:
- “Você está certo, mas não escandalize aos outros que acreditam de forma diferente”.
Continuamos o nosso diálogo, mas sobre outros assuntos.
2º) A segunda confirmação... (Continua).
................
Ninguém precisa acreditar em nada, mas deixo apenas esta observação e pergunta: "O que eu ganharia, sabendo o que eu já sei e contando ou divulgando mentiras?".
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Seg, 01/Dez/2008 22:48, em um total de 3 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 09:35 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Eis o endereço do início desta carta:
(A conversa com Jesus está nesse endereço):
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=65922#p65922

Continuação.
2º) A segunda confirmação veio da própria mãe de Jesus, que sintonizou perfeitamente comigo no dia 11/04/1984 (vide carta para o Papa João Paulo II) e aqui vou descrever o primeiro encontro, que tive com Maria de Nazaré:
“Levei a minha filha mais velha a uma ginecologista e estávamos sendo acompanhados pela mãe dela, já desencarnada... (a Conceição morreu em 28/01/1984). Logo que acabou a consulta, o espírito da Conceição aproximou-se de mim e disse-me:
- “Está tudo bem com a Cláudia, não precisa se preocupar”.
Como o consultório era perto do mosteiro das clarissas na rua Santa Rita Durão e, devido ao passado dela nos séculos XII e XIII, que fiquei sabendo no dia 26/02/1984, decidi fazer uma visita ao mosteiro (naquele dia ainda não sabia que também participei desse passado dela). Chegando em frente ao portão de entrada vi o aviso: “Atendimento ao Público de .... até às 16,00 horas”, e já eram 16,30 horas. Então rezei um pai-nosso em frente ao portão e caminhei para o carro, onde deixei a minha filha. Logo que comecei andar, a Conceição, que foi a maior discípula de São Francisco de Assis no passado, falou-me assim:
- “Você não pôde entrar, mas eu entrei e trouxe uma amiga para conhecê-lo”.
Pensei de imediato tratar-se de alguma monja, mas como não houve identificação e apresentação, fui para o carro. Do bairro Funcionários até à Cidade Nova, onde moro, dirigi o carro, ouvindo o diálogo entre as duas entidades, enquanto tentava entender a situação.
A Conceição falou para a nova visitante e amiga recém-sintonizada:
- “Ele vai perguntar-lhe quem você foi na época de Jesus”. A nova visitante respondeu:
- “Não há problemas. Estamos aqui para ajudá-lo e revelar-me a ele. Será até muito bom mesmo”.
Chegando em meu apartamento, fui comprar pão e a recém-chegada me acompanhou. Quando estávamos chegando novamente em meu lar, ela me falou:
- “Agora já sei onde você mora, então irei embora e depois manteremos outros contatos”.
Respondi imediatamente, convidando-a para continuarmos o nosso diálogo:
- “O que é isso, irmã. Vamos para o meu apartamento, ainda não lhe contei nada sobre mim e nem sei ainda quem é você. Quero continuar o nosso diálogo”. Ainda não sabia que ela já sabia de tudo a meu respeito. Ela concordou e aceitou o meu convite. Entrando em meu lar, pedi a ela licença para tomar um banho, antes de conversar com ela.
Enquanto tomava tranqüilamente o meu banho, a Conceição foi ao banheiro e me falou assim:
- “O que é isso, Rosário. A nossa convidada é muito importante, ela não pode ficar a sua espera assim e já estão chegando algumas convidadas dela para esse encontro (diálogo) aqui hoje”.
- “Quem ela é?”. Perguntei. Ao invés de contar-me, apenas disse:
- “Pensa!”. Logo que comecei a pensar veio a minha mente o nome de Maria de Nazaré e levei um grande choque, que não me deixou nenhuma dúvida, dizendo logo em seguida:
- “É ela que está aqui em meu apartamento!”. Senti uma fortíssima emoção (vibração) e quase cai no piso do banheiro. Pela minha reação, conclui rapidamente, que era a mãe de Jesus, a minha mais nova visitante. Aprontei-me rapidamente e fui para a sala. Logo, que fechei a porta, ela, Maria de Nazaré, me falou:
- “Você está tirando o meu trunfo!”.
- “Não, Maria, apenas estou colocando as outras mães perto de você, pois a diferença era e é muito grande”. Respondi e voltei a falar, perguntando:
- “Já que estamos falando desse assunto, pergunto-lhe: Como foi?”.
Só tive coragem de fazer essa pergunta “Como foi?” em função do encaminhamento do próprio diálogo. Aí recebi a mais simples e humilde resposta, mas muito clara e sincera mesmo:
- “Normalmente, como se concebe um feto”.
Pela resposta simples e reveladora fiquei satisfeito. Conversamos muito sobre outros assuntos referente aos nossos passados, como também aos passados de outras pessoas, como: José Américo de Resende e Conceição Chaves de Resende, que foram os pais do espírito Maria de Nazaré em outra encarnação, há vários séculos antes do primeiro século da Era Cristã. Nesta época remota fui meio irmão dela e ela se chamou “Dina”, e que deve ter sido protegida pela “Dinha”, nossa atual irmã.
A resposta reveladora de Maria também veio negar completamente aos que dizem que Jesus foi filho de um militar romano, que abandonou Maria logo que ficou grávida, como também contradiz àqueles que afirmam e defendem que Jesus foi filho de um extraterrestre. Pois nessas duas hipóteses não seria “normalmente”, mas “bem anormal”, até imoral ou amoral, o nascimento de Jesus.
Basílio, essas são minhas considerações sobre esse sério e importante caso. Aqui vão todos bem. Nós, Malvina, Guilherme, Sônia, Cláudia, Sílvia, Fábio e eu esperamos abraçá-lo em breve.
Abraços do seu irmão mais novo... Rosário Américo de Resende.


Editado pela última vez por Rosário em Qua, 06/Dez/2017 16:01, em um total de 4 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 09:44 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Cada um é livre de aceitar ou não, tudo o que estou expondo e divulgando aqui.
Tenho planos de divulgar tudo numa série de uns 8 livros. Em princípio já tenho tudo escrito e poderei modificar alguma coisa em função de orientações de algum editor.
Digo uns 8 livros porque quero contar tudo, mas não posso contar tudo de uma só vez... À medida que forem sendo publicados pode-se também ir analisando todo o processo e também o 1º livro custiará o 2º e assim por diante.
Vou postar aqui uma outra carta escrita por mim, onde conto a minha primeira sintonia com o Espírito de Jesus...
Agora ou vão me considerar como um completo fascinado ou vão começar a aparecer aqueles que irão realmente ajudar no trabalho da implantação da PAZ PLENA na TERRA INTEIRA.
Irmãos foristas, carregar nos ombros isto tudo sozinho foi muito difícil e muito pesado.

Belo Horizonte, 04 de Agosto de 1992.
Caro amigo Narciso, que a paciência e a sabedoria de Deus possam lhe auxiliar no atual momento pelo qual você está passando, que São Francisco de Assis possa lhe dar a luz para compreender e vencer essa fase da sua vida. Nesta hora julgamo-nos impotentes perante uma doença incurável.
Estou enviando-lhe as “Informações sobre o VK-3C” e também uma cópia do “Jornal Espírita”, por cujo intermédio tomei conhecimento do VK-3C.
Vou lhe relatar como tomei ciência deste remédio: “No dia 25/11/1983 estive na Santa Casa de Misericórdia de BH para buscar um remédio muito caro, que minha esposa tomava. Naquela época eu estava de “licença médica no INSS” e como recebia muito pouco não podia comprar o remédio, por isso tinha que adquiri-lo pelo INAMPS na Santa Casa. Pedi auxílio ao médico com referência a tratamentos alternativos para minha esposa, que sofria de câncer e que foi mortal, e ele me respondeu que tudo que não fosse quimioterapia e radioterapia era charlatanismo e que ele me dava um prazo de 2 meses apenas. Só que não disse para o quê! A Conceição desencarnou no dia 28/01/1984.
Fiquei muito chateado e triste. Fui rezar um pouco na capela da Santa Casa. Disse mais ou menos assim para Jesus, perante uma estátua dele: - “Mestre, ajuda um pouco a gente, pois aqui estou para continuar o trabalho iniciado e a cruz está muito pesada, ó Mestre Jesus....”. Rezei mais um pouco e quando saia da capela senti que “um espírito” me acompanhou e julguei tratar-se de um médico recém-desencarnado. Quando saia da Santa Casa o espírito me pediu para comprar o Jornal Espírita do mês e assim o fiz. O amigo invisível me acompanhou da Santa Casa até ao meu apartamento, localizado no Bairro Cidade Nova, e eu, enquanto dirigia o carro, ia contando para o amigo invisível tudo sobre a minha vida, desde a infância até aquele momento. Chegando em meu apartamento disse mentalmente para o espírito amigo:
- “Aí está minha esposa, examine-a e diga-me o que deve ser feito!”.
Sentei num sofá pequeno, perto dela e comecei a ler o jornal. Abrindo a 2ª página levei um susto quando li a manchete: “Aqui o endereço de um remédio que cura câncer”. Li tudo e depois mostrei para ela e ela até pensou em viajarmos para São Paulo de avião, mas combinamos em só telefonar para sabermos notícias e depois compramos o remédio por reembolso postal.
No dia 26/11/1983 o remédio chegou e após lermos tudo fui ao Mercado Central comprar coco verde para que minha esposa tomasse a sua água. Antes de ir para Mercado Central passei no Correio Central da Afonso Pena para pagar o remédio, já enviado pelo correio. O amigo invisível estava sempre ao meu lado pois sentia a presença dele, mas não sabia quem ele era. Após comprar os cocos verdes e passar numa casa onde funcionava a contabilidade da Âmbar SA CFI, recebi auxilia para identificar o amigo invisível. Enquanto subia de carro pela Av. Augusto de Lima rumo à Av. Afonso Pena, após aproximar da rua São Paulo, alguém, também invisível, falou, dentro da minha mente, mais ou menos assim:
- “Este espirito é mais evoluído do que você está pensado!”. Aí falei em voz alta para ele:
- “Irmão, você ainda não me falou quem é você, mas onde você está têm espíritos evoluídos, procure entrar em contato com eles, que vai lhe fazer muito bem”.
Aí o outro invisível voltou a me falar, bem no meu interior, mas nitidamente:
- “Ele é mais evoluído ainda!”. Nesta altura eu até assustei e tive coragem de perguntar ou mesmo dizer em voz alta: - “É Jesus que está aí?”
Realmente era e ele, o nosso Mestre Jesus, saiu de perto de mim para que eu não sentisse muita emoção com a perfeita sintonia com ele ou com a presença dele ali ao meu lado. Aí disse para mim mesmo:
- “Estou ensinando o Pai-Nosso ao seu vigário, pois Jesus já sabia de tudo a meu respeito”.
Assim foi o meu primeiro encontro espírita com o Mestre Jesus”.
Narciso, realmente passei por experiências muito difíceis de serem explicadas a até aceitas por quase todos, mas esta foi e é a minha realidade a minha vida.
Sobre os livros que lhe falei para ler e que são romances, cito os seguintes: “Há 2000 Anos; 50 Anos Depois; Ave Cristo e Renúncia”, todos os quatro são psicografias escritas por Francisco Cândido Xavier e intuídas pelo espírito Emmanuel.
Esta literatura me ajudou a compreender tudo sobre mim mesmo, sobre a vida em geral e sobre os outros. Desde o dia 05/01/1980 passei a aceitar a reencarnação ou a verdade das vidas sucessivas.
Desejo a você e aos seus muita saúde, paz, liberdade e luz, o amigo e irmão em Jesus e São Francisco de Assis........
O irmão em Cristo, Rosário Américo de Resende.
...........
Paz plena... Rosário.


Editado pela última vez por Rosário em Seg, 01/Dez/2008 22:51, em um total de 1 vez.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 16:05 
Offline

Registrado em: Sáb, 27/Jan/2007 20:14
Mensagens: 6663
Localização: Brasil - Belo Horizonte
Paz plena... Irmãos foristas, um grande abraço.
Sei que não é fácil aceitar e entender tudo o que estou divulgando aqui, mas também quero dizer e falar para todos vocês que há muito tempo estou procurando alguém ou pessoas quem as quais poderei dividir o peso destas responsabilidade: "Construir na Terra o Reino de Deus, pois esta é também a vontade dos espíritos de Jesus e de Deus, rezamos isto no Pai-Nosso".
Vou postar aqui o final da 8ª carta para o meu irmão padre e eis os endereços do início dessa carta:
O caso de agosto de 1982 está nesses dois endereços citados a seguir:
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=65339#p65339
viewtopic.php?f=12&t=3650&p=65341#p65341
(Continuação).
2ª) Em 12/04/1984: O meu encontro real com Deus-Pai. Depois passei a chamá-lo de “Velho Jó”, para poder trabalhar mediunicamente sem nenhum problema para mim, pois ninguém aceitava que recebia mensagens diretas de Deus-Pai, como também ainda não aceitam mesmo. Não era necessário que os outros soubessem quem era e é Ele, o “Velho Jó”, basta que eu saiba quem Ele é.
No dia 11/04/1984 tive a minha primeira sintonia com Maria de Nazaré, como lhe escrevi em 20/11/1994. Você não comentou nada comigo ainda sobre esta carta. No dia 12/04/1984, ali pelas 14,00 horas, saí do meu apartamento com 3 espíritos: Jesus, Maria de Nazaré e a Conceição (que em vidas passadas foi a própria Santa Clara, por isso fui onde fui) e passei no convento das Clarissas na rua Santa Rita Durão. Chegando lá, pedi para falar com a irmã (monja) Maria Pia. Conversei com ela por mais ou menos uma hora. Falei para ela, de uma forma não clara, dos fatos, que aconteceram comigo e ela me aconselhou a procurar um Padre (encontro esse, que não tornou-se possível, porque também esse Padre não dispunha de tempo para conversar comigo em particular). No final pedi a ela para me falar sobre Santa Clara. Ouvi muita coisa, que já sabia, pois tinha lido há poucos dias o livro: “Os Escritos de Santa Clara”, mas a medida que fui ouvindo senti as vibrações físicas visíveis, que demonstravam a presença dela ali entre a monja e eu. Disse para a monja Maria Pia:
- “Santa Clara está aqui!”. Ela voltou a me aconselhar o encontro com o Padre, já indicado.
Saindo do mosteiro, senti que Jesus e Maria já não estavam mais presentes e perguntei:
- “Onde eles foram?”.
- “Foram trabalhar”. Disse-me o espírito da Conceição ou Santa Clara.
Não perguntei mais nada e fui para a Av. Bias Fortes, onde estava a parte administrativa da Âmbar CFI SA. Ali fiquei conversando por uma hora com pessoas conhecidas e que aceitavam me ouvir, como pessoa humana. Saindo da Av. Bias Fortes dirigi-me para a Av. Olegário Maciel, 1377, onde trabalhei. Quando faltava um quarteirão para chegar à Av. Olegário Maciel, estava na rua Felipe dos Santos e apenas o meu carro trafegava pela rua, a Conceição me falou o seguinte:
- “Cuidado com as suas palavras, que o Rei está aqui!”.
Como já tinha sintonizado com Jesus, fato esse que registrei na carta para o Narciso, escrita em 04/08/1992, senti imediatamente que era “Deus-Pai”. Sofri uma fortíssima e imensa vibração, por causa dessa influência parecia que iria desmaiar. Foi uma emoção muito mais intensa e envolvente do que as que senti nos primeiros encontros com Jesus e Maria de Nazaré. Então procurei reduzir a velocidade do carro e iniciei a parar perto do meio fio, só havia o meu carro na rua. Antes de parar, vi que já estava tudo bem e que poderia continuar dirigindo. Fiquei com receio até de pensar. Chegando perto do número 1377, Ele (Deus-Pai) me perguntou:
- “Você está indo, onde você teve a sua primeira sintonia espiritual?”. - “Sim”. Respondi.
- “Vou ver como está tudo por lá”. Continuou Ele. Parei o carro no estacionamento da Âmbar e resolvi tudo rapidamente para sair de lá o mais rápido possível, pois não sabia como seria o futuro e queria ficar sozinho, fisicamente falando. Veja que Deus nos ajuda no cumprimento de nossas missões mas Ele nos respeita plenamente. Quando entrei no carro, Ele só me falou o seguinte:
- “Eles não o querem aqui mais”. Vim para o meu lar com receio até de pensar. Chegando aqui, estava ainda meio apavorado e com medo, deixei-O na sala de visita, dizendo para as meninas que iria dar uma volta na rua. Logo que saí pelo portão da rua e caminhava pela esquerda no passeio, o espírito da Conceição aproximou-se de mim e disse-me, com muita energia, segurança e poder:
- “O que é isso, Rosário! Você deixa a sua visita em seu lar e sai para a rua. Volta e fica perto dEle”. Voltei e pedi desculpas pelo meu comportamento, dizendo que estava muito emocionado. Sentei e como não houve diálogo, pois Ele respeitou com muita humildade a minha pequenez, então peguei uma revista Planeta para ler, falando para Ele a minha intenção. Logo em seguida senti muito sono e falei:
- “Peço-Lhe desculpas novamente, mas estou com muito sono, vou deitar um pouco aqui mesmo”. Dormi. Depois de uma meia hora, acordei e como não sentia mais a presença ostensiva dEle, perguntei:
- “Onde está Ele?”. - “Foi embora e deixou um abraço para você, dizendo que voltará depois”. Respondeu-me o espírito da Conceição.
Depois iniciou-se um intenso e profundo diálogo entre nós: “Deus-Pai e eu”, éramos só um e continuávamos existindo os dois. Por isso pude entender bem a frase de Jesus: - “Eu e o Pai somos um” (Jo 10,30). Aprendi muito mesmo. Em um desses diálogos, perguntei a Ele:
- “Por que, o Senhor, está trabalhando desse jeito e aqui comigo?”.
- “Porque levei a Jesus, já que a responsabilidade é dele, a notícia da hora e necessidade das religiões cristãs ensinarem a mediunidade e a reencarnação. Princípios esses que irão reformar todas as religiões cristãs. Aí Jesus me pediu auxílio, pois estava tentando isso há muito tempo e estava havendo muito sofrimento de pessoas inocentes, que participavam familiarmente da vida dos enviados. Por isso estou aqui e vou trabalhar com você, se você me aceitar”.
- “É lógico que aceito”. Respondi prontamente e já perguntei em seguida:
- “O que devo fazer agora, imediatamente?”.
- “Primeiro estude, estude muito e de tudo, pois a batalha vai ser difícil. Não julgue nada sem ver com os seus próprios olhos. Tudo o que ouvir sobre algo ou alguém, antes de tomar qualquer atitude de julgamento ou análise, primeiro vai ver, olhar e fiscalizar....”. Orientou-me Deus-Pai ou o “Velho Jó”.
Em um outro de nossos diálogos, perguntei a Deus-Pai:
- “Por que me foi revelado aquele meu passado dentro da Igreja de Santa Teresa, em agosto de 1982?”. Deus-Pai me respondeu com muita tranqüilidade e sabedoria, instruindo-me:
- “Para você ter estrutura de nos receber”. Com essa resposta entendi que se eu não soubesse quem eu realmente era, não seria possível a minha sintonia perfeita com a espiritualidade realmente superior, como o Apóstolo São Paulo, Jesus de Nazaré, Santa Clara de Assis, Maria de Nazaré e finalmente Deus-Pai-Mãe. Os encontros iniciais com a espiritualidade, conscientemente falando, nos causam imensas emoções e os encontros iniciais com Deus-Pai-Mãe ocorreram em 12/04/1984 (Deus-Pai) e 20/11/1984 (Deus-Mãe).
Basílio, aqui vai relatado algumas das minhas experiências de vida e de vida mística...... Isso para mim é uma realidade, mesmo que outros não aceitam nada de nada ou nada de tudo.
A Malvina, uma grande, forte e amada companheira, envia-lhe lembranças. Cláudia e Sílvia vão bem, cursando as suas faculdades. O Fábio voltou a estudar e vai indo muito bem. Guilherme e Sônia são grandes alegrias para todos nós.
Abraços do irmão mais novo apenas na idade da atual existência..... Rosário Américo de Resende.
.......................
Pois é, irmãos foristas, sei que irei receber algumas pedradas e outras pauladas, mas digo a todos que a verdade tem que ser dita: "Doa em quem doer".
Fiz quase o impossível para conversar profunda e claramente com o psiquiatra espírita, do qual fui paciente, mas ele não aceitou de jeito nenhum em ter um diálogo com ele.
Paz plena... Rosário


Editado pela última vez por Rosário em Qua, 06/Dez/2017 15:57, em um total de 6 vezes.

Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 16:16 
Offline
Avatar do usuário

Registrado em: Seg, 13/Dez/2004 11:26
Mensagens: 974
Localização: Rio de Janeiro-RJ
Citação:
Pois é, irmãos foristas, sei que irei receber algumas pedradas outras pauladas, mas digo a todos que a verdade tem que ser dito: "Doa em quem doer".


Eu já li isso em algum lugar... Douglas, Virgilio e Marcelo... vocês se lembram onde foi?

_________________
Divulgue a lista de quem emprega trabalho escravo no Brasil - Vamos ajudar a acabar com essa vergonha


Voltar ao topo
 Perfil  
 
 Título:
MensagemEnviado: Seg, 19/Mar/2007 17:13 
Offline
S.O.M.

Registrado em: Ter, 21/Dez/2004 16:01
Mensagens: 421
Localização: Não faço idéia
Compararem o outro com este não tem nada a ver,desculpem lá .Este é completamente o inverso.


Voltar ao topo
 Perfil  
 
Exibir mensagens anteriores:  Ordenar por  
Criar novo tópico Responder  [ 1095 mensagens ]  Ir para página Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 ... 73  Próximo

Todos os horários são GMT - 3 horas


Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes


Enviar mensagens: Proibido
Responder mensagens: Proibido
Editar mensagens: Proibido
Excluir mensagens: Proibido

Procurar por:
Ir para:  
cron
Powered by phpBB® Forum Software © phpBB Group
Traduzido por: Suporte phpBB